Labels

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Como Moisés e Elias apareceram no monte?


“Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, a Tiago e a João, irmão deste, e os conduziu à parte a um alto monte; e foi transfigurado diante deles; o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, farei aqui três cabanas, uma para ti, outra para Moisés, e outra para Elias. Estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu; e dela saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi. Os discípulos, ouvindo isso, cairam com o rosto em terra, e ficaram grandemente atemorizados. Chegou-se, pois, Jesus e, tocando-os, disse: Levantai-vos e não temais. E, erguendo eles os olhos, não viram a ninguém senão a Jesus somente”. – Mateus 17.1-8

Fui espírita por vários anos antes de me converter. Quando conheci Jesus, senti uma grande vontade de pregar o Evangelho para quem estava envolvido no espiritismo, até que um dia, em meio a um debate com um livreiro e os presentes, vieram com uma pergunta sobre a passagem da transfiguração: Como Elias e Moisés apareceram para Jesus e os três discípulos se você diz que os espíritos não vão de lá pra cá e vice versa?

Procurei argumentar que em Lucas 16.26 está escrito que: “...além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá”.

Recém convertido mas pleno de certeza de que estava trilhando no verdadeiro Caminho, orava pedindo a Deus para encontrar a resposta, até que fiquei de voltar no dia seguinte para continuar o debate. Cheguei em casa arrasado, pedindo a Deus que Ele me revelasse o que tinha acontecido naquele monte. Após muitas lágrimas e oração na presença do Senhor, acompanhadas de uma devassa nas páginas de minha Bíblia de estudo, algo começou a se encaixar.

O que Elias e Moisés tinham em comum no quesito “poder aparecer no mundo dos seres viventes” séculos depois de suas “mortes”?

Pesquisando especificamente sobre Elias, me deparei com um dos momentos mais importantes de sua história. Em 2 Reis 2.9-12 está escrito:

“Havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que eu te faça, antes que seja tomado de ti. E disse Eliseu: Peço-te que haja sobre mim dobrada porção de teu espírito. Respondeu Elias: Coisa difícil pediste. Todavia, se me vires quando for tomado de ti, assim se te fará; porém, se não, não se fará. E, indo eles caminhando e conversando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho. O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai! o carro de Israel, e seus cavaleiros! E não o viu mais. Pegou então nas suas vestes e as rasgou em duas partes”
.

Bem, se os mortos não podem passar de lá pra cá, talvez um vivo possa. Se Elias foi arrebatado, assim como Enoque, então ele foi lá pra riba em vida. Tá certo que carne e sangue não entram no Reino de Deus, mas alguma coisa aconteceu com Elias...

Até aqui, a "resposta" estava parcialmente encontrada, pelo menos ao meu ponto de vista. O problema agora era Moisés! Todos sabemos que Moisés morreu antes de entrar na terra prometida. Como está escrito em Deuteronônio 34.4-7:

“E disse-lhe o Senhor: Esta é a terra que prometi com juramento a Abraão, a Isaque e a Jacó, dizendo: ë tua descendência a darei. Eu te fiz vê-la com os teus olhos, porém para lá não passarás. Assim Moisés, servo do Senhor, morreu ali na terra de Moabe, conforme o dito do Senhor, que o sepultou no vale, na terra de Moabe, defronte de Bete-Peor; e ninguém soube até hoje o lugar da sua sepultura. Tinha Moisés cento e vinte anos quando morreu; não se lhe escurecera a vista, nem se lhe fugira o vigor”.

Teoria falha a minha. Moisés tinha morrido. Mas então como explicar que ele e Elias apareceram naquele monte para trocar algumas idéias com Jesus? Estava numa desgraçada sinuca de bico, sabendo que a Palavra de Deus não se contradiz. Se assim é, alguma coisa deve ter acontecido e eu ainda não tinha encontrado a chave do mistério.

Lá vai eu fuçar mais as Escrituras. Pesquisa aqui, pesquisa ali (e olha que naquela época não existia nem Google nem Bíblia on-line!) e nada de encontrar algo que aconteceu com Moisés no calibre do que aconteceu com Elias.

Volto a ler novamente sobre a morte de Moisés e encontro meio que perdido no texto um trecho aparentemente sem importância: “morreu ali na terra de Moabe, conforme o dito do Senhor, QUE O SEPULTOU NO VALE, na terra de Moabe, defronte de Bete-Peor; E NINGUÉM SOUBE ATÉ HOJE O LUGAR DA SUA SEPULTURA(verso 6).

Ei! O próprio Senhor sepultou Moisés e ninguém sabe até hoje o lugar de sua sepultura! Como explicar isso? Tendo descoberto onde estava a ponta do durex, me reanimei e continuei minha pesquisa.

Fuço mais em minha velha Thompson e passo a buscar tudo a respeito de Moisés. Quase desistindo, chego a um dos últimos textos da Bíblia, localizado no livro de Judas. Ao ler o versículo 9, me arrepiei todo:

"Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e DISPUTAVA A RESPEITO DO CORPO DE MOISÉS, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda".

Deus sepultou Moisés e o próprio arcanjo Miguel disputou seu CORPO no palitinho com o chifrudo!

