Labels

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Tem gente que conta até dez. Eu prefiro escrever...


Se eu não escrever eu vou explodir...

Estava cheio de assuntos pulsando em minha mente e em meu coração para colocar por escrito, mas parece que quando estamos colocando as coisas nos eixos e nos alinhando com o Senhor o inferno se levanta através do primeiro idiota que ele cruza no caminho, tentando tirar sua paz.

Não sou santo e não espero perfeição das pessoas. Por outro lado odeio quando sinto que estão tentando infernizar minha vida. Gente pequena, simplista, tosca e que resolve se levantar e se posicionar contra você sem ao menos tomar o mínimo de cuidado ao cruzar seu caminho, te tratando como um – se fosse na linguagem religiosa – neófito. Não tem a mínima noção do risco que correm ao agir como agem.

Ficam te cutucando para tirar o seu pior. Ficam como aquelas constantes gotinhas pingando insistentemente em sua testa dentro de um quarto escuro, tentando levar você aos extremos de seu domínio próprio, apenas para ver se você fala o que parece que as pessoas querem que você fale. Vontade não falta, mas não bateria em ninguém de óculos, com algum tipo de necessidade especial ou mulheres, “somente em macho, pra ver o sangue correr”...

Não se assustem, trata-se de um desabafo de um cristão que não é hipócrita. Não sei fingir que não sinto o que estou sentindo. Dei a outra face mas por dentro estou me remoendo. A Palavra diz em Efésios 4.26-27:

“Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira; nem deis lugar ao Diabo.”

(São 16:20h. Desta forma, ainda tenho algumas horas para desabafar...)

Se eu abro a boca e argumento no nível que sinto que devo argumentar, simplesmente passo por cima da pessoa de uma forma que ela dificilmente terá condições de andar sem ajuda de muletas ou cadeira de rodas, isso se voltar a andar. Não é fácil controlar mas me controlei. Agora, a ressaca vem brava, doendo todos os ossos e deixando a boca com o gosto amargo da reduzida de marcha que fui obrigado a dar.

Sim, tenho que amar os que me perseguem. Estes, normalmente, são pessoas de meu convívio diário e que não encontram meu nome no seu rol de puxa sacos. Caramba, eu não puxo saco nem de patrão, imagina de... Ah, se eu continuar eu me complico ainda mais.

E não é por falta de vontade. Veio até a ponta da língua mas eu engoli. Ao falar sobre isso me lembro de duas outras passagens:

“Se alguém cuida ser religioso e não refreia a sua língua, mas engana o seu coração, a sua religião é vã.” - Tiago 1.26

“Meus irmãos, não sejais muitos de vós mestres, sabendo que receberemos um juízo mais severo. Pois todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, esse é homem perfeito, e capaz de refrear também todo o corpo. Ora, se pomos freios na boca dos cavalos, para que nos obedeçam, então conseguimos dirigir todo o seu corpo. Vede também os navios que, embora tão grandes e levados por impetuosos ventos, com um pequenino leme se voltam para onde quer o impulso do timoneiro. Assim também a língua é um pequeno membro, e se gaba de grandes coisas. Vede quão grande bosque um tão pequeno fogo incendeia. A língua também é um fogo; sim, a língua, qual mundo de iniqüidade, colocada entre os nossos membros, contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, sendo por sua vez inflamada pelo inferno. Pois toda espécie tanto de feras, como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se doma, e tem sido domada http://www.blogger.com/img/blank.gifpelo gênero humano; mas a língua, nenhum homem a pode domar. É um mal irrefreável; está cheia de peçonha mortal. Com ela bendizemos ao Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. Da mesma boca procede bênção e maldição. Não convém, meus irmãos, que se faça assim.”Tiago 3.1-10

Não me considero religioso no sentido que costumamos dar à palavra mas, por outro lado, consegui controlar o que me veio à boca na situação que acabei de passar.

Isso me faz lembrar de um filme que adoro chamado Alguém Para Dividir os Sonhos (em inglês, "The Saint of Fort Washington"). Em um determinado momento do filme, um dos moradores de rua estava em um cruzamento limpando o para-brisas de um carro parado no farol quando o motorista (um riquinho qualquer, acompanhado de uma perua que deveria ser sua esposa) abre o vidro do carro e grita para ele:

“Seu vagabundo, por quê você não arruma um trabalho?”

O quê ele não sabia era que a mulher daquele pobre homem estava grávida e tinha acabado de cair de uma escada, perdendo o filho. Este casal estava prestes a retornar para sua cidade natal e seus sonhos foram por água abaixo. A cabeça dele estava, literalmente, fervendo...

