Labels

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Quem disse que eu não acredito que Deus existe?


“Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me sento e quando me levanto; de longe percebes os meus pensamentos. Sabes muito bem quando trabalho e quando descanso; todos os meus caminhos são bem conhecidos por ti. Antes mesmo que a palavra me chegue à língua, tu já a conheces inteiramente, Senhor. Tu me cercas, por trás e pela frente, e pões a tua mão sobre mim. Tal conhecimento é maravilhoso demais e está além do meu alcance; é tão elevado que não o posso atingir.

Para onde poderia eu escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença? Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura também lá estás. Se eu subir com as asas da alvorada e morar na extremidade do mar, mesmo ali a tua mão direita me guiará e me susterá. Mesmo que eu diga que as trevas me encobrirão, e que a luz se tornará noite ao meu redor, verei que nem as trevas são escuras para ti. A noite brilhará como o dia, pois para ti as trevas são luz”
Salmo 139:1.12

Lembrei-me deste trexo do Salmo 139 por estar conversando com uma amada irmã sobre o quê motiva uma pessoa a tentar "fugir" de Deus. Ao falarmos sobre isso, lembrei de um livro que li muitos anos atrás, chamado “A Invasão Secreta” (Hans Kristian e Dave Hunt, Editora Vida). Este livro relata as experiências de um cristão missionário que trabalhava nos países comunistas décadas atrás (no mesmo estilo “O Contrabandista de Deus” do Irmão André).

Num determinado momento o autor, que também era “contrabandista de Bíblias”, foi preso com um carregamento grande de "LPA's" (livro preto anacrônico, conforme um blogueiro frustrado com a Verdade costuma chamá-lo...) enquanto cruzava a fronteira de um país no leste europeu.

Na prisão, ele está conversando com um dos que o mantinha preso sobre Deus. Gostaria muito de estar com o livro em mãos para reproduzir fielmente o que eles conversaram, mas foi algo assim:

“Se vocês, comunistas, não acreditam que Deus existe, por qual razão gastam verdadeiras fortunas para tentar convencer a população de de que ele não existe?”


Ao que o comunista respondeu:

“Mas quem disse que não acreditamos que Ele existe?


"Então vocês são muito mais burros do que eu imaginava! Por que vocês fazem isso?"


"Nós sabemos que Deus existe; nós apenas não queremos nada com Ele..."


Assim caminha a humanidade...

Pense comigo. Lembra-se de quando você era criança e acreditava que tinha um bicho papão debaixo da cama esperando você descer para puxar seus pés? Eu me lembro perfeitamente disso. Morria de medo, era capaz de fazer xixi na cama só para não correr o risco de ser surpreendido pelo terrível monstro. Só que aconteceu uma coisa: Eu cresci, descobri que não existia monstro algum e perdi o medo de pisar no chão à noite.

Se eu, após ter descoberto que o monstro realmente não existia continuasse com medo dele, ou eu estaria sendo totalmente incoerente com a lógica dos fatos ou estaria tentando fazer com que outros tivesse medo de algo que na verdade não existia, apenas para manter estas pessoas dominadas por mim através deste artifício.

Da mesma forma, se ateus – sob todas as “formas” possíveis e imagináveis – “sabem” que Deus não existe com tamanha convicção, por qual razão dão tanto de seu tempo para combatê-lo?

A meu ver, não é que aqueles que não têm uma relação pessoal com Deus não acreditam que Ele existe. Se fosse assim, por qual razão despender tempo, energia emocional e seja mais lá o quê para lutar contra um inimigo imaginário?

A verdade neste caso é pura e simples: Como disse nosso amigo comunista algumas linhas acima, não é que eles não crêem que Deus não existe. Eles na verdade sabem que Ele existe sim, só não querem se relacionar com Ele. Seus descaminhos são a causa deles evitarem a todo custo uma aproximação com Deus. Temem que, caso se aproximem de Deus, terão que abandonar velhas práticas enraizadas e recomeçar uma nova história ao lado dAquele que tudo vê.

Isso me lembra daquela música do grande Raul Seixas, chamada Paranóia:



Quando esqueço a hora de dormir
E de repente chega o amanhecer
Sinto a culpa que eu não sei de que
Pergunto o que que eu fiz?
Meu coração não diz e eu...
Eu sinto medo!
Eu sinto medo!

Se eu vejo um papel qualquer no chão
Tremo, corro e apanho pra esconder
Com medo de ter sido uma anotação que eu fiz
Que não se possa ler
E eu gosto de escrever, mas...
Mas eu sinto medo!
Eu sinto medo!

Tinha tanto medo de sair da cama à noite pro banheiro
Medo de saber que não estava ali sozinho porque sempre...
Sempre... sempre...
Eu estava com Deus!
Eu estava com Deus!
Eu estava com Deus!
Eu tava sempre com Deus!

Minha mãe me disse há tempo atrás
Onde você for Deus vai atrás
Deus vê sempre tudo que cê faz
Mas eu não via Deus
Achava assombração, mas...
Mas eu tinha medo!
Eu tinha medo!

