Labels

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Ano do Jubileu


“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. (...); ...tempo de estar calado e tempo de falar”. - Eclesiastes 3:1,7b

Está sendo muito difícil voltar a escrever. Não se trata de tempo livre, pois sempre consegui intercalar minhas atividades aos momentos em que eu dedicava a este prazer que é escrever.

Assuntos não faltaram, insigts a cada conversa iam e vinham, mas nada de parar e sentar para escrever. Este texto, obviamente, está sendo escrito na marra e é muito repetitivo, pois já tratei deste assunto outras vezes. Entretanto, decidi analisar o quê vinha acontecendo para que não passasse para a palavra escrita o que se passava em meu coração.

Não sei se é uma desculpa, mas decidi espiritualizar o assunto. E o texto acima, de Eclesiastes, acabou servindo como meu álibi para escrever ou não escrever...

Creio eu que há momentos em que temos que recolher, reduzir, simplificar ou – apenas – viver o que está acontecendo, sem que isso tenha que ser compartilhado. São momentos pessoais, você e Deus, você e a pessoa que despertou o assunto, você e a Palavra. Nem tudo deve ser compartilhado.

Senti que uma espada estava desembainhada à minha frente, limitando meu espaço, bloqueando meu caminho para continuar. Inicialmente achei que era apenas uma entressafra como outra qualquer, mas esta passou a tomar proporções preocupantes, visto que meu último texto fora escrito em 5 de maio deste ano! Desde que inaugurei este blog, nunca fiquei tanto tempo assim sem escrever.

O problema estava em aceitar este ano do jubileu. Como acabei de pesquisar ao lembrar deste período, encontrei um texto sobre o Ano do Jubileu em um site e extraí a seguinte definição deste período:

“Antigamente, no Yom Kipur do qüinquagésimo ano, tocava-se o shofar na Terra Santa como sinal feliz da libertação dos escravos e o retorno de terrenos a seus donos originais.

A palavra jubileu vem do hebraico, yovel. Refere-se ao carneiro, cujo chifre foi usado para anunciar o ano festivo. Há comentaristas que oferecem mais uma explicação. Dizem que yovel vem do verbo hebraico "trazer de volta", pois os escravos voltavam a seu estado anterior de liberdade, não sendo mais servos de homens e sim apenas do Criador; e os terrenos também voltavam aos proprietários originais.

Além da contagem do ano de shemitá, de sete em sete anos, existe a contagem do yovel - o jubileu, que ocorre a cada cinquenta anos, no ano seguinte ao término de 7 anos sabáticos.

Para um agricultor judeu, é muito difícil não trabalhar os campos e pomares durante um ano inteiro, não podendo dispensar-lhes os cuidados adequados. Que dirá então o quão difícil é para ele não trabalhar a terra por dois anos seguidos! O sétimo ano de Shabat Shemitá e o seguinte, do jubileu.”


Assim ficou meu blog. No meu entendimento, um campo sem os cuidados adequados, deixando-me angustiado em querer dispensar algum tempo a ele.

Agora creio que voltarei a escrever, mas no momento oportuno. Neste intervalo, entendo que Deus tratou outros pontos comigo, os quais relatarei quando necessário.

Reações:

5 comentários:

  1. “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. (...); ...tempo de estar calado e tempo de falar”. - Eclesiastes 3:1,7b

    Agora creio que voltarei a escrever, mas no momento oportuno. Neste intervalo, entendo que Deus tratou outros pontos comigo, os quais relatarei quando necessário.

    Esses seus dois parágrafos, embora retratando momentos 100% pessoais, traduzem o sentimento de toda uma coletividade.

    Aguardando por mais, quando possível!

    Bom, é isso...

    (comentário de Wendel, que disse não conseguir comentar aqui...)

    ResponderExcluir
  2. Eu ia dizer que me enquadro 100% nesse texto, mas sou "obrigado" a endossar as palavras do Wendel, já que, pelo visto, há muitos outros na mesma situação!

    Abração e continue na Paz! (você nem lembrava mais desta finalização, não é? rssss)

    ResponderExcluir
  3. Isso apenas mostra que em muitos aspectos, pensamos igual René... kkkkk

    ResponderExcluir
  4. Não lembrava mas sentia falta...

    Acho que aos poucos retorno aos devaneios escrevinhados, rsrs

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...