Labels

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Você está triste...



"Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram. Eis que a casa de vocês ficará deserta. Pois eu lhes digo que vocês não me verão desde agora, até que digam: ‘Bendito é o que vem em nome do Senhor’” - Mateus 23:37-39


Você está triste. Ouvi isso hoje e nem tinha notado que minha tristeza, para quem me conhece, estava latente. Você também está triste, confesse. Não é pelo dinheiro curto, não é pelos problemas enfrentados no cotidiano (que você já tira de letra, assim como eu...), não é por algo tangível: É algo dentro de meu e do seu peito, algo que queima lentamente, te joga pra cima e você sente o frio na espinha e o vazio, o vácuo, te faz ficar com um olhar vidrado, olhando para tudo e não vendo nada.

De onde vem esta tristeza, enquanto praticamente todos estão fazendo festa, combinando viagens maravilhosas, namorando, casando e se dando em casamento, planejando o fim de semana, as férias, comprando e vendendo, acumulando enquanto deixa os outros sem aquilo que excedeu em sua despensa, gerando lixo e mandando pra frente sem saber onde ele vai ter seu longo final feliz?

A lista de questões são íntimas e infindáveis. Não tem a ver com a final do campeonato nem com a desclassificação prematura, não tem ligação com a dor nas costas ou com a eterna batalha do longo mês versus o curto salário, não é ligada à promoção ou não que você esperava, nem com a busca do seu Santo Graal pessoal.

É algo que não vem da horizontal, por mais que fique mais fácil discernir por alguns sinais vistos na CNN ou GloboNews, no jornal virtual que você lê em sua internet, no mendigo que você finge não existir e que te pede ajuda, nos escândalos no meio político e religioso, nos estupros, nas fomes, terremotos, atentados e pestes ao redor do mundo.

Cada item desses tem um papel detonador na vida de pessoas como eu e você, que estão tristes. Estamos sentindo a tristeza que vem de cima, a tristeza que vem do coração de Deus, a tristeza de quem acha que não tem muito mais o que fazer pela vida daqueles que estão mergulhados em seus mundinhos, em sua pequenezas, em sua busca desenfreada pelo pão nosso de cada dia, ao invés de deixar o campo arado e pronto para recebê-lo diariamente como benção de Deus...

Estamos sentindo que nada está se encaixando, inclusive nós. Nós não estamos mais nos encaixando nesta moldura pequena que se tornou nossa sociedade, por mais que ela aparente ser multi-mega-hiper facetada, descolada, repleta de infinitas possibilidades. Estamos nos sentindo caretas, mesmo que na moda, comprar ou vender algo não traz alívio, pois discernimos o preço que vem sendo pago nestes milhares de anos da história da humanidade.

Muito sangue foi, é e tem sido derramado. Se você "tem dois", saiba que alguém está sem nada, o mundo não está se sustentando mais, a água potável será motivo de guerra em breve (na verdade já o é em alguns locais) o mundo vai entrar em colapso e não nos vemos mais nem aqui nem lá, somos forçados a nos sentir alienígenas para não nos tornarmos alienados mas, infelizmente, não estamos sabendo agir.

Parece que a luz está se apagando, o sal está perdendo o sabor, estamos nos apequenando diante de tudo e de todos, por mais que estejamos ou sejamos evidentes no contexto social. A omissão é pessoal, nós e somente nós sabemos que estamos “pecando por omissão”. Parece que estamos sendo cúmplices de uma trama diabólica, apenas por não falarmos ou fazermos o que deve ser feito.

Creio que esta seja a razão da tristeza. Correr atrás do pão de cada dia é inútil e cansa, lutar por um novo negócio implica em saber que alguém perdeu enquanto você “ganhou”. Estou triste, não estou conseguindo juntar os pintinhos debaixo de minhas asas, até pelo fato de sentir que perdi as minhas, assim como Miguel no final do filme Constantine.