Agora as coisas, de uma certa forma, começavam a se encaixar!

A resposta que encontrei para que ambos pudessem aparecer a Jesus, perante os três discípulos era a que ambos – de uma forma ou de outra – estavam com seu corpo não mais na terra!

Sei que pode ser muito estranho. Posso também estar errado em minha interpretação. Minha intenção ao escrever sobre isso não é dizer que estou decretando o veredicto em relação ao assunto. Pessoas muito melhor preparadas que eu podem e DEVEM complementar ou discordar de meu ponto de vista. Não sou dono da verdade e estou aprendendo, graças a Deus.

O que sei é que – baseado neste argumento – pude retornar no dia seguinte e me “vingar” da surra de Bíblia que tinha tomado no dia anterior.

P.S:
Resolvi escrever sobre este acontecimento ontem, após ler e comentar o excelente texto do Vanderlei em seu blog Príncipe da Paz. Estava pesquisando onde se encontrava um determinado texto bíblico no Google e caiu no blog dele, que passei a seguir. Em breve ele irá escrever um post sobre este assunto que eu levantei. Vale a pena dar uma passada por lá.

Reações:

26 comentários:

  1. Paz,
    Gosto muito desses assuntos assim cheios de mistérios,é tão bom saber o quanto há poder em nosso Deus,veja Apocalipse 11 que interessante,fala de duas testemunhas,mas carne e sangue não entram no céu,porém,Ele é poderoso para transformar...e em algum lugar estão eles esperando seu momento de voltar,talvez estejam em algum degrau celeste que não nos é permitido compreender...
    Vou por letra maiúscula onde importa pensar...

    Ap 11;3-12
    E DAREI PODER AS MINHAS DUAS TESTEMUNHAS, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco.
    Estas são as DUAS OLIVEIRAS E OS DOIS CASTIÇAIS que estão diante do Deus da terra.
    E, se alguém lhes quiser fazer mal, fogo sairá da sua boca, e devorará os seus inimigos; e, se alguém lhes quiser fazer mal, importa que assim seja morto.
    Estes TEM PODER PARA FECHAR O CÉU,PARA QUE NÃO CHOVA, nos dias da sua profecia; e TÊM PODER SOBRE AS ÁGUAS para convertê-las em sangue, e para ferir a terra com toda a sorte de pragas, todas quantas vezes quiserem.
    E, quando acabarem o seu testemunho, a besta que sobe do abismo lhes fará guerra, e os vencerá, e os matará.
    E jazerão os seus corpos mortos na praça da grande cidade que espiritualmente se chama Sodoma e Egito, onde o seu Senhor também foi crucificado.
    E homens de vários povos, e tribos, e línguas, e nações VERÃO SEUS CORPOS MORTOS por três dias e meio, e não permitirão que os seus CORPOS MORTOS sejam postos em sepulcros.
    E os que habitam na terra se regozijarão sobre eles, e se alegrarão, e mandarão presentes uns aos outros; porquanto estes DOIS PROFETAS tinham atormentado os que habitam sobre a terra.
    E depois daqueles três dias e meio o espírito de vida, vindo de Deus, entrou neles; e puseram-se sobre seus pés, e caiu grande temor sobre os que os viram.
    E ouviram uma grande voz do céu, que lhes dizia: Subi para aqui. E subiram ao céu em uma nuvem; e os seus inimigos os viram.

    Meditemos com temor e tremor,Deus é poderoso e seus mistérios são loucura para nós, eu li em um Apócrifo,e agora me deu um branco não consigo lembrar qual,(depois volto e conto se lembrar e encontrar pra provar rsrssrsrsr)que confirma que são esses as duas testemunhas,quando li fiquei pasma,agora ja me conformei rsrsrs,faz sentido e muito,vamos conversando...

    Abraço amado,Deus te abençoe!!

    ResponderExcluir
  2. A Ritinha, e como faz sentido! Para mim as duas testemunhas são - sem sombra de dúvidas - os dois caboclos em questão: Moisés e Elias.

    Ao reler o texto bíblico com os destaques que você colocou, realmente passou a fazer mais sentido ainda pois os sinais miraculosos que eles fizeram eram exatamente os que eles fizeram durante seus ministérios!!!!!!!!!!

    Eita laiáááááá!!!!!! Gostei disso!

    Amada, fica com Deus tá?

    JC

    ResponderExcluir
  3. Ah Rita!

    Não deixe de ler o texto do Vanderlei, blog Príncipe da PAz. Deixei o link no final do texto. Para mim, ele já se tornou mais um amigo de infância. Prevejo muitos bons debates com ele!

    Você vai ver que ele tem um ponto de vista muito legal em relação ao Elias. Confesso que ele me deixou com a pulga atrás da orelha...

    Fui!

    ResponderExcluir
  4. João, passei pra te dizer que já liberei os comentários lá no blog. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  5. Ai que bom Cláudio! Sem comentário fica faltando este espaço pra trocar idéias, sinto falta...

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Pastor

    Pra ser sincera, eu nunca havia prestado atenção nisso. Acho que porque nunca foi tema que fizesse parte das minhas vivências anteriores(na mesma vida rsss)
    Mas gostei das suas considerações e vou aguardar a do Vanderlei :)

    bj

    R.