Vacilava sempre a ficar nú lá no chuveiro, com vergonha
Com vergonha de saber que tinha alguém ali comigo
Vendo fazer tudo que se faz dentro dum banheiro
Vendo fazer tudo que se faz dentro dum banheiro

Para...nóia

Dedico esta canção:

Para Nóia!

Com amor e com medo (com amor e com medo)
Com amor e com medo (com amor e com medo)
Com amor e com medo (com amor e com medo)
Com amor e com medo (com amor e com medo)...
Com amor e com medo...


Muitos tem evitado andar com Ele por terem esta visão de Deus... Que pena!

Reações:

13 comentários:

  1. Pastor,

    Bela postagem!

    Ouvindo essa canção angustiante do grande Raul eu percebo uma sede desesperada, o conflito em sua alma em querer esse grande amor, ENTRETANTO essa sua vontade/necessidade vital não bate com o Deus que lhe apresentaram. Daí a nóia!

    Já vi esse filme. Aliás, vejo todos os dias em reprise constante. Mas Deus é o Pai infinitamente misericordioso que há de completar a obra que ele começou em cada um dos coraçõezinhos sedentos do Seu imenso AMOR.

    Deus te abençoe!
    Rê.

    ResponderExcluir
  2. Esta música do Rauzito é muito louca!

    Quem já não pensou como ele descreve muito bem na letra?

    Por outro lado, esta paranóia só dura até entender que Deu não é um MALA intrometido, mas sim o grande amigo de todas as horas...

    Beijo!

    JC

    ResponderExcluir
  3. Olá J.C. e CIL,
    tudo legal?

    Eu tô vindo aqui, pois num comentário da Regina Farias, ví que J.C. me convidou a vir conhecer o Blog... bom, aqui estou...
    Desculpa a correria
    (estou até deslogado) mas meus dias estão passando mais rápido que do eu imaginaria que passariam nesse final de ano... Aliás, olha 'nóis' no final de ano de again...

    Curti o blog, devo licá-lo ao meu e posteriormente vir com mais calma para interagir...

    Fiquem na paz!

    WENDEL BERNARDES
    -------------------------------
    www.wendelbernardes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ah, valeu
    já tá devidamente lincado, ok?

    Paz!

    ResponderExcluir
  5. E aí, João...

    Passei na sua primeira postagem, primeiro, pra conferir sua sugestão. Interessantes os caminhos de Deus, ensinando a todos, no Seu tempo, as mesmas coisas, pra que todos cheguemos à perfeição!

    Quanto a esta postagem, posso dizer que me sinto como o salmista, no trecho que você citou: totalmente envolto pelo Espírito de Cristo, sendo direcionado por Ele nas mínimas coisas.

    Não tem pra onde correr: todos temos dentro de nós mesmos a percepção da eternidade e, conseqüentemente, de Deus. Assim, ou nos entregamos a Ele de coração, ou O rejeitamos. Mas a opção é sempre consciente de que Ele existe. Claro: quando passamos a conhecê-lO, aprendemos que Ele não existe, mas Ele É!

    A Rê tá certa: o anseio da alma do Raulzito (e de tanta gente) não bate com o deus que é apresentado por aí. Por outro lado, ele sabia que não seria em Paulo Coelho que ele encontraria o Deus verdadeiro, mas preferiu o atalho que ia acabar com a coceira dos seus ouvidos. Tomara que tenha achado o Caminho certo, antes do fim das chances!

    Grande abraço e continue na Paz!

    ResponderExcluir
  6. Li o Contrabandista de Deus quando ainda era muito jovem e li aquilo como um grande romance de suspense, espionagem...rsssss grande irmão andré!! queria por por que queria dar jesus a quem não queria jesus...mas, ao fim das contas, a cortina de ferro caiu e o povo russo hoje tem liberdade de querer ou não jesus publicamente.

    Aos seus algozes que criam em Deus só não queriam nada com ele, estavam no seu direito de não querê-lo, mas o que fizeram com aqueles que queriam foi um crime contra a humanidade.

    eu não acredito em nenhum deus. serei ateu...???

    pois é, amigo, para mim todos os deuses de todas as religiões, inclusive o deus judaico-cristão são apenas idealizações desse DEus que na verdade não pode ser conhecido mas que eu acredito que ele exista pois estou ligado sentimentalmente a ele mesmo sem ver sua cara e sem querer dizer que ele é assim ou assado.

    não que com isso eu seja contra a ideia do deus da bíblia, não. mas que deus realmente é esse? uns o tem como soberano que escolhe desde antes de criar quais das suas criaturas vão para o inferno e quais vão morar com ele; outros acham que esse deus não poderia jamais fazer isso pois tiraria a liberdade humana.

    para uns deus é uma amigo que anda com ele e que fala com ele. para outros deus está distante e não se relaciona com a criação.

    para outros deus está em processo de evolução junto com o homem e sofrendo junto com ele diante da impossibilidade de livrar o mundo do mal.

