Labels

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Pergunto outra vez: Deus se decepciona com você?



“Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (...) “E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. E foi a tarde e a manhã, o dia sexto”
. Genesis 1.27/31

“Tomou, pois, o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Édem para o lavrar e guardar. Ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. - Genesis 2.15-17

“Então, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, comeu, e deu a seu marido, e ele também comeu. Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; pelo que coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais. E, ouvindo a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim à tardinha, esconderam-se o homem e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim. Mas chamou o Senhor Deus ao homem, e perguntou-lhe: Onde estás? Respondeu-lhe o homem: Ouvi a tua voz no jardim e tive medo, porque estava nu; e escondi-me. Deus perguntou-lhe mais: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses?” Ao que respondeu o homem: A mulher que me deste por companheira deu-me a árvore, e eu comi. Perguntou o Senhor Deus à mulher: Que é isto que fizeste? Respondeu a mulher: A serpente enganou-me, e eu comi”. - Genesis 3.6-13

Diante destes trechos do relato da criação do homem, sua desobediência e queda, fomos ensinados que Deus ficou profundamente decepcionado com o primeiro casal, criado à sua imagem e semelhança. Perante uma única imposição divina, ambos não souberam agir e desobedeceram ao Senhor, tornando-se conhecedores do bem e do mal.

Deus, que estava dando um rolê no jardim ao final da tarde "notou" que os dois não estavam se portando da maneira habitual e chamou por eles, que responderam que estavam nus se esconderam de Deus entre as árvores do jardim. Com isso, Deus perguntou se o homem havia comido do fruto da árvore do conhecimento. Este empurrou a responsabilidade da desobediência para Eva, que também cruzou a bola para a serpente, animal bandido, salafrário, cafajeste, "covááááárdiiiii" e enganador. O resto da história todo mundo sabe.

Minha intenção ao citar estes conhecidos versículos e escrever estas linhas é a de levantar uma questão:

VOCÊ CRÊ QUE DEUS FICOU DECEPCIONADO COM ADÃO E EVA POR ELES TEREM DESOBEDECIDO SUA ORDEM?

Vou além e pergunto outra coisa:

VOCÊ CRÊ QUE DEUS SE DECEPCIONA COM VOCÊ?


Pensem seriamente a respeito.

Eu li recentemente o livro do rabino Harold Kushner entitulado “O Quanto é Preciso Ser Bom” e ele fala sobre este assunto. Na verdade li este livro duas vezes. Após esta última releitura, fiquei com estas perguntas na minha cabeça, mas cheguei às minhas conclusões.

Minhas respostas para estas perguntas são:

1) NÃO, Deus não ficou decepcionado com o primeiro casal;

2) Da mesma forma NÃO, Deus não se decepciona com você.

Sem me estender muito no meu ponto de vista, digo que baseio o mesmo em algumas características de Deus:

1) Deus é ETERNO;
2) Deus é ONISCIENTE;
3) Deus é ONIPRESENTE;
4) Deus é AMOR.

Tendo Deus, entre outras, estas quatro características naturais de seu Ser, como Ele poderia se decepcionar com alguma falha humana?

Por ser ETERNO, Deus não está limitado ao tempo cronológico. Tanto é que, em Apocalipse 13: 8, temos um dos textos chave para basear minha opinião: “E adora-la-ão todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do CORDEIRO QUE FOI MORTO DESDE A FUNDAÇÃO DO MUNDO.

Por ser ONISCIENTE e ONIPRESENTE, Deus está em todos os lugares ao mesmo tempo, ciente de tudo o que acontece.

Junte estas três primeiras características. Ele não está limitado ao tempo, sendo que tudo pra Ele é um eterno HOJE. Sabe de todas as coisas e está presente em todos os lugares.

Por esta razão, você acredita ser capaz de fazer algo que Deus já não soubesse que você faria?

Mesmo assim, e até por isso mesmo, o Cordeiro foi morto desde a fundação do mundo. Antes de você pecar ele já sabia. Seu arrependimento posterior também. Sua queda seguinte também. Sua fuga também. Seus anos tentando estar longe dEle por vergonha também. Suas pequenas vitórias e fracassos “longe” dEle também. Seu amadurecimento também, sua “volta” à Ele também.

Se você pensa contrário a isso, de certa forma você crê ter uma característica de seu ser maior do que a de Deus. Se você crê que é capaz de enganar a Deus, errar sem que Ele saiba, esconder algo dEle, você de certa forma crê ser maior que Deus, pelo menos nesta área.

Imagina eu ser capaz de fazer algo fora do conhecimento de Deus? É inconcebível! Mergulha no mistério varão (risos)! COMO EU OU VOCÊ SEREMOS CAPAZES DE DECEPCIONAR DEUS, SE ELE JÁ SABE DE TUDO ANTES MESMO DE ALGO TER SIDO FEITO? Quer competir com Deus?

Isso por acaso quer dizer que “já que Ele sabe tudo mesmo eu vou viver de qualquer maneira, pois nada será novidade para Ele?”

De maneira nenhuma! Como escrevi anteriormente, a presença de Deus em nossas vidas vai nos transformando dia a dia, para que sua Santidade venha me tornar santo. Mas isso é um processo, não é automático. Sua presença em mim faz com quê eu sinta nojo e repulsa de minhas falhas... MASSSSSSS (este é um bendito ‘mas’), tendo em vista o reconhecimento de meus defeitos e limitações, fruto da doce presença dEle em mim, cada vez mais eu agirei menos errado, digamos assim.

Para Deus então, cada erro ou tropeço já é esperado e se torna “um a menos” até que cheguemos onde Ele quer que estejamos: No centro de Sua vontade, se relacionando com Ele e com o próximo da maneira que Ele já sabe que um dia acontecerá.