    ResponderExcluir
  7. Não seria a disputa sobre o corpo de Moisés, uma metáfora, sobre a disputa sobre o seu legado, sobre o seu povo?

    ResponderExcluir
  8. Marcos, pode ser também!

    Como te disse, no meu entendimento na época foi o suficiente para deixar os espiritas que acharam ter me calado com sua argumentação mais pianinho...

    Ainda mais agora, depois de ler os textos do Vanderlei (que geraram a vontade de escrever sobre isso). Ele deu uma deschavada nos textos e fica muito claro que tanto Elias quanto Enoque foram "arrebatados" mas acabaram aparecendo em outro canto.

    Estou apenas dividindo pontos de vista, discutindo e crescendo dia a dia, graças a irmãos como vocês.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  9. João, também sou ex espírita e a primeira vez que me deparei com esta pergunta, respondi que Elias não morreu e que há um mistério relacionado a morte de Moisés. Depois de muitos anos, creio que:
    Jesus mostrar-Se em glória a Pedro, Tiago e João é muito diferente de invocar espíritos de mortos, pois para Deus TODOS estão vivos, Eu SOU (tempo verbal presente) o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. O que quero dizer com isso é que para o Verbo não há mortos, mas todos vivem.
    Ali era o cumprimento da promessa que alguns dentre os discípulos O veriam em Seu Reino, isto nada tem de semelhante a comunicação com os mortos.
    Abração, graça e paz.

    ResponderExcluir
  10. "Minha intenção ao escrever sobre isso não é dizer que estou decretando o veredicto em relação ao assunto. Pessoas muito melhor preparadas que eu podem e DEVEM complementar ou discordar de meu ponto de vista. Não sou dono da verdade e estou aprendendo, graças a Deus."

    Sensacional, mano.
    Dá gosto de ler quqleur coisa que você escreve.
    Estamos todos aprendendo e quem assim não fizer já morreu.

    abs

    ResponderExcluir
  11. Ah, para ôh!!!!!!

    Quer ler algo lindo que aconteceu comigo através do René? Vê o novo post!

    Beijos

    JC

    ResponderExcluir
  12. João, escrevi mais detalhadamente sobre o que creio sobre este assunto lá no blog, claro que a inspiração veio daqui. Abraço.

    ResponderExcluir
  13. Amado JC,

    Entendo que você chegou ao princípio de uma conclusão acertada: Moisés e Elias não estavam mais na terra! Há muito que entendi o episódio no 'monte da transfiguração', como uma visão dos céus, que aos discípulos fora autorizado terem. Mais do que isto, como bem explicou o Cláudio neste endereço 'http://sustodeamor.blogspot.com/2011/02/sessao-espirita-no-monte-da.html#more', tal visão apontava para o que o próprio Senhor já havia declarado: "A lei e os profetas vigoraram até João (o batista)", ou seja, a lei (Moisés) e os profetas (Elias), haviam passado. Agora havia Jesus: "Este é meu Filho amado, em Quem me comprazo. A Ele ouvi!".

    Agora, algumas dúvidas que normalmente surgem: Moisés morreu e foi sepultado? Sim! É o que diz a Palavra. Mas a Palavra também fala da disputa quanto ao corpo de Moisés, pô! Como é que fica isso? Realiza: Moisés morre no monte. Imediatamente, o diabo pede autorização (cfe. aprendemos em Jó) a Deus, pra fazer com que o povo de Israel encontre o corpo de Moisés e o enterre 'dignamente'. Deus não autoriza e manda o anjo enterrar o corpo, pra que Moisés não seja tomado como um deus, por Israel, acima do verdadeiro Deus e, nem mesmo, acima da lei que Deus havia dado a Israel. O diabo, não satisfeito, tenta convencer Miguel a lhe entregar o corpo de Moisés, permitindo que o povo chorasse sua morte e o enterrasse com as devidas honras. Miguel, diferentemente dos outros anjos que já haviam sido convencidos pelo diabo, não concorda com ele e invoca a interferência do próprio Senhor. Deus interfere e providencia o enterro do corpo de Moisés, como está em Sua Palavra e não permite que o diabo o entregue ao povo. E o diabo tem que obedecer ao Senhor! Assim, toda essa disputa teria sido feita antes do enterro do corpo, impedindo que se suponha que a Palavra do Senhor contenha uma mentira e de se supor que o corpo tenha sido levado aos céus.

    Outra dúvida comum é quanto ao arrebatamento de Elias. Ele teria sido trasladado para outro lugar na terra, ou para os céus, como afirma a Palavra? Prefiro crer na Palavra. Mas como seria isto possível, se carne e sangue não podem entrar no Reino dos céus? Ora, Paulo não afirmou que foi arrebatado aos céus? Foi e voltou, mas foi! De alguma forma, isto é possível! E o próprio Paulo diz que o arrebatamento da Igreja pressupõe uma transformação imediata do corpo corruptível em incorruptível. Se é possível ser feito com tantas pessoas (a Igreja), não seria possível ser feito com Elias? Certamente que sim!

