Labels

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

As profundezas

Perdi o temor das ondas que tentavam me encobrir. Antes nadava contra as correntezas que procuravam me arrastar para as profundezas do oceano. Passei a ver que este temor era desnecessário. Na verdade temia o desconhecido. Sempre gostei de andar em segurança, mas não há como manter tudo sob controle, e o desconhecido não é tão mal assim. Não importava o quão bom nadador ou cauteloso eu fosse. Sempre que tentei me manter de pé por conta própria caí, todo desengonçado.

Não quero mais ter o controle. Sou incapaz de decidir o que é o melhor para mim. Quando entendi que não tenho como manter o controle de tudo, me deixei levar. No início por falta de opção. Agora por total confiança (Deus é expert em tirar o melhor de nós...). Quando dou por mim, estou nadando entre lindos peixes e corais. A substância que supostamente poderia me levar à morte não me sufoca mais. Apenas o temor do desconhecido me prendia. Não sabia que já era capaz de sobreviver sob as águas. Nado e vasculho as profundezas do oceano. Encontro tesouros perdidos, maravilhas ocultas que nem era capaz de imaginar. Descubro que é necessário confiar. O que via na superfície não era real, existe vida nas profundezas, existe luz no meio das trevas.

Deixei de ser covarde. Hoje saio à caça de meus tesouros nestas profundezas. Não carrego nada comigo. Nem mascara para mergulho, nem balão de oxigênio. Nenhum apetrecho de sobrevivência, pois não sei quais situações enfrentarei e não posso carregar tanto peso. Nesta confiança infantil, faço-me um com a nova natureza, que passa a ser excitante. Nada de temor, apenas a sensação de liberdade. Não tento mais enquadrar a realidade no meu foco estreito. As profundezas são imensas, cheia de vida. Meu temor se dissipa e me torno um com a Criação.

Meu Criador me habilita atravessar os mares. Antes achava que o mar se abriria ou andaria por sobre as ondas, mas não é assim que tenho visto. Mergulho, deixo-me levar e conheço cada vez mais o profundo do profundo de Deus. Momentos antes inimagináveis aprendi a gozar. Prazer na dor e na frustração, pela simples confiança de que tudo está sob o controle do Abba. Tenho visto a vida por outro ângulo, descobrindo vida onde para muitos apenas há o caos e a desordem. No mergulho que faço em meu interior, conheço-me cada vez mais.

Assim caminho, ou nado, ou sou arrastado… Total confiança.

Reações:

22 comentários:

  1. "Perolas do pastô", pronto um bom nome para seu livro de crônicas

    É verdade, Deus tem as manhas de extrair o melhor deste vermizinho que sou eu.
    Depois que o maremoto passa, fica fácil dizer que até que foi bom perder o controle.
    Ele sabe o começo, o meio e fim de tudo, e tudo coopera para bem dos vermizinhos.

    abraços reverentes

    ResponderExcluir
  2. Um dos meus sonhos é "aprender a escrever o suficiente" para escrever um livro sabia?

    Queria escrever hoje mas estou tão cansado que fui buscar uma do baú.

    Taí, "Baú do Pastô" também dá um nome legal!

    Beijo

    JC

    ResponderExcluir
  3. Caramba!

    Que texto é esse?!

    Sério, quem lê com olhos superficiais pensa que é mero puxassaquismo, mas eu nem ligo e que bateu lá dentro "dicunforça" eu não posso negar.

    E mais: nem sempre se consegue colocar no papel exatamente aquilo que vai na alma e na existência, isso é coisa sobrenatural.

    Eu creio.

    Chorei com essa consciência de total dependência!!!

    E obrigada pelo texto porque a nossa ficha tem que cair todos os dias pois somos muito arrogantes, essa é que é a grande verdade.

    Valeu, irmãozinho!

    Rê.

    ResponderExcluir
  4. Rê,

    Há momentos que simplesmente não podemos fazer nada. Então lutar por quê?

    Tipo ontem, na Praia da Macumba (não foi eu que batizei, mas nem por isso vou deixar de ir), no Recreio: Praia de surfista, ruim de entrar na água, muita correnteza. Como tinha um banco de areia, dava para entrar até um certo ponto.

    Chegou um momento porém que vinha onda forte demais. Se tentasse ficar de pé caía. A única opção para ficar vivo era mergulhar quando ela passava.

    É assim que funciona na vida real... ou não?

    Ah... brigado pelo jabá, fico emocionado quando alguém do calibre da Rêgina e da Adriana falam que ficou legal. Só me inspira mais...

    :)

    ósculos santos (affff) a todas vocês!!!

    ResponderExcluir
  5. Mergulhar enquanto a onda passa...

    E nem vem com esse lance de calibre, "somos todos iguais nessa noite".

    ResponderExcluir
  6. Bom,
    dizer que o texto é lindo é chover no molhado...
    dizer que é fruto de uma comunhão mais íntima é cair na mesmice.

    Mas é o que me vêm a mente quando leio algo tão especial...
    Beleza, comunhão...

    A beleza do mar, confunde-se, às vezes com o medo de 'se perder' em suas águas nem sempre quentes, quase nunca calmas...
    Perder-se em nosso interior é algo idêntico. Nem sempre é quente e acolhedor, nem sempre é 'tranquilo', vez ou outra sentimos medo de nós, medo de ser 'dependente'.

