Labels

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Quero voltar ao início de tudo...


Lembro-me do início de minha caminhada cristã. Eu era muito simples e confiava 100% no cuidado de Deus, até pelo fato de não ter outra opção. Tinha acabado de casar, havia saído do meu emprego para trabalhar com meu pai e bem dizer não tinha salário.Até tentei acertar um salário com meu pai, mas ele não topou. A cada necessidade que eu tinha ele me dava o dinheiro para fazer o pagamento, como aluguel, água, luz, compras no mercado. Era constrangedor, mas era assim que as coisas funcionavam....

O lado legal disso era que eu dependia integralmente de Deus e Ele falava comigo ‘face a face’, tipo Moisés (brincadeira). O Espírito Santo constantemente me consolava, me direcionava, me alegrava... Andava pela cidade a procura de obras (a empresa de meu fazia acabamento em prédios na fase final das construções), tomava direções estranhas, impulsionado pelo Espírito, rodando São Paulo de ponta a ponta numa alegre confiança.

Apesar deste desprendimento, me sentia frustrado e exausto por ter rodado o dia inteiro e não ter encontrado nada, mas Deus vinha com algum agradinho, tipo pedindo para eu pegar o ônibus ‘X’ ao invés de ‘Y’ e, durante o caminho, ele fazia eu falar com alguma pessoa que ele me mostrava. E assim eu fazia. Chegava lá, pedia licença, dizia que Deus tinha me mandado falar com ela e pronto: A pessoa começava a chorar, Deus usava minha boca, levando cura, salvação, libertação... Era lindo! Ao final de mais um dia porém, eu falava com Deus: ‘Pai, eu rodei o dia inteiro e não encontrei nenhuma obra! Preciso conseguir novos trabalhos para meu pai!’, ao que Deus respondia quase que ‘audívelmente’: ‘Filho, você tem cuidado de minha obra, da sua eu cuido com muito carinho’. E eu cria!

Por mais de uma vez aconteceu de estar em casa sem quase nenhuma comida para preparar. Era uma época que eu batia altos papos com Deus em pensamento. Eu dizia para ele: ‘Ah Pai, não tem mistura, vou preparar só o que tem em casa! Mas tudo bem, o Senhor está no controle de tudo’... Dava cinco minutos e tocava a campainha. Olhava lá fora e via o meu pai, com umas sacolas plásticas na mão. Chamava ele pra entrar e ele vinha falando: ‘Filho, pedi para o ‘frangueiro’ (era assim que meu pai chamava o dono da avícola) matar um frango pra mim e lembrei de você. Comprei dois, toma um pra você preparar'.... Era engraçado, ouvia Deus dando um risinho de satisfação, pois Ele sabia que eu sabia que tinha sido ele que tinha movido o coração de meu pai para comprar um frango para mim.

Assim as coisas funcionavam. Preocupação zero, a provisão de Deus rolava naturalmente.

Com o tempo me cansei da situação de não ter salário e comecei a procurar emprego. Como naquela época eu estava envolvido com construção civil, arrumei uma reforma para fazer junto com um colega meu de infância. Era um apartamento que precisava ser remodelado. Quebramos paredes, refizemos o acabamento e ganhamos uns trocados. Durante a obra peguei uma alergia não sei do quê, e fiquei com minhas costas toda empipocada. Coçava muito e era um lugar difícil de alcançar com a mão. Uma vez a coceira foi tão terrível que eu peguei um pedaço de tijolo para coçar. Enquanto aliviava a aflição um trecho da palavra de Deus veio muito forte à mente, quando Jó estava sentado quase podre, e se coçava com cacos. Ali, mais uma vez, senti a presença de Deus ao meu lado.

Nesta fase da minha vida eu já era membro da Igreja Betesda e estava tendo uma conferência missionária. Tinha um pastor de Moçambique (acho) que se chamava Mario Bata (deve ser assim que se escreve). O Gondim o apresentou, ele ministrou a palavra, foi um culto maravilhoso. Pouco antes do final do culto o Gondim falou sobre as condições da igreja em Moçambique, e pediu uma oferta especial para abençoar a vida do pastor Bata.

Eu estava ‘meio desempregado’ ainda, e tinha apenas 10 reais no bolso, além dos passes de ônibus. O Espírito Santo falou comigo: ‘Dê uma oferta’ Eu relutei um pouco e argumentei com Deus. Ele insistiu ‘Dê os 10 reais que você tem no bolso’. Eu rebati com Deus, dizendo que estava desempregado, e era o dinheiro que eu tinha para passar vários dias. Nisso Deus, com aquela maneira ‘delicada’ de falar comigo disse claramente: ‘Até aqui eu te sustentei. Estou mandando você dar os 10 reais. Na semana que vem eu abrirei uma porta de emprego para você!’

Foi tão forte que não pude deixar de obedecer. Dei os 10 reais. Minha ex-mulher, para variar, ficou pê da vida comigo. Mas tinha sido Deus que tinha falado, e na segunda feira Deus cumpriu com o que havia falado: Quatro empresas me chamaram para entrevista, e pude escolher entre elas a que mais se adequava ao que eu queria.

Desde então nunca mais fiquei desempregado, glória a Deus por isso. Só saía de um emprego depois de ter arrumado outro.

Só que esta pseudo-segurança acabou fazendo com que eu colocasse minha confiança nestes empregos. Comecei a sentir a distância de Deus. Não pelo emprego em si, mas por eu ter mudado. Dificuldades financeiras, problemas, empréstimos, dívidas que se arrastavam por meses, anos... Só me voltava a Deus quando o bicho estava feio.

Deus estava triste comigo e eu não estava sabendo como voltar ao espírito de filho, colocando minha confiança em Deus integralmente, como antes. Será que seria necessário eu perder tudo para voltar a crer?

Ontem a noite Deus falou muito comigo sobre isso. Usou minha boca para falar com minha mulher, mas a palavra que Ele dava era um tapa na MINHA cara. Devo voltar a viver em simplicidade. Devo voltar a ajudar as pessoas, compartilhar o que tenho e ter este espírito de desprendimento. Ele sabe como fazer isso comigo, e eu quero isso. Quero Deus ao meu lado, caminhando comigo. Não sou auto-suficiente. Dependo de sua provisão e não da variação do dólar no mercado. A crise não dita os meus caminhos. Os clientes não estão controlando minha vida. Além do mais, como disse Jesus a Pilatos, ‘nenhum poder vocês teriam se do alto não te fosse dado’.

É isso ai, livre como uma criança que confia em seu pai. Precisava disso desesperadamente...

Reações:

2 comentários:

  1. JOÃO...
    que texto maravilhoso, tocou meu coração.
    Saiba que Deus é contigo, ele sempre esteve ai mesmo quando vc não recorreu a ele..
    lembre-se "não cai uma folha de árvore sem que Deus permita" Ele esteve presente em seu sucesso e sabe que nunca deixou de estar dentro de vc, conhece tua alma.
    "tudo posso naquele que me fortalece"
    um gde beiju em seu coração e na familia.
    uivos de carinho.
    loba.

    ResponderExcluir
  2. Oi Lobinha!

    Assim eu choro, rsrs

    Beijos no coração!

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...