    Um pequeno detalhe pra você, JC: Elias não subiu em uma carruagem de fogo. Esta separou Elias de Eliseu. Logo após isto, Elias subiu aos céus em um redemoinho.

    Sobre a postagem do Vanderlei, que eu também achei bastante interessante, eu faria uma ressalva: a conclusão a que ele chega, parte de uma premissa da qual eu discordo. Ele diz que, para Jeorão ter recebido uma carta de Elias, seria necessário que Elias ainda estivesse vivo, respaldando este pensamento no fato de que a carta continha detalhes sobre fatos recentes. Discordo, porque considero bastante plausível Elias ter escrito essa carta antecipadamente, afinal, ele era profeta. Lembram do Isaías profetizando sobre Ciro, pelo nome, mais de 150 anos antes que Ciro existisse, ou mesmo o Império Medo-Persa?

    É isto: minha opinião, a qual espero que sirva como contribuição.

    Abraços a todos e muita Paz!

    ResponderExcluir
  14. Oi,
    Voltei só pra sugerir um estudo sobre o assunto,que acho bem relevante,se te interessar visite,um abraço em Cristo.

    http://solascriptura-tt.org/EscatologiaEDispensacoes/Apoc11TestemMoisesElias-Ruckman.htm

    ResponderExcluir
  15. Ritiiiiiiiiinhaaaaaaa...

    Ia ler na tela mas é muita coisa! Acabei de imprimir, será minha lição de casa.

    Obrigado pelo toque!

    ResponderExcluir
  16. Se a gente fosse filho de adão e eva, como explicar, negros, brancos, indios, japoneses, todos os tipos de sague diferentes etc...

    ResponderExcluir
  17. TRANSCOMUNICAÇÃO ESPIRITUAL

    Finalmente, uma das maiores de todas as realidades, o entrelaçamento que conjuga as duas naturezas: material e espiritual, se nos apresenta nesta revelação imortalista do Evangelho, a boa nova de Deus aos homens.
    Jesus convida os apóstolos mais perceptíveis e consagrados à sua causa: Pedro, João e Tiago, e se dirigem em particular ao monte Tabor que ficava nos arredores de Jerusalém, a fim de buscarem forças através da oração edificante. E no decorrer da vibração da prece: o Senhor se transfigura em radiante luz; o seu rosto resplandece como o sol no seu fulgor; as suas vestes transmutam-se num foco de intensa luminosidade espiritual, e neste sublime momento lhes aparecem duas criaturas plenamente redivivas que fluem das dimensões superiores do cosmo espiritual e se materializam fluidicamente: Moisés que vivera há 13 séculos; e Elias que existira há 9 séculos, e que recentemente desempenhara outra missão na personalidade de João, o Batista

    E diante daquela visão luminosa no monte Tabor, os espíritos benfeitores comunicam acontecimentos que iriam brevemente desenrolar-se na cidade de Jerusalém sob a influência fanática dos sacerdotes do Templo de Jerusalém que eram seguidores intransigentes do Antigo Testamento; cobertura corrupta das autoridades políticas; e com aplauso ignorante da massa popular, e que fatalmente culminaria com a prisão e morte de Jesus no Gólgota. Não foi apenas uma simples visão espiritual, e sim uma transcomunicação em glória, segundo o apóstolo Lucas 9. 28 a 31 que afirma: os quais (Moises e Elias) apareceram e falaram do calvário a cumprir-se na cidade de Jerusalém.

    Que reflexionem todos aqueles que queiram negar as manifestações espíritas!

    Tudo é possível para aquele que crê, e complementa o Mestre Jesus em João cap 14 vers 12 a 14: obras maiores que essas realizareis...

    Quanto ao fato verificado na materialização fluídica do espírito Elias, manifestando-se visivelmente na forma e ubiqüidade da encarnação antiga. E, se recentemente vivera a experiência carnal na pessoa humana de João Batista. Pois o próprio Mestre esclarece este fato, de que Elias e João Batista é mesmo ser espiritual, em reencarnações diferentes, conforme testemunho de Jesus em Mateus cap 11 vers 10 a 14.

    Estava-se fechando um cerco terrível de perseguições aos trabalhadores da evangelização primitiva por parte do governador da Judéia, que autorizara a prisão de João Batista e conseqüentemente, dias após a sua reclusão, ordenara a sua morte por degolamento durante os festejos do natalício de Herodes, vide Mateus cap 14 vers 6 a 12.

    E alguns meses depois da morte física de João Batista é que ocorre o fenômeno da transfiguração de Jesus, no monte Tabor.

    - Por que, então, no monte Tabor, aparece o perfil do espírito Elias, ao invés de apresentar-se na forma de João, que era a figura mais recente de sua reencarnação?


    http://vozqclamabr.blogspot.com/
    Intensivo de Difusão Espiritualidade Evangélica - IDE

    ResponderExcluir
  18. TRANSCOMUNICAÇÃO ESPIRITUAL

    - Por que, então, no monte Tabor, aparece o perfil do espírito Elias, ao invés de apresentar-se na forma de João, que era a figura mais recente de sua reencarnação?

