Labels

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Minha Letra Escarlate



Senti que deveria postar novamente - texto de meados de 2009...


Esta é a sinopse do filme A Letra Escarlate:

A trama se passa em Boston no ano de 1666 envolvendo uma mulher chamada Hester Prynne. Ela é totalmente submetida à vergonha por haver cometido adultério contra seu marido que está no mar. Hester é presa e logo após é retirada da cadeia e levada à outra cidade. Lá ela é obrigada a usar uma letra 'A' vermelha que a identificava como adúltera. Ela permanece aguardando a chegada do marido, entretanto seu marido nunca chega à cidade. É tomado por hipótese que o marido morrera em sua jornada ao mar. Hester então é forçada a ganhar a vida como costureira para sustentar a si e à filha chamada Pearl. Hester conhece Arthur Dimmesdale, um clérigo, que convence a comunidade a parar de evitar Hester e a filha. Pearl é constantemente atormentada pelos pecados da mãe e por isto sofre muitas perseguições.

A estória não acaba aqui, mas retirei o restante para não ficar enfadonho demais. O ponto que queira frisar era o da marca feita no corpo da adúltera, a letra escarlate.

Este é o resumo de um dia de um João qualquer:

Ele acorda, toma um banho, escova os dentinhos, coloca uma roupa e vai para a rua. Pega um ônibus e diz bom dia ao motorista e ao cobrador. O motorista não responde por estar concentrado. O cobrador dá um sorriso amarelo e faz aquela cara de ‘passa logo por esta roleta pois ela está no meio das minhas pernas’. Normal. Chegando seu ponto ele desce e anda até o prédio onde fica seu escritório. A menina da portaria quando está de bom humor responde ao seu ‘bom dia’ com um ‘e ai, tudo bem?’ sem nem ao menos olhar para ele. Na verdade ela não quer saber se ele está bem ou não. Ele engole a tristeza e responde ‘tudo bem’, apenas para dar prosseguimento ao protocolo.

Nos locais onde ele costuma freqüentar, como seu trabalho, igreja ou academia, uns o cumprimentam desejando bom dia, outros o abraçam ou lhe dão um beijinho, alguns desejam 'A Paz do Senhor'. Aqueles que sabem do momento que ele está atravessando perguntam: 'E ai, como você está?' Mas ele aprendeu que destes que perguntam, nem todos querem saber realmente. Poucos são sinceros, sabem da sua dor e querem dividir o fardo. A grande maioria perguntam querendo apenas ouvir dele a resposta politicamente correta de que está tudo bem. O problema é aquela letra. Todos vêem que em seu peito existe uma letra 'A' marcada a ferro, e procuram evitá-lo. Ele se tornou para estas pessoas um poço de areia movediça, e elas procuram evitá-lo, pois a dor dele o transformou em alguém emocionalmente contagioso. O tratam como os leprosos eram tratados no Antigo Testamento. A sociedade, por não saber lidar com aquela doença, os excluíam do convívio com os considerados sadios. Tinham que viver em locais específicos, onde só tinham os doentes sem esperança. Se eles ousassem entrar na cidade, as pessoas começavam a gritar 'Imundo! Imundo' e os expulsavam a pedradas.

E é assim que as coisas acontecem em um dia normal de um João qualquer. O que dói em seu coração é ver estampado na cara de algumas pessoas a expressão de quem cochichou ao que está ao lado: 'xiiii, lá vem ele’. No começo ele até sentia vergonha e dor por estar com a letra escarlate no peito, mas com o tempo ele se acostumou. Na verdade o que ele mais quer é que quem não quer saber como ele está não pergunte nada, pois ele está cansado de ter que contar a mentira que eles querem ouvir.

Esta tem sido a razão do João qualquer preferir ficar sozinho. Ele gosta é de ficar quietinho no colo de Jesus, pois Ele não tem vergonha da letra escarlate queimada à fogo no peito do João qualquer. Para Jesus, João não é um qualquer. Ele tem paciência de ouvir João chorar, Ele não interrompe quando ele está desabafando, nem fica magoado quando João qualquer deixa escapar um pouco de sua dor e sem querer fala algo que O magoe.

Ele sabe o que é dor. Ele viveu a solidão no Getsêmani e na Cruz do Calvário. Ele carregou a maior de todas as letras escarlates, quando levou nossos pecados naquela Cruz. A minha e a sua Cruz.

Reações:

14 comentários:

  1. Tem um João desses por aqui, não sei onde, mas eu o conheço.

    As vezes se cansa, as vezes quer colo, as vezes não responde os desejos mentirosos de bom dia dos cínicos.

    Quase sempre o João daqui, quer colo, mas aprendeu que ser forte é sair do colinho e ir a luta. Por isso se frustra tanto.

    Mas a marca que ele carrega já não dá mais pra esconder, não está só mais no peito, já estampou-se em sua face!

    Linda postagem João, quando encontrar com seu homônimo por aqui, darei o link pra que ele leia...
    (srsrsrsrsrsrsr)

    Abraços, porque amplexos é coisa de frutinha!
    rsarsarsarsarsarsa

    ResponderExcluir
  2. Ah, pastor...

    No meu peito também tem essa letra escarlate, marcada com sangue que eu faço questão de mostrar.

    Não me importo de ser motivo de deboche ou de comentário pernicioso.

    Eu quero é DEUS! Com todas as letras maiúsculas!!!

    Ósculos e amplexos de frutinha rsss

    ResponderExcluir
  3. o filme é muito bom mesmo. quanto ao teu texto, está soberbo. todos nós temos nossas letras escarlates, eu por exemplo, tenho o alfabeto todo marcado em mim.

    abraços

    ResponderExcluir
  4. JC,

    Acho que a "letra escarlate" é marcada no corpo de todas as pessoas, em algum momento de suas vidas. A sociedade parece querer se justificar de seus próprios erros, elegendo, todos os dias, alguém que seja o terrível infrator da lei que ela mesma quer convencer a todos que não infringe.

    É como disse o Caio, certa vez, em outras palavras: a sociedade constrói prisões de segurança máxima pra se justificar. Ela se planta do lado de fora dessas prisões dizendo que aqueles que estão lá dentro merecem estar lá, não ela. Porque aqueles cometeram infrações graves, não ela. Ao mesmo tempo, essa sociedade aceita para si a corrupção com o dinheiro que impediria que muitos morressem de fome, ou de sede.

    Também vejo que, enquanto alguém se acha parte da sociedade, comete todas as atrocidades desta. No entanto, no momento que esse alguém é eleito a bola da vez, se desespera, arranca seus cabelos perguntando o porquê de tamanha injustiça. Se esquece completamente daquilo que passou a vida semeando e regando. Não percebe que acabou de receber os frutos daquilo que plantou, ou do que incentivou a ser plantado.

    A grande diferença entre essas pessoas marcadas está na sua reação ao chegar ao fundo desse poço: alguns, lutam desesperadamente pra se ressocializar, pra mostrar que tudo não passou de um grande engano e que são justos o suficiente para voltarem ao convívio da massa. Não querem parecer loucos. Não querem parecer menores do que os outros. Assim, passam a atirar pra todos os lados e se tornam justiceiros piores dos que fazem parte do grupão.

    Mas outros... Outros se tornam o 'João qualquer': negam-se a si mesmos, dia a dia, tomam sua cruz e seguem Àquele que sabe o que é justiça e que destila amor por todos os poros. A sociedade, como fonte de paz e segurança e sentimento de 'estar contido', já não interessa mais, pois tudo isto é falso. Então, seguem a Verdade: Jesus!

    Abração!! Paz!!

    ResponderExcluir
  5. Caraca, velho....
    por isso que eu gosto do René, cara!
    E ele ainda diz que não pode comparar seus textos aos nossos... ou é muita humildade ou o cara (como diria um certo paulista radicado no Rio) 'tá tirando' uma conosco... (pode?)

    Quanto a Rê Bispinha,
    concordo plenamente em assumir a letra escarlate, mesmo que haja depreciação da sociedade vendida de hoje (e de sempre).

    Cara,
    Deus fez muito por mim ao permitir d'eu conhecer vocês!
    Ah, o João daqui já leu o João daí (rsrsrsrs).

    ResponderExcluir
  6. O René TN é fake brother...

    O cara deve ser a quarta pessoa da Trindade e fica fingindo que é novo na fé... quem aguenta isso?

    Outra coisa: Eu que digo que fui abençoado por conhecer uma parte muito boa do Corpo de Cristo aqui no mundo virtual!

    Gavinhas

    JC

    ResponderExcluir
  7. Acho que vou ter que jogar alguns montes em cima dos nobres pastores JC e Wendel!!! Só pra mostrar que num tô fingindo... Mas tem um jeito mais fácil de provar isso: num entendi o porquê do "gavinhas"! É por causa do pastor Ervilha?

    ResponderExcluir
  8. Num entendo o Gavinhas também....
    Certamente não é por causa de pastor ervilha pois essa parada num existe no mundo real... magina cara!

    Agora se for jogar monte em cima de mim tu vai usar fé, telecinésia ou vem na mão mesmo?

    Pensa bem que um monte vindo daí pra cá pesa, heim!


    __________________________________________________________

    JC,
    faz um tempão que tô pra te dizer uma parada,
    a Cida Kuntze postou um comentário no meu blog sobre um comentário seu sobre um pastor que todo domingo pregava a mesma palavra lembra?

    Ela disse que daria uma boa postagem e disse que se voce não postasse ela poderia fazer algum dia...
    fala com ela, ou escreva e avisa!

    Vou te arrumar um apelido, tu vai ver só!

    ResponderExcluir
  9. Ora pois pois,

    Me vem com amplexos e fui ao pai dos burros virtual pesquisar o significado. Encontrei um com português de Portugal e encontrei a pérola:

    1. Acto!Ato de abraçar, amplexo; gavinha.

    http://www.priberam.pt/DLPO/default.aspx?pal=abra%C3%A7os

    Só isso, revoltado!

    Ah, apelidos eu tenho uma porrada, fica a vontade chorão!

    ResponderExcluir
  10. Ah, eu acho que vi o comentário da Cida. Até entrei no blog dela pra fuçar e gostei.

    Quanto a parir este texto está nos planos, mas estou com um monte na sequência...

    gavinhas!

    ResponderExcluir
  11. Acho que gavinhas é ainda mais esquisito que amplexos.... daqui a pouco a Biapa vai vir aqui dizer de novo que isso tá ficando esquisito...

    E só pra te responder à altura... revoltado é... bem.... é....

    ah, deixa pra lá!

    ResponderExcluir
  12. Affff quando eu descobrir que idioma é esse eu volto rss

    ResponderExcluir
  13. Pois é,
    essa é a tal 'língua esquisita', prima-irmã da língua estranha que comentei lá no Café Com Leite Crente, menina!

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...