    outros dizem que ele é onipotente mas é impotente em relação ao livre-arbítrio e fecha os olhos para o mau do mundo; sofre com o mau mas nada pode fazer por enquanto para destruí-lo.

    e por aí vai. tantos quantos forem os crentes tantos quantos serão suas concepções de deus, do seu ser e da sua "história". é claro que a grande maioria nunca nem pensou sobre isso e apenas repetem os conceitos que aprenderam sem questionar.

    de tudo o que foi dito(por mim), o principal é este(para mim): creia no seu deus com todo seu fervor e com todo o seu coração e ama ao teu próximo como a ti mesmo e nunca diga que o teu próximo que não adora o seu deus que um dia irá para a condenação por crer diferente do que você crê.

    tudo o mais são apenas sementes de intolerância, monopólio do sagrado e pretensão metafísica.

    mas sei também que isso é uma utopia. os crentes se regozijarão com os salvos e com os perdidos que vão queimar para sempre no inferno ou em outro lugar equivalente por não ter feito a "escolha certa'.

    abração

    ResponderExcluir
  7. É como dizem: "Duvidar é acreditar", sinistro, mas faz todo sentido.

    Gostei do comentário do Eduardo, andei bisbilhotando seus sites e gostei do que vi. Só não entendi uma coisa - por tolice minha mesmo - você crê ou não em Deus? Você diz que não, mas o descreve muito bem. Há todas estas versões de "Deus" que você citou, você não precisa se encaixar em nenhuma delas, basta inventar a sua, desde que haja o mínimo de fundamento de razão e fé e claro: bíblico.

    Abraços,

    Tiago Sc

    ResponderExcluir
  8. Pastor,

    Seus textos são densos, acho que por serem bem dentro da vida, do respirar, do ser, enfim, da prática. Daí sempre quando releio "me pego" em algo que me faz pensar melhor. E mais: me inspira rss

    Por exemplo:

    Eu estava lendo sua alusão ao tal LPA utilizado de forma pejorativa por pessoas que se frustraram com a Verdade e aí pensei, mas qual será essa verdade que lhes foi enfiada goela abaixo como um pacote pronto?

    Sim, pois quem conhece A VERDADE, não se frustra.

    Frustrantes - posto que imperfeitos, incompletos e de um vazio que só Deus é capaz de preencher - são os segmentos religosos que sempre houve desde que o mundo é mundo, que inventam e reinventam, e que apenas muda a roupagem conforme a cabecinha "criativa" do ser humano.

    O bom é que Deus conhece os nossos coraçõezinhos criativos e sabe TUDO que se passa neles, conforme diz o salmista acima...

    O mesmo salmista que diz que Deus ri dos que falam coisas vãs; o mesmo salmista que diz do Deus que ZOMBA dessas tais inconstâncias.

    Mas o paradoxo é que esse mesmo Deus repaginado e seccionado por milhares é o Deus Único do Amor e da Misericórdia que diz ao que diz não acreditar n`Ele:

    "Sossega, filho, Eu acredito em você".

    bjs

    R.

    ResponderExcluir
  9. Eduardo, seu poço de contradições ambulante.

    Vou perguntar isso como se estivesse sentado no seu botequim tomando várias cervas com você (e com um grau de intimidade maior do que costumamos ter na church):

    Você conhece o Deus vivo, teve comunhão íntima com Ele e se decepcionou?

    Para mim isso é impossível!

    Esta doutrina "frankstein" que você criou é totalmente sem sentido! Cita Deus a todo momento, mas gosta de escrever seu lindo nomezinho com letra minúscula com a intenção de "chocar" seus leitores, mostrando certo ar de deboche.

    Por outro lado, fica evidente nas entrelinhas que você fala Dele com um misto de saudosismo e mágoa, como se fosse uma ex-namorada que você amou muito mas que te decepcionou por você ter tentado algo com ela mas ela não quis deixar (tô viajando no exemplo mas sei bem que você está me entendendo).

    Lembra-se da fábula de Esopo sobre A Raposa e as Uvas?

    Existem várias versões, cada qual escrita pelo ponto de vista de quem a reescreveu, mas basicamente a mensagem é a mesma:

    "Uma raposa que vinha pela estrada encontrou uma parreira com uvas madurinhas.

    Passou horas pulando tentando pegá-las, mas sem sucesso algum...

    Saiu murmurando, dizendo que não as queria mesmo, porque estavam verdes.

    Quando já estava indo, um pouco mais à frente, escutou um barulho como se alguma coisa tivesse caído no chão... voltou correndo pensando ser as uvas, mas quando chegou lá, para sua decepção, era apenas uma folha que havia caído da parreira.

    A raposa decepcionada virou as costas e foi-se embora de novo como um ar importante."

    Com bem disse a bispa Rê (ela me odeia por chamá-la assim), "quem conhece a VERDADE não se frustra".

    Meu amigo, falo tudo isso com amor. Acho você inteligentíssimo, engraçado, "fun to be with", só que falta a você uma coisa:

    "Toma agora teu filho; o teu único filho, Isaque, A QUEM AMAS; vai à