Este homem olhou para o motorista do carro e disse...

“VOCÊ DISSE QUE EU SOU UM VA-GA-BUN-DO?”

...e simplesmente começou a destruir o carro do idiota do motorista, gritando para ele que não era vagabundo p%!*&@ nenhuma. Se não fossem os outros colegas deste pobre rapaz ele teria sido preso pela polícia, que tinha visto o ocorrido e corriam em sua direção.

O que quero dizer com isso? Quero dizer que tem momentos que você ouve certas palavras que atingem o nervo mais sensível de sua alma. Aquele rapaz não era um vagabundo. Ele era mais um desgraçado pela sociedade que o consumia dia após dia e estava fazendo seu melhor para não se entregar àqueles que o utilizavam como lenha para a fornalha do sistema.

A palavra “vagabundo” simplesmente não cabia para ele. Morar na rua não era uma das opções que este homem tinha. Era a única opção honesta que ele tinha. Seu espírito não era o de um mendigo, ele “estava mendigo”, algo circunstancial. Ele tinha uma boa esposa, ele tinha sonhos e ele lutava bravamente com o quê ele tinha em mãos para poder conquistar uma situação um pouco melhor em sua vida, na tentativa de resgatar a dignidade.

Numa seqüência de eventos fora de seu controle, sua vida deu uma guinada e ele se encontrava naquela situação. Não desistiu e estava atravessando um momento pior do que o pior que ele já costumava lidar. Para coroar a desgraça vem este miserável deste riquinho, totalmente alheio à dureza da vida, e fala a merda que falou para aquele homem. A bomba explodiu e quem é que atira a primeira pedra numa situação dessa?

Parece que eu mudei de assunto mas não mudei. Coloque este tipo de situação no contexto inicial para que fique claro o que tento falar. Uma pessoa cruza seu caminho, totalmente mergulhada em seu mundinho ridículo, fora da realidade e fala – entre todas as outras coisas que ela poderia falar – que você é isso ou aquilo, ou que tal coisa deveria ser assim ou assado e você não estava se enquadrando.

O problema é que se enquadrar significa que você deva ser uma pessoa fútil, uma pessoa que faz o jogo que os outros fúteis fazem para ficar levar uma vidazinha medíocre mas aparentemente de sucesso. E isso eu nunca fiz, não faço e nunca farei.

Dependo do Senhor, não dos homens. Não trato ninguém mal mas também não trago maçã todos os dias para a professora visando que ela me dê uma notinha melhor na avaliação. Se é é, se não é não é. Sem muita idéia, pois estas são utilizadas para princípios muito mais elevados.

Perdoem-me pelo desabafo, se é que alguém vai ler este texto...

Reações:

7 comentários:

  1. Perdoem-me pelo desabafo, se é que alguém vai ler este texto...




    Eu li irmão.


    JC Fique tranquilo irmão, o cão sempre vai enviar um dos seus filhotes pra tirar o sossego de gente boa. Fico feliz de ver que você sabe como reagir.

    Escreva mesmo, escreva sempre...

    Forte abraço !!

    ResponderExcluir
  2. Caramba, pastor!

    Pelo visto, tivemos a mesma indignação. (Pra variar rss)

    Pois tenho uma postagem na gaveta desde ontem que tem certa relação com essa e que enfoca a 'ajuda' travestida de manipulação.

    Não postei hoje porque me veio 'dicunforça' aquela reflexão colocada hoje.

    Daqui pra o final do dia estarei postando e vc me diz se não tem a ver...

    Beijo grande!

    R.

    ResponderExcluir
  3. Afff troquei as bolas rss

    Enfoca a manipulação travestida de ajuda.

    bj

    ResponderExcluir
  4. E mais: o título desta postagem é bem a minha cara. (Normal rss)

    Eu também prefiro escrever!!!

    bj

    ResponderExcluir
  5. Bispa, na verdade a minha vontade é sair na voadora, depois falar um monte, depois escrever e - aí sim - contar até dez... rsrs

    Brincadeira: Se eu continuar falando assim vão descobrir que o velho homem está só amarradinho num canto!

    Deixe eu ler seus testículos e já comento.

    ResponderExcluir
  6. Ah "Derrrrrrlei"...

    Confesso que não é fácil, esta tal de "carne x Espírito" e vice versa às vezes deixa a gente só no pó.

    E, 'craro', obrigado por ter lido, rsrs

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...