Labels

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Me desamparaste?

"E desde a hora sexta houve trevas sobre toda a terra, até à hora nona. E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" - Mateus 27:45-46

Faz anos que não escrevo, e isso não se dá por falta de assunto, mas falta de tempo por agora ser pai com idade de ser avô, falta de vontade (antes fluía mais facilmente),relaxo, etc...

Desde minhas últimas postagens, quem chegou a ler deve ter notado que fui me tornando mais triste, mais seco, decepcionado com sistemas e pessoas. Quem conviveu comigo e leu estes últimos textos amargos, deve ter notado que se tratavam de diretas dadas na cara de muitos, e não me orgulho disso nem um pouco. Simplesmente vomitava minha dor pelos dedos...

Paralelo à minha dor pessoal, vi muitos ao redor também sendo esbofeteados pela vida. Verdadeiros irmãos em Cristo, queridos amados sendo engolidos lenta e sadicamente, torcidos e amassados pelo sistema de coisas como numa prensa que extrai até a última gota de lágrima, deixando-os (deixando-nos) como bagaço seco, jogados pelo caminho, aguardando alguém colher nossos restos e incendiar. Os melhores momentos da vida se passaram, restando a sensação fria de estar apenas cumprindo tabela enquanto aguarda o fim do campeonato.

Fazendo uma retrospectiva, lembro de muitos erros que cometi contra minha própria vida. Vejo que poderia ter amado mais, gasto menos, "brigado" mais, valorizado pequenos detalhes que deixei de lado, mas, como tinha que sobreviver neste caos, me tornei frio, duro, estéril, mecânico, automático...

Houve momentos que cedi em assuntos extremamente delicados e essenciais até para minha subsistência, tendo perdas pessoais gigantescas, sendo caluniado por pessoas extremamente próximas. Para não aumentar minha dor e manter o pouco de sanidade mental que me restou, guardei meu coração machucado e me calei, pois sei que se me defendesse, estraçalharia com minha metralhadora oratória quem se levantou caluniosamente contra mim.

Me afastei de pessoas que amo, mas que foram "possuídas" pelos "Drs. Smiths" da Matrix e me atacaram como zumbis. Perdi sem lutar pelo meu emprego, pois lutaria com pessoas fracas moral e espiritualmente, mas que estavam querendo me destruir. Alguns acreditam que fui fraco. Hoje meu bolso grita por ter cedido, o pão nosso de cada dia está vindo minguado, seco e pela misericórdia de pessoas que Deus tem usado.

Ai me pergunto: Valeu a pena tudo isso Deus? Valeu a pena dar a outra face? Foi sábio entregar não somente a túnica, mas também a capa? Minha vida está virada de cabeça para baixo, meu corpo adoece e não tenho como tratar, não tenho mais noites de descanso, deitando e vendo tudo rodar ao meu redor, como se estivesse no olho do furacão (onde se diz ser mais tranquilo) vendo boa parte de minha vida sendo levada, enquanto as lentas horas da madrugada se arrastam.

Ilusoriamente acordo (sem ter dormido) cedo, penso e ajo como agi por décadas, querendo tomar banho, fazer um café (enquanto ainda tem pó, senão vai o requentado no micro-ondas do dia anterior), me vestir e sair para o trabalho. Mas onde está o trabalho que gera renda? O preço que paguei para poder deitar minha cabeça no travesseiro e dormir tranquilamente me tira o sono, pois me vejo abandonado, mesmo tendo negado a parte que me cabia numa cega e infantil confiança...

Não deixei de crer no Senhor, muito pelo contrário! Mas, mesmo crendo, falta muita coisa e não vejo uma solução "imediata" para minhas necessidades. Ai pergunto como Jesus: "Meu Deus, meu Deus! Fui como ovelha muda para o matadouro, perdi grandes e pequenas coisas para não desonrar seu Santo Nome, e agora estou quase mendigando o pão! Por que me desamparaste?"

Jesus foi 100% divino e 100% homem. Mas ele se sentiu SIM sozinho na Cruz (e não me venha falar que Ele apenas "citou o Salmo 22:1, dizendo DEUS meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxílio e das palavras do meu bramido?").

Também me sinto SÓ meu Pai. Está doendo, ideias idiotas rondam minha mente, o Inimigo me tenta como Jesus foi tentado no monte, zombando de mim e perguntando a razão de minha fé não transformar pedras em pães...

Todavia, vem o toque de realidade de quem tomou a pílula vermelha, aquela que te abre os olhos da fé e dá as devidas dimensões de que esta realidade "Matrixiana" palpável é mentirosa e ilusória.

Mas "todo o resto" tomou a pílula azul e seguem com suas vidas sob "controle". É um conflito de emoções, não aguento muito tempo. Abrevie estes dias Senhor, pois senão não iremos aguentar.

Não consigo imaginar um final para este texto, me desculpem...











Reações:

3 comentários:

  1. O final do texto teria que ser escrito depois que subissem as letrinhas e o famoso "The End".
    O mais importante é sempre o que vem depois:depois de vislumbrar a promessa sentado sobre um alto monte, depois da cruz... mas esse "depois" só tem a importância que tem, por conta de todo esse "antes" que você descreveu, porque ele é a Justiça de uma Lógica que nenhum mortal está apto a compreender!

    ResponderExcluir
  2. É meu amado amigo, fruto do que vivemos versus nossa conversa de ontem...

    ResponderExcluir
  3. Não diria "versus", mas "somado a"...

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...