Isso faz com que eu não caia na paranóia de ter um rigor excessivo contra mim mesmo e contra os que errarem ao meu redor. Cada vez mais o último ponto que citei da personalidade de Deus agirá me transformando:

Por Deus ser AMOR e habitar em mim, cada vez amarei mais meu próximo, da mesma forma que me amo. Um degrau acima, cada vez mais amarei meu Deus e terei com Ele a relação do noivo e da noiva.

Creio desta forma. Parece viagem, mas faz todo o sentido do mundo...

Reações:

8 comentários:

  1. João
    Acho sempre muito interessante essa tua forma poética bem peculiar de dizer que Deus não nos ama pelo que somos e sim pelo que ELE É!
    Deus te abençõe grandemente,sempre, sempre, sempre!!!
    R.

    ResponderExcluir
  2. Não. Deus nunca se decepciona conosco, nós é que nos decepcionamos conosco, quando achamos que damos conta do que afirmamos. Paz!

    ResponderExcluir
  3. Ah Rô, isso é verdade mesmo, você acertou no ponto!

    EU sou quem crio expectativas irreais a respeito de minha capacidade de "ser melhor" e acabo quebrando a cara feio.

    Mas até nisso há o lado bom: Significa que somos guiados pelo Espírito de Deus que habita em nós no que concerne ao conceito do bem e do mal, mas ainda habitamos neste corpo de pecado.

    Algo que já foi muito melhor definido por Paulo em Romanos 7, né?

    Obrigado pela visita, para mim é uma honra!

    vou dar uma passada lá no seu, tá?

    ResponderExcluir
  4. Oi, vim te visitar também...

    Olha, teu texto é bem coerente e lógico: Se Deus é onisciente, nada no universo pode abalá-lo, surpreendê-lo, chateá-lo, aborrecê-lo, decepcioná-lo, etc e etec e tal.

    Mas não sei mesmo se Deus é onisciente...nem sei o que Deus é em si, e acredito que os seus "atributos" lhe foram dados por nós mesmos...

    pois é, pois é, pois é, como diria a Chiquinha.

    gosto muito dos significados simbólicos da "queda"(que para mim não foi queda), e da saída do marasmo do paraíso para a aventura "lá fora".

    Não acredito em Adão e Eva como personagens históricos (coisa de crente fundamentalista que precisa ler a bíblia literalmente senão a bíblia não é "verdadeira").

    Mas respeito profundamente toda teologia e toda as religiões. No fundo, todas são "verdadeiras" e todas são "falsas"...

    complicado? Prazer, de novo(já me apresentei lá no Café), meu nome é Eduardo Medeiros, e só já comecei com um comentário com esse teor porque sinto que você é um cristão que "aquenta o tranco" ou mesmo, é um daqueles que vivem "dando tranco" rsssssss

    agente se vê. Abraços

    p.s: sou membro de uma igreja batista, e sou "cristão" há mais de 35 anos. Juro por...não, não vou jurar porque jurar é pecado.

    ResponderExcluir
  5. Eduardo meu querido...

    Estou respondendo com um sorriso no rosto. Gostei do que você disse meu irmãozinho!

    Curto muito dar e levar trancos no campo das idéias. Na verdade nem encarei seu comentário como um tranco. Temos muito em comum!

    Quando a Adão e Eva, eu pessoalmente creio que os dois existiram realmente. No campo da Criação, apenas tenho também minhas teorias pessoais (que não são novidade para ninguém, diga-se de passagem...).

    Eu creio que seis dias podem muito bem ser 6 eras, seis "sei-lá-o-quê"...

    Por que não bilhões e bilhões de anos nos intervalos????

    Outro lance que me deixa viajando na maionese está no intervalo do primeiro para o terceiro parágrafo de Genesis 1:

    "NO princípio criou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. E disse Deus: Haja luz; e houve luz".

    Cara, deve ter rolado muita coisa aqui até o "Fiat Luz" de Deus!!!!

    Mas aí já é outro papo...

    Deixo uma sugestão: Procure ler o livro deste rabino que citei no texto, o "O Quanto é Preciso Ser Bom", de Harold Kushner.

    Você vai ver que meu ponto de vista tem base em "algumas coisas" que já li... rere!

    Forte abraço!

    JC

    ResponderExcluir
  6. João, eu acho um equívoco querer moldar a narrativa bíblica da criação nas modernas teorias científicas, por uma questão simples: O texto bíblico não foi escrito como "ciência" mas como "teologia" (digamos assim, ainda que o termo no caso seja anacrônico, já que "teologia" é disciplina recente).

    Se fizermos uma análise científica do Gênesis o texto entra em colapso igual uma supernova...

    Então, eu gosto de ler a bíblia percebendo ou tentando perceber, porque o autor bíblico escreveu daquele jeito. Mas para isso, tem que se levar em conta o contexto cultural-religioso do autor(es) senão, a bíblia vira um samba do crioulo doido.

    Para mim está muito claro porque o relato sacerdotal colocou o mundo sendo feito em 6 dias. Não é óbvio? Para destacar o shabat, o dia do descanso e uma das principais instituições do judaísmo antigo. Logo, não tem nada a ver com "eras", milênios, etc.

    Tanto que no relato paralelo da criação nada se diz sobre dias e nem sobre descanso.

    abraços

    ResponderExcluir
  7. ah, esqueci. Valeu pela dica, vou tentar ler o livro. E quanto a Adão e Eva...bem, de fato, houve um primeiro casal "humano" né? Que seja o Adão e a Eva. Mas outras culturas mais antigas do que a dos judeus, também possuem, como você sabe, seus Adões e suas Evas. Logo, prefiro entendê-los como mitos.

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...