    O mar aqui não só deve ser visto como uma bela e grande alegoria, mas como resultado de uma busca dentro de sí.
    Deus é quem procura em nós nossos maiores tesouros e os pôe à tona.
    Então o que dizer?
    Essa é uma busca incessante...
    Procuramos por Ele e suas jóias e dobrões celestes, enquanto Ele nos acha para pescar em nosso ser algo de bom...

    Muito legal seu texto Pastor...
    Ah, falando nisso, começou um novo 'horário' eleitoral político na blogosfera...
    já existem dois adeptos da campanha:
    "promova um pastorzinho palmeirense num apóstolo profético"
    Eu e René já estamos nos preparativos pra campanha, quem nos segue?

    Rrssrrrrrsrrsrsr

    Amplexos!

    ResponderExcluir
  7. Mantenha-me no banquinho, sentado e aprendendo com vocês. Pra mim tá ó-te-mo!

    ResponderExcluir
  8. Wendel,

    Nem pense que vc vai escapar dessa também rsss

    ResponderExcluir
  9. A gente tá brincando mas o negócio tá tomando formato! Quem disse que não somos uma "Igreja virtual"?

    ResponderExcluir
  10. Verdade,
    quem disse?
    Afinal pra quem eu entrego meu dízimo virtual?

    ResponderExcluir
  11. João,

    Colando aqui o que já comentei lá na Rê, e que você já leu, só pra ficar registrado na postagem original: "Que linda expressão da Paz e da Confiança que habitam o coração de uma pessoa que não foi subornada para amar a Deus!!!!!".

    Sobre a IBL, você me promove a bispo e quer ficar no banco? Tá certo que quarta pessoa da Trindade é um pouco demais e a fila anda meio grande, mas, pelo menos, apóstolo profético, ou episcopeu (é forçar demais?).

    Cara, continua mandando essas obras de arte que se movimentam e entram fundo no coração! Como disse a bispa, precisamos disso todos os dias!

    Abração (deixo esse negócio de 'amplexo' e 'ósculo santo' a quem tem categoria pra isso) e muita Paz!

    ResponderExcluir
  12. Com gente de calibre como vocÊs por qual razão vou ousar subri ao púlpito virtual desta igreja?

    Fico aqui di-boa, só contando o dinheiro...

    ResponderExcluir
  13. Ah, sabia que a conta no itaú era sua... viu essa Igreja podia dar certo, caramba!!!!!

    ResponderExcluir
  14. Wendel para profeta-mor, honorário, vitálicio e hours concurs.

    Vixe, acho que a gente deveria abrir uma fabrica de confete e não uma igreja kkkkk

    Concordo com o pastor, esta eclesia está fundada em nossos corações.

    Ele fez, está feito e eu digo amém

    Abraços reverentes a todos vocês que respeito muito e que aprendi a amar.

    Como bem mencionou o Wendel em outra postagem, o que rola por aqui é bom demais, é único.

    ResponderExcluir
  15. Pastor,

    Sabe o que é que euzinha acho mais legal aqui? É que quem vai chegando e se identifica parece que já é amigo de infância. Não to zuanu, tô falando sério.
    Acontece com tanta naturalidade que quando a gente menos espera já ficou amigo sem frescura e com toda sinceridade, criando uma espécie de laço afetivo, um carinho, uma coisa além do virtual.
    Acho isso muito legal.

    Abs,

    R.

    ResponderExcluir
  16. Tenho que concordar com a Bispa,
    eu mesmo, que cheguei faz pouco menos de um mês (acho), parece que já os conheço faz décadas...

    Já tô soltin, soltin... falando nisso:

    Ah, quero agradecer as palavras da Dri e quero dizer que aceito a unção sobrenatural profética (um pouco frenética) e o título espiritual a mim designado tanto por ela, quanto pelo Pastor e confirmado nos céus pela Bispa!


    Mas tenho algumas perguntas a fazer queridos, antes do empossamento:
    A minha estola sacerdotal vem pelo correio?
    É de graça?
    Minha unção se fará usual a partir de quando?
    Em que nível está um profeta-mor,
    honorário, vitálicio e hours concurs? É acima de Bispa e Pastor, né?(uhuuu, tomara, cara!)

    (Ops) Digo, muito agradecido

    ResponderExcluir
  17. Eu estou com vontade de chorar, sentindo a presença de Deus e o amor dos amigos tão estimados que consegui fazer no mundo virtual...

    Depois comento melhor como funciona a distribuição de dons & unções proféticas, vou tomar um ar...

    ResponderExcluir
  18. Parabéns Grande João Carlos Lindo o seu texto. A verdade é que na nossa luta por controle absoluto, entramos em desespero, conhecemos a palavra o suficiente para saber que precisamos ter confiança, fé, mas a verdade é que vivemos uma luta incessante por controle, para prever, para se antecipar diante das adversidades. Lutamos para ser bons, para não errar, para não decepcionar, como disse você permanecer firme na superfície. O fato é que ficamos exaustos e até mesmo solitários, a dor bate fundo, nos recolhemos e clamamos ao nosso pai: Senhor eu não consigo e ele diz descanse em mim, fique em paz e ai tudo fica sob controle. Tão simples e tão difícil. Eu Quero mergulhar. Rosi Putorak

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...