Labels

terça-feira, 14 de julho de 2009

Porcos na sala


Estávamos visitando o Silvio e a saudosa Vilma, meus ex-cunhados, no interior do Paraná. A cidade se chamava Vila Alta. Nem sei se era mesmo uma cidade. Acho que era um distrito de Xambrê, próximo de Icaraíma , ou vice versa, sei lá. Agora sim vocês se localizaram melhor, certo? Resumindo, longe pra cacete. Era um local muito gostoso, cidade pequena, ‘de primeira’ como costumam dizer. Se engatasse a ‘segunda’ já estava fora da cidade...

Sempre que íamos ao interior do Paraná o pessoal tinha que fazer uma correria para arrumar colchões emprestados para dormirmos. A mulherada tinha ido à casa de uma vizinha ‘negociar’ os colchões enquanto eu e o Silvio ficamos em casa tomando cerveja e colocando a fofoca em dia.

No início da noite fomos até a vizinha para pegar o colchão. Chegando lá, nos apresentaram a dona da casa e sua filhinha, que devia ter no máximo uns sete anos de idade. Sentamos à mesa, ela nos ofereceu algo para beber (café, suco, não me lembro) e ficamos batendo papo.

Eu não estava muito à vontade. Ninguém acredita, mas sou muito tímido. Sorte que o pessoal do Paraná é super simpático e te recebe muito bem. Enquanto conversávamos, comecei a notar que a dona da casa falava toda hora sobre o pavor que ela tinha da filha dela ficar doente. Toda hora falava algo como ‘porque se minha filhinha ficar doente eu não sei o que faço’, ou ‘ah, se ela ficar gripada eu isso’, ‘se ela pegar um sei lá o quê eu fico aquilo’...

Naquela época eu tinha acabado de ler um livro chamado Porcos na Sala, que fala sobre possessão demoníaca. Este livro falava sobre alguns processos de identificação de casos de possessão e libertação meio fora do padrão, digamos assim. Muitos criticaram este livro. Eu sou da turma do ‘provai de tudo e retém o que é bom’. A medida que aquela mulher falava eu comecei a discernir em meu espírito que aquele medo era muito além do que preocupação. Olhei nos olhos da mulher e vi que tinha algo de errado naqueles olhos. ‘Olhos insanos’, como diria o Nenhum de Nós em ‘Camila Camila’.

Ela também me olhou nos olhos e daí pra frente foi mais forte do que eu. Tudo foi em uma fração de segundo: olhando fixamente nos olhos dela, no meio da conversa (e aparentemente do nada) eu ordenei: Demônio maldito, você tem trazido pânico nesta mulher, ameaçando trazer doença sobre a vida da filha dela. Saia agora, em nome de Jesus!

Ninguém acreditou no que aconteceu: Ela deu um grito, teve algo parecido com uma ânsia de vômito, cuspiu algo nojento, como um fio de saliva muito longo, mas de uma cor estranha. Jorrou longe. Ela começou a chorar convulsivamente. Abraçamos ela e ela aos poucos se acalmou. Clamei pelo Sangue de Jesus em sua vida e na vida de sua família, apresentei Jesus como Senhor e Salvador, ela orou junto a nós todos.

Ali ela foi liberta. Isso já faz mais de 10 anos. Pouco tempo atrás tive notícias dela, dizendo que hoje ela estava firme na presença de Jesus e que a filhinha dela estava muito bem.

Nosso inimigo é muito sujo. Que o Espírito de Deus nos dê discernimento para estarmos atentos às astutas ciladas do diabo.

Loucura loucura loucura....

Reações:

5 comentários:

  1. Incrível, que Deus te use grandemente onde quer que você for, que você seja como um instrumento preferido dele, que ele sempre irá usar, assim como usamos nossa "colher preferida", ou nossa "camisa preferida"; abraços, Deus te abençõe.
    Ide e, seja intenso.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da sua experiência busque aprofundar-se no assunto.
    Um abraço e a paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  3. Que bom, o que acabei de ler aqui me tirou algumas duvidas sobre este livro que, por acaso estou lendo, meio com o pé atras, mas fico contigo; reter o que for bom.
    leio muito sobre o mundo espiritual, pois ja tive algumas experiencias, mesmo antes de ser serva do Senhor. Estou segura de que o mundo espiritual é mais real do que muita gente imagina.Creia, o diabo existe e quer que vc acredite que nao, pois assim sendo ele age sem vc o perceber. Deus o abençoe amado!

    ResponderExcluir
  4. Fernanda, muito obrigado por sua visita em meu blog!

    Este assunto é meio delicado para os mais sensíveis, entretanto, vivemos mais inseridos nele (no mundo espiritual) do que a maioria gostaria de saber né?

    Só te digo uma coisa: Viva, VIVA intensamente o Evangelho, não a religião, não o templo, não a liturgia, mas - sim - a relação íntima e preciosa com Jesus.

    Deixe Ele tomar as rédeas de cada área de sua vida. Não tenha medo, ele é o Bom Pastor e sabe muito bem o que faz. Não se surpreenda com as coisas que você vai fazer (e com as que você deixará de fazer...).

    Ele, estando no controle, nos leva das situações mais absurdas às mais cotidianas, mas sempre com Ele, com o amém dEle, entende?

    Que o Espírito Santo transborde mais e mais em sua vida. Que você discirna cada situação "naturalmente" (na "natureza" do mundo espiritual) e que use sempre de sua autoridade no mundo espiritual, com equilíbrio e lucidez, energia quando necessário, suavidade (na maioria das vezes) quando necessário...

    Aff, acabei falando de mais né? rsrs....

    Ah, caso você queira ler mais algumas experiências que rolaram comigo nesta área, procure no blog os textos sobre "os trens assombrados...", "sonhei, parte..." São experiencias que vivi, acredite ou não...

    Deus a abençoe querida!!!

    ResponderExcluir
  5. Ah, sobre experiências anteriores à conversão, leia quando tiver um tempinho sobre a minha conversão! Tá no texto "meus 16 anos de vida", de 2009...

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...