Ao menos esta tristeza vem da Fonte Eterna, vem do coração de Deus. Se estamos assim, o pulso ainda pulsa, o Espírito ainda nos convence do pecado, da justiça e do juízo. Devemos voltar ao nosso papel profético, mas entendo que de maneira diferente, mais eficaz, cirúrgica, sem desperdiçar bala.

Senhor, mostre a cada um o que fazer, em Nome de Jesus...

Reações:

14 comentários:

  1. A sensação é a de que "Assim também vocês, quando tiverem feito tudo o que lhes for ordenado, devem dizer: ‘Somos servos inúteis; apenas cumprimos o nosso dever’ ", com a diferença de que não sentimos que tenhamos feito tudo o que poderíamos ou deveríamos fazer... Mas, aí, vem a pergunta: será que nos foi ordenado fazer algo além do que temos feito? Talvez alguém diga que a Palavra 'tá cheia de recomendações do que se deve fazer e, normalmente, não é feito, mas é essa própria Palavra que também nos revela que, depois que respondemos ao chamado de Jesus - "Venham a Mim e aprendam de Mim" -, é o Espírito de Cristo que nos ensina todas as coisas e nos orienta por qual caminho andar. Assim, além do ensino é necessário o "comissionamento" pessoal d'Ele, que acontece no momento certo e em circunstâncias específicas.

    Enquanto isso, é claro: tristes! Muito tristes, porque, como você salientou muito bem, essa tristeza vem direto do coração do Pai... Mas eis que vêm dias...

    ResponderExcluir
  2. Quando eu digo que esse é o meu pastor e nada me faltará me chamam de herege rss
    Pois ontem no trânsito, vindo pra casa, pensava justamente em como as pessoas estão cada vez mais individualistas e turronas em suas próprias convicções que nada têm a ver com fé e meramente com a crença denominacional que não deixa a dever nada a crendices e superstições onde entidades são acionadas para resolver broncas.
    Vai parecer que não tem a ver, mas para mim tem tudo a ver.
    É que tenho feito visita sistemática a blogs de amigos que não se conformam com as formatações que lhes enfiaram nas mentes. E o que me passa 'dicunforça' é que, pelos comentários, boa parte cultua o Deus individualista da negociata. E quando falam em coletividade referem-se à ajuda 'piedosa' previamente determinado pelo evangelismo programado de sua denominação.
    Ou seja: a uma robotização assustadora enquanto batem no peito dizendo: Deus é meu e ninguém tasca. No máximo um 'Deus é nosso', nas entrelinhas, com referência ao clubinho da mesma neurose.
    Isso tem me entristecido muito...

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Correções rsss

    1- ...ajuda 'piedosa' previamente determinadA

    2- Ou seja, uma robotização assustadora enquanto batem no peito dizendo: Deus é meu e ninguém tasca.

    (Sem o 'a')

    ResponderExcluir
  5. René, este é o ponto. Eu tenho uma "teoria" que me diz que - por mais que me "esforce" - não consigo sair do centro da vontade do Pai.

    Isso pode ser (mal) interpretado como um comodismo, um alvará para fazer o que quisermos, mas não é isso o que acontece na prática quando você SABE QUE É DELE. Para os religiosos fanáticos de plantão, SIM, ESTAMOS NO CENTRO DA VONTADE DE DEUS...

    ...E é por isso mesmo que sentimos tristeza. Quem fala que estamos no erro quer nos subjugar, quer nos inserir no contextinho religioso e hiper-ativo deles, mas apenas para nos ver circuncidados, como lemos no contexto geral de Gálatas.

    Estou triste, a bagaça toda está aparentemente fora de controle, a criatura se rebelou contra seu Criador e cada um está tomando seu rumo, errando, pecando, se rebelando.

    Como vemos em Apocalipse 22:10-12:

    "E disse-me: Não seles as palavras da profecia deste livro; porque próximo está o tempo. Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda. E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra."