    Nada de sobrenatural!!!
    E nem derrogação das causas naturais que regem os dois planos de vida: material e espiritual. Tudo, enfim, se assenta no poder imensurável da Criação de Deus e na grandeza da vida universal. A Ciência humana atualmente estuda o princípio das mutações físico-químicas de algumas bactérias, que apesar de ser a menor forma de vida na Natureza, e encara esses estudos de mudança de formas desses organismos de modo natural. Ampliando-se os horizontes da vida, na dimensão espiritual dos espíritos superiores, como é o caso de Elias/João Batista, O SER tem a faculdade, liberdade, e poder de se transmutar em uma configuração de veste espiritual de suas vidas passadas, e se apresentar nessa forma perfeitamente normal.


    DEUS ESTAVA DANDO MAIS UMA LIÇÃO AOS HUMANOS, DA GRANDEZA DA VIDA, E IMORTALIDADE DA ALMA. POIS PARA DEUS NÃO HÁ IMPOSSIVEL, TODAS AS COISAS SÃO POSSIVEIS!

    O que se alcança no plano das energias materiais realiza-se com muito mais perfeição no reino inteligente do espírito imortal. “A ubiqüidade, a bicorporidade e a transfiguração do Espírito são fenômenos plenamente naturais na existência espiritual dos seres inteligentes (cap. VII, O Livro dos Médiuns, Allan Kardec)”.

    As experiências vividas pelo espírito em suas reencarnações não se perdem no tempo; e sim, ficam armazenadas na subconsciência etérea do Ser, que pode naturalmente pela vontade divina e força elástica da mente extrafísica, reassumir as suas lembranças e formas gravadas no espaço de suas existências, sem prejudicar o todo de suas vestes espirituais – o períspirito. Isso ocorre naturalmente com espíritos de grande evolução já lapidados no fluxo das reencarnações.

    Além dessas verdades, a Providência Divina estava reservando à humanidade futurista, com a gloriosa transfiguração e materialização espiritual - profundas noções de imortalidade da Alma.

    Moisés simbolizava a justiça – o decálogo;
    Elias representava os profetas do Senhor.

    Para Deus não existe o impossível, e para os homens o nada é ignorância de causa e as trevas ausência absoluta de luz. A Terra, na sua imensa trajetória orbital que obedece às leis físicas e espirituais da mecânica celeste, não é apenas uma gigantesca bola a esmo no espaço. E sim, uma grandiosa estrutura de forças vivas delineadas pela Sabedoria de Deus para desenvolvimento dos seres inteligentes que moram na sua superfície material e dimensões etéreas do extrafísico.



    http://vozqclamabr.blogspot.com/
    Intensivo de Difusão Espiritualidade Evangélica - IDE


    ResponderExcluir
  19. A TRANSFIGURAÇÃO DE JESUS

    Relata o evangelho de Mateus, cap 17, vers 1 a 13
    Consultar também evangelho de Lucas cap 9 Vers 28 a 36

    Tomou Jesus consigo a Pedro, Tiago e João e os conduziu em particular a um alto monte.
    E transfigurou-se diante deles, e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz.
    E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com Ele.
    E Pedro tomando a palavra disse a Jesus: Senhor! Bom é estarmos aqui, se queres, façamos aqui três tendas, uma para Ti, uma para Moisés, e uma para Elias.
    E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo, escutai-o
    E os discípulos, ouvindo isto, caíram sobre seus rostos, tiveram grande medo.
    E aproximando-se Jesus, tocou-lhes, e disse: Levantai-vos, e não tenhais medo...
    E, erguendo eles os olhos, ninguém viram senão unicamente a Jesus.
    E, descendo eles do monte, Jesus lhes ordenou, dizendo: A ninguém conteis a visão, até que o Filho do homem seja ressuscitado dos mortos.
    E os seus discípulos o interrogaram: Por que dizem então os escribas que é mister que Elias venha primeiro?
    Jesus lhes respondeu: Em verdade Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas;
    Mas digo-vos que Elias já veio e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do homem.

    Então entenderam os discípulos que lhes falara de João Batista.

    http://vozqclamabr.blogspot.com/
    Intensivo de Difusão Espiritualidade Evangélica - IDE

    ResponderExcluir
  20. RELATOS AMBÍGUOS DO ARREBAMENTO DE ELIAS


    Depois da morte do rei Salomão surgiram conflitos religiosos internos entre as tribos do povo hebreu (cisma), ocasionando divisões políticas: Reino de Judá, com a capital em Jerusalém; Reino de Israel que ficou sendo governado por Jereboão, com a capital em Samaria, e que aliou-se aos fenícios outrora inimigos mortais do povo israelita. E no decorrer das sucessões e reinados implantou-se o paganismo como religião oficial em Israel, tendo em Jezebel mulher do rei Acabe, o elo principal dessa usurpação.

    O profeta Elias contraíra perigosos inimigos por causa das execuções (mortes) que ordenara motivada pelas divergências religiosas, primeiramente aos profetas de Baal responsáveis pela propagação dos rituais pagãos em Israel (I Reis 18. 17 a 25) e, em seguida à cavalaria israelita, que era uma corporação militar que prestava segurança aos sacerdotes de Baal.

