Labels

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

As profundezas

Perdi o temor das ondas que tentavam me encobrir. Antes nadava contra as correntezas que procuravam me arrastar para as profundezas do oceano. Passei a ver que este temor era desnecessário. Na verdade temia o desconhecido. Sempre gostei de andar em segurança, mas não há como manter tudo sob controle, e o desconhecido não é tão mal assim. Não importa o quão bom nadador ou cauteloso eu era. Sempre que tentei me manter de pé caí, todo desengonçado.

Não quero mais ter o controle. Sou incapaz de decidir o que é o melhor para mim. Quando entendi que não tenho como manter o controle de tudo, me deixei levar. No início por falta de opção. Agora por total confiança. Quando dou por mim, estou nadando entre lindos peixes e corais. A substância que poderia me levar à morte não me sufoca mais. Apenas o temor do desconhecido me prendia. Não sabia que já era capaz de sobreviver sob as águas. Nado e vasculho as profundezas do oceano. Encontro tesouros perdidos, maravilhas ocultas que nem era capaz de imaginar. Descubro que é necessário confiar. O que via na superfície não era real, existe vida nas profundezas, existe luz no meio das trevas.

Deixei de ser covarde. Hoje saio à caça de meus tesouros nestas profundezas. Não carrego nada comigo. Nem mascara para mergulho, nem balão de oxigênio. Nenhum apetrecho de sobrevivência, pois não sei quais situações enfrentarei e não posso carregar tanto peso. Nesta confiança infantil, faço-me um com a nova natureza, que passa a ser excitante. Nada de temor, apenas a sensação de liberdade. Não tento mais enquadrar a realidade no meu foco estreito. As profundezas são imensas, cheia de vida. Meu temor se dissipa e me torno um com a Criação.

Meu Criador me habilita atravessar os mares. Antes achava que o mar se abriria ou andaria por sobre as ondas, mas não é assim que tenho visto. Mergulho, deixo-me levar e conheço cada vez mais o profundo do profundo de Deus. Momentos antes inimagináveis aprendi a gozar. Prazer na dor e na frustração, pela simples confiança de que tudo está sob o controle do Aba. Tenho visto a vida por outro ângulo, descobrindo vida onde para muitos apenas há o caos e a desordem. No mergulho que faço em meu interior, conheço-me cada vez mais.

Assim caminho. Ou nado, ou sou arrastado… Total confiança.

Reações:

1 comentários:

  1. É exatamente isso meu irmão!

    Não temos o controle de tudo, nem devemos ter. Ele tem. Ele é soberano, é o Criador. E nEle e para Ele são todas as coisas.

    Estamos ao sabor das marés e estas são controladas por aquele que as criou. Quando tentamos, por nós mesmos, ter absoluto controle das coisas, de certa forma negamos a soberania de Deus, pois devemos depender "inteiramente dEle.

    Em tudo dai graças... Esse é um belo princípio. Ora, a lógica indica que, se devemos dar graças a Ele por tudo, é porque o Altíssimo tem o controle sobre tudo.

    Os desígnios de Deus não serão modificados pela nossa ansiedade, tampouco pela nossa dor, menos ainda pelos nossos desejos mais íntimos. Tudo o que Ele projetou se cumprirá, cada vírgula, inclusive no que se refere à eleição dos santos, predestinados para Ele desde a fundação do mundo (Jo 6:44, 6:65, Efésios 1 e 2; Fl 2:13, Rm 8:29-30, 9:14-23).

    NEle.

    Ricardo

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...