    Por isso sentimos a tristeza que Jesus sentiu ao olhar Jerusalém...

    ResponderExcluir
  6. É bem por aí... Não tenho pensado enquanto estou no trânsito, mas quando saio pra vender e, principalmente, quando vejo televisão e esse tal de "faz-se book". E são justamente as pessoas que declaram fé em Deus (principalmente evangélicos) que nos assustam e entristecem mais...

    ResponderExcluir
  7. Pois é, Jão!!! Dá impressão de comodismo e, por isto, o julgamento geral é esse mesmo! E a coisa tá muito feia, em se tratando de atitudes de professos cristãos. É como você acabou de comentar: a criatura está se voltando contra o Criador, porque, assim como Saul, acha que já passou da hora e tem que resolver o problema por si mesma...

    ResponderExcluir
  8. É bispa, sendo eu o seu pastor devo lhe alertar que estás com o dízimo atrasado...

    Quanto ao lado sério da coisa (não que seu dízimo não o seja), este individualismo, estas convicções denominacionais, estes curto-circuitos na mente da galera religiosa fazem parte deste todo, deste vazio, desta dor, desta tristeza que me faz olhar de fora e aparentemente ficar sem saber como (e se) agir.

    Ontem, aliás, de uns 10 dias pra cá, porém, parece que uma ficha caiu, acordei na madrugada após um sonho ruim e orei pela Cilene e por mim, repreendendo algumas coisas.

    Depois disso conversamos sobre o assunto, decidimos tomar algumas posições simples e parece que as coisas começaram a entrar no foco correto.

    Ontem foi legal, consegui escrever, estava lendo a Bíblia no ônibus, sentado ao lado de um menino de 12, 13 anos. Como era em inglês, ele ficou olhando e disse que não entendia nem em português, muito menos em inglês...

    Coincidências não existem, falei brevemente com ele sobre o que era o entendimento da Palavra, como pedir sabedoria à Deus (que a todos dá gratuitamente, como está escrito...) e - antes de descer - perguntei o nome do menino e também se podia orar por ele.

    Com a afirmativa, comecei a orar simples, ao que ele segurou minha mão enquanto eu o abençoava.

    Foi uma das melhores coisas que aconteceram nos últimos dias, meses, em relação ao "mundo espiritual". Senti que algo começou a brilhar novamente, dentro de mim, simplesmente pelo fato de ter começado o processo de tentar colocar as coisas no foco correto...

    Faz sentido isso? Estava tudo lá, o campo branquinho, louco para ser ceifado, e eu COM POSTURA DE JONAS, QUERENDO QUE A PORRA DA CIDADE FOSSE DESTRUÍDA (no caso, RJ, o qual vinha cada vez mais me dando ojeriza, principalmente do povo).

    A dor e a tristeza, no meu caso, estava pelo fato de estar entalado no bucho de um peixe enviado por Deus para eu não me afogar.

    Não é que eu vou voltar a pregar nas praças, mas já entendi que eu estava tentando não fazer o que Deus me levantou para fazer. Me senti muito bem, não baseando minha vida no "sentir", claro, mas entendi que a solução está bem perto...

    Sei lá, viajei nas idéias agora, mas talvez faça sentido para vocês...

    ResponderExcluir
  9. Amigos estamos vivendo situações bem parecidas ou porque não dizer iguais. O Jc escreveu o texto e me mostrou para que eu lê-se, claro ele é o meu Pastor...rsrs (digo nosso)lendo e antes de acabar uma pequena pausa para o comentário "estou vivendo isso amor".

    Quantos se dizendo cristãos que eu conheço, acredito que vocêis também com atitudes que foge totalmente "ser cristão" e que daí nos deixam tristes. E como diz o meu pastor essa tristeza vem direto do coração do Pai.

    Que Ele nos ajude e nos oriente em amor.

    ResponderExcluir
  10. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
    PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...