Labels

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

A cura

Em 1993 eu trabalhava na Nossa Caixa. Era um dia normal de trabalho, agencia cheia, muita correria. Tocou o telefone, minha tesoureira atendeu e me chamou. Quem trabalha ou já trabalhou em banco sabe que num dia desses é muito difícil te passarem ligações. Era minha irmã. Ela estava chorando muito e me disse: “Cá (Cá sou eu, é assim que me chamam em casa), o pai está no hospital, acabou de sofrer um infarto!” Gelei...

Desliguei o telefone e balbuciei para minha tesoureira o que tinha acontecido. Ela me liberou, fechei meu caixa e fui saindo em direção ao hospital, mas antes de sair orei a Deus e abri a Bíblia. Caiu em: “E passando Jesus, viu um homem cego de nascença. Perguntaram-lhe os seus discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus. – João 9:1-3 (não brinco com a Palavra, mas quem nunca teve revelação de Deus assim, sem ter pedido?)

Na hora o Espírito Santo me visitou e fiquei em paz. Meu pai não morreria daquele infarto, era o que Deus falava comigo. Aquilo havia acontecido para que o poder de Deus se manifestasse através da vida dele.

Fui ao hospital. Meu pai estava em coma. Os médicos diziam que o infarto tinha sido muito grave e que meu pai não sairia de lá vivo. Orava e buscava a presença de Deus constantemente, e a cada diagnóstico médico eu repreendia em silêncio, já sabendo do que Deus tinha falado comigo.

No decorrer dos dias meu pai não melhorava, mas eu estava em paz. Em paz, mas não sem ter que agir. Notei que lá ele não estava sendo tratado com o empenho que a situação exigia e seu quadro só piorava. O tempo passava e o convênio não cobria mais que 10 dias de UTI, e o prazo estava acabando. Briguei, argumentei que a culpa da não evolução positiva do quadro era pelo tratamento deficiente que ele estava recebendo, mas nada funcionava, até que ‘uma voz’ falou comigo: ‘Tire seu pai daqui’.

Expus a situação ao convênio de meu pai e eles falaram para eu fazer uma reclamação por escrito. Fiz a dita-cuja, mas eles falaram que o plano de meu pai não cobriria uma transferência nem mais dias de UTI. Mais uma vez minha cabeça careca funcionou. Perguntei a eles: ‘Se o atual plano de meu pai não atende a necessidade, quanto está a cobertura de um plano superior’?

Falaram o valor e perguntei se poderia fazer a mudança de plano. Falaram que sim e fiz tudo rapidamente. Contratei uma equipe com ambulância UTI e fizemos a transferência de meu pai. Conversando com o motorista da ambulância, que era ‘dono do negócio’, descobri que ele também era cristão. Fizemos amizade no curto trajeto, e ele disse que me cobraria apenas o valor dos outros membros de sua equipe. O transporte e seus honorários não seriam cobrados. Agradeci imensamente, fiz o pagamento e internei meu pai em outro hospital.

No domingo seguinte a noite estava na igreja. Durante o culto pude sentir muito forte que Deus estava tocando na vida do meu pai. Quando voltei para casa encontrei um bilhete em minha cama. Era de minha irmã e dizia: “Cá me acorda na hora que você chegar, preciso falar com você!”

Fui ao quarto dela e a acordei. Devia ser mais de meia noite. Ela me disse: “Cá, onde você estava 20:30h? (mais ou menos este horário, não me recordo ao certo) Eu respondi: “Estava na igreja, e foi na hora que senti muito forte a mão de Deus na vida do pai”. Ela começou a chorar muito de emoção e me disse: “Esta hora eu tive uma visão. Vi o pai sendo levantado da cama do hospital por uma mão, que o levava até o púlpito da igreja. Lá as mãos dos pastores eram colocadas sobre o peito do pai, e ele era curado!”

Eu só glorificava a Deus com ela. Estava super feliz em ter recebido uma revelação e uma confirmação logo após.

Dito e feito. Meu pai se recuperou rapidamente, mas ainda assim os médicos só anunciavam mais problemas. Falaram que se ele não fizesse 3 pontes de safena imediatamente ele não viveria mais que alguns meses.

Isso foi em 1993, como disse antes...

Reações:

3 comentários:

  1. Há por acaso alguma coisa que seja impossível ao nosso Deus? Experiência tremenda, hein?! Eu já vi leucêmicos serem totalmente curados, já ouvi falar de perna curta que cresceu, já ouvi falar de quem voltou a ver e a andar e também de mortos que voltaram aos seus... mas a verdade é bem mais dura quando estamos enfrentando o problema, enquanto não sabemos se haverá milagre ou não...

    ResponderExcluir
  2. pode crer! só ainda não vi os tais dos dentes de ouro cara... rsrs

    ResponderExcluir
  3. Fico feliz por você.
    O certo é que quando temos a consciência de que Ele está no controle, ainda que não tenhamos esse "insight" que você teve, ficamos naquela estranha paz que excede todo entendimento, mesmo agindo em meio ao furacão.
    Glória a Deus!

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...