    O profeta Elias era um líder comunitário, e como tal exercia muita influencia sobre o povo, arrebanhando os seus seguidores que executavam as suas ordenações rigidamente I Reis 18. 17. Para diversos opositores Elias incentivara a degolação a fio de espada I Reis 18. 40, e a outros a maldição da morte através da fogueira II Reis 1. 9 a 14.

    E por várias vezes Elias fora ameaçado de morte nas regiões de Betel e depois em Jericó... Em toda aquela região existiam: profetas, filhos de profetas, e profetas de Baal... Somente profetas de Baal eram 450. Entretanto Elias se considerara o único profeta do povo judeu (I Reis 18. 22). Com tantas ameaças religiosas Eliseu até intercedera respondendo aos filhos de profetas: calai-vos, como quem diz assim: fiquem quietos..., conforme está registrado em II Reis capítulo 2 versículo 3 a 5.

    Compreenda-se nesses relatos que se este arrebatamento fosse de ordem celestial e um plano idealizado pelos poderes divinos, JAMAIS outras pessoas da mesma época, como os filhos dos profetas (II Reis 2. 5) saberiam dessa ação que estava sendo planejada no plano invisível de Deus. E se há vazamento de informações nessa ação do rapto de Elias conforme apreendemos em II Reis 2. 5 ... Pois a palavra arrebatar tem esse sentido também de raptar. E o profeta Elias já se mostrava bastante preocupado com esse desfecho, que era as ameaças de sua morte: I Reis 19. 10 e 19. 14

    NA ÉPOCA ERA MUITO COMUM MATAR ADVERSÁRIOS RELIGIOSOS EM FOGUEIRAS queimando e destruindo as cinzas do inimigo, e depois as jogando no ar à beira de rios e encostas. E o fogo era produzido por fricção de duas pedras sobre a madeira ressecada no sol. Pois naqueles tempos não era conhecida a tecnologia de acender o fogo com fósforos, isqueiros etc... E com isto os povos primitivos maravilhavam-se que o fogo procedia do céu.

    O profeta Elias, homem físico, provavelmente fora executado pelos cavaleiros de Israel, corporação militar daquele reinado nessa época em conflito religioso com a Judéia, e que estava a serviço de Baal, e em perseguição atroz de Elias, tipo esquadrão da morte, guerreiros que andavam naqueles vales e desertos em CARRUAGEM puxada por FOGOSOS CAVALOS, vejam só o relato de Eliseu logo após o arrebatamento/rapto de Elias dando essas provas. O que vendo Eliseu, clamou: Meu Pai, meu pai, CARROS DE ISRAEL E SEUS CAVALEIROS!!! (II Reis 2. 12) E depois conclui o relato bíblico: NUNCA MAIS ELIAS FOI VISTO, claro Eliseu presenciou o fato e ocultava-o em segredos temendo também a sua integridade física.


    Intensivo de Difusão Espiritualidade, I D E
    http://vozqclamabr.blogspot.com/


    ResponderExcluir
  21. FATOS ESPÍRITAS NO ARREBATAMENTO DO PROFETA ELIAS:

    De conformidade com o período em que sucedeu o ato do arrebatamento do profeta Elias para os planos da vida celestial, reinava em Judá, berço pátrio de Elias, o rei Josafá por volta dos anos 850 antes do Cristo (2 Reis 1. 17).

    E, 10 ANOS depois do arrebatamento espiritual do Profeta Elias para o Céu, foi enviada uma carta escrita de próprio punho pelo profeta Elias para o sucessor de Josafá, nessa época Jeorão (2 Reis 8. 16), criticando a corrupção moral de seu governo e vaticinando flagelos que cairiam sobre o povo (2 Crônicas 21. 12).

    Curiosidades bíblicas:
    Como Elias escreveu essa carta, 10 ANOS DEPOIS do seu arrebatamento para a dimensão celeste? SE o mesmo já não mais pertencia ao plano físico carnal ?!

    Provavelmente utilizou a psicografia através da mediunidade de Eliseu, o seu auxiliar direto, vide na Bíblia depois do arrebatamento de Elias essas evidenciais em 2 Reis 2. 15: “O ESPÍRITO DE ELIAS REPOUSA SOBRE ELISEU”.


    Intensivo de Difusão Espiritualidade – I D E
    http://vozqclamabr.blogspot.com/




    ResponderExcluir
  22. ESPIRITUALIDADE NO EVANGELHO DE JESUS


    QUE AS SEITAS FANÁTICAS FARISAICAS DA ATUALIDADE NEGUEM E CONDENEM ESTAS GRANDES VERDADES, E CONTINUEM ASSIM APEDREJANDO A ETERNA BOA NOVA DE JESUS.

    Jesus ensinou e comprovou que a morte física não finaliza a existência e sentimentos do ser (vide ensinamento no evangelho de Lucas 16. 19 a 31).

    E APROVOU PELAS ATITUDES E ATOS:

    1) A continuação da vida espiritual em outras dimensões do Universo...

    2) Conversou no monte Tabor, na presença dos apóstolos, com os espíritos Moisés e Elias (profetas do Antigo Testamento que viveram, na Terra, há mais de mil anos antes da era cristã) (Mateus 17. 1 a 13)

    3) Pregou a boa nova de amor, paz e perdão até para os “espíritos em prisões” na dimensão extrafísica do Astral, os quais vagavam em trevas desde o período diluviano (cerca de 5000 anos antes da era cristã). Em outras palavras: as almas das pessoas que viveram na Terra, desde a época de Nóe, e que já eram falecidas na existência carnal, e que estavam errantes em trevas no plano astral (I Pedro 3. 18 a 20) (I Pedro 4. 6)(Efésios 4. 8 a 10)

    4) Restabeleceu o equilíbrio mental de pessoas que sofriam perturbações espirituais. E também conversou caridosamente com a legião de demônios que promoviam o assédio ao habitante de Gadara, interpelando amigavelmente seus nomes e, sem repreendê-los à dimensão infernal e até atendendo os seus desejos impuros, sugestionando-lhes condições de arrependimento de seus atos ofensivos (Lucas 8. 26 a 35).

    5) Proporcionou a aparição coletiva de vários espíritos dos antepassados, e que ressurgem no tempo comprovando a sobrevivência do ser em outras dimensões da vida após a morte física do corpo carnal (Mateus 27. 51 a 53)

    6) Com a era cristã, são chegados os tempos, em que os mortos podem ouvir a voz do Cristo de Deus, e os que a ouvirem reviverão... (João cap. 5 vers 25)

    7) Que ouçam os descrentes e aqueles que pregam que o ser humano é um ser sem alma: Deus não é deus dos mortos, mas dos vivos... da Terra, assim como do Além túmulo (Mateus 22. 31 a 32)

    8) E a morte espiritual, significa: estagnação, sofrimento, expiação, trevas... A criatura permanecer desmembrada dos sentidos do bem estabelecidos na ordem da Criação, e enveredar em atividades maléficas que corrompem os sentimentos e promove a desintegração nos centros de forças da alma (Apocalipse 2. 11 e 20. 14). E para o ser não decair definitivamente no caos do inferno em sua consciência espiritual... Bem melhor é ao ser retornar à existência material, por meio da reencarnação da alma, destituídas dos órgãos que foram motivos de desacertos em sua vida pregressa, e assim reajustar-se perante os valores da Vida Eterna (Mateus 18. 7 a 9).

    9) Se alguma instituição religiosa admite em seus dogmas que a morte física é a extinção integral dos sentidos da vida, essa congregação é OPOSTA aos princípios imortais evangélicos (vide orientação de Jesus Mateus 7. 13 a 28 e, 15. 13 a 14 e Lucas 8. 16 a 18). Recomendou o Senhor: Não temais os que matam o corpo e não podem matar a Alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a Alma e o corpo (Mateus 10. 28)

    Intensivo de Difusão Espiritualidade – I D E

    http://vozqclamabr.blogspot.com/



    ResponderExcluir
  23. O PROFETA ELIAS FOI ARREBATADO AO CÉU EM CORPO CARNAL; OU, EM CORPO ESPIRITUAL?


    Segundo o historiador Flavio Josefo que existiu há 90 anos d.C; o LIVRO DE REIS fora escrito pelo profeta Jeremias que vivera há 600 a.C; que descreve os fatos relacionados ao profeta ELIAS que vivera há 900 anos a.C; OU SEJA, o profeta Jeremias está descrevendo uma história que transcorrera há 3 SÉCULOS mais ou menos anterior à sua época, e que era comentada oralmente através das gerações.


    A QUESTAO É:
    - ELIAS MORREU DE FATO NO CORPO CARNAL, TENDO O SEU CORPO DESINTEGRADO PELA ENERGIA QUE O ARREBATOU?

    - OU, entrou no Céu de luz divina com O MESMO Corpo físico carnal composto de matéria orgânica terrestre?


    SE ELE FOI ARREBATADO NUMA CARRUAGEM INCANDESCENTE, conforme narração da época - ERA UMA NAVE CELESTE?

    OU ESSAS NARRAÇÕES ESTARIAM TRUNCADAS pelo fato da própria incapacidade humana em conhecer os relatos na íntegra?


    VAMOS TENTAR DISCERNIR COM A PRÓPRIA LÓGICA DAS ESCRITURAS, primeiro: O hebraico é uma linguagem escassa de palavras, somente 12.000 palavras. Enquanto o português só verbos existem 40.000 verbos. Esse é mais um problema de numa época antiguíssima certas palavras terem sentidos ambíguos. Muitas coisas no Velho Testamento foram REPASSADOS ORALMENTE através das gerações, e toda Escritura foi traduzida séculos depois para o grego no ano 400 d.C pelo padre Jerônimo de Strídon.


    VERDADE FUNDAMENTAL BÍBLICA: A CARNE E O SANGUE NÃO PODEM HERDAR O REINO DE DEUS, ou seja, segundo a própria Bíblia em corpo carnal não podemos entrar no reino celeste e divino (I Coríntios 15. 50)

    E SE HÁ CORPO CARNAL, HÁ CORPO ESPIRITUAL (I Cor 15. 44), logo Elias para adentrar no plano celeste e divino teve que desprender-se definitivamente dos fluidos do seu corpo físico carnal, e esse desprendimento integral, conseqüentemente produz o falecimento dos órgãos carnais, ou seja, a morte física no corpo carnal humano. E, em corpo espiritual o profeta Elias pôde adentrar as dimensões de vidas extrafisicas nos planos imateriais.


    VERDADE BÁSICA DA EXISTÊNCIA DO HOMEM: O homem é um SER em 3 dimensões: CORPO, ALMA e ESPÍRITO (I Tessalonicenses 5. 23); ou seja: energia, consciência e vida; ou como ensina a doutrina dos Espíritos: CORPO CARNAL, PERISPÍRITO, e ESPÍRITO.

    CORPO CARNAL: matéria orgânica terrestre; PERISPÍRITO: corpo energético astral, o mesmo que corpo espiritual, formado de fluidos eletromagnéticos do astral onde ser habita; ESPIRITO: essência cósmica, foco divino do Criador na criatura.


    A MORTE FÍSICA é a separação da alma/espírito do corpo físico carnal, ou seja, o ser passa para a dimensão espiritual que é a vida extrafísica em espírito. Se a criatura ficar nas dimensões paralelas ao globo terrestre é necessário condensar a sua veste espiritual, que é o perispírito e terá a aparência humana normal (tal qual narração de Jesus na parábola de Lázaro e do Rico, que após a morte carnal tornam a se reencontrar no Além, vide Lucas 16. 19 a 31). POREM se o Ser subir os planos cósmicos em direção ao infinito celeste, nesse caso até o perispírito é desintegrado; e o Ser consciência livre só pode fazer esses acessos interdimensionais somente em espírito; ou seja, em mente... pensamento, energia divina.


    Intensivo de Difusão Espiritualidade, I D E
    http://vozqclamabr.blogspot.com/



    ResponderExcluir
  24. O ARREBATAMENTO EM ESPÍRITO DE ELIAS, APÓS SUA MORTE FÍSICA


    Resumindo: Elias homem físico teve seu corpo carnal decomposto pela morte física como todos os homens fisicamente morrem na existência material. Deus estabeleceu no inicio da vida física material: Tu és pó e pó te tornarás... (Gênesis 3. 19); Porque aos homens está ordenado morrerem... vindo depois o juízo... (Hebreus 9. 27); O Corpo volta ao pó e espírito retorna a Deus (Eclesiastes 12. 7)

    ELIAS NÃO PODERIA SER SUPERIOR A JESUS CRISTO, POIS ATÉ MESMO JESUS SENTIU AS AGONIAS DA MORTE, NO GETSMANI, E MORREU CRUCIFICADO NO GÓLGOTA.

    O fato da Teologia e Sacerdócio religioso dissimularem a morte física de Elias... Não passa de uma artimanha da ignorância humana que utilizou as várias “reformas religiosas – os falsos doutores, falsos mestres, falsos profetas”... E quiseram complicar as evidências da imortalidade da alma e reencarnação desse espírito comprovadas na própria Bíblia sagrada. Pois Elias morre fisicamente e sua alma é que arrebatada para o cosmo espiritual, onde se prepara para novas etapas de aprendizagem e retornando séculos depois, e renascendo assim na vida material na época de Jesus na personagem do Batista.

    ELIAS DEIXOU A EXISTENCIA MATERIAL E SUBIU AOS PLANOS EXTRAFISICOS DA VIDA CELESTE EM CORPO ESPIRITUAL através de um redemoinho II Reis 2.11
    Redemoinho é derivado de vento e vento em hebreu sintetiza as coisas espirituais - João 3. 8
    Naturalmente foi para as dimensões paradisíacas do plano espiritual onde a Alma continua crescendo para vida celeste.

    O resgate do cadáver pode até permanecer em mistérios como na atualidade às vezes não é possível fazer autópsia de alguns corpos físicos falecidos, ex: deputado Ulysses Guimarães, alpinista Bernardo Collares, e diversos passageiros mortos no acidente aéreo do vôo 447 da Air France, no oceano Atlantico. Apesar de termos mais tecnologia do que na época primitiva.

    Claro que, o arrebatamento de Elias ao Céu em corpo carnal, corporificou-se nos relatos das crendices religiosas como uma figura de linguagem bem expressiva. Tanto quanto a imagem do papai Noel representa para muitas pessoas, na atualidade, aquele velhinho bondoso de barbas brancas saindo do pólo norte na sua carruagem e entrando nas casas pelas chaminés!

    Intensivo de Difusão Espiritualidade, I D E
    http://vozqclamabr.blogspot.com/




    ResponderExcluir
  25. Vou confessar creio em viagens no tempo sugiro uma leitura profunda sobre o assunto.

    http://www.hermesfernandes.com/2011/10/viagens-no-tempo-registradas-na-biblia.html

    ResponderExcluir
  26. ENTAO! A PAZ DO SENHOR A TODOS, OLHA A RESPEITO DAS DUAS TESTEMUNHAS, PODE ACREDITAR SAO ELIAS E ENOQUE,POIS OS MESMO NAO MORRERAM,JOAO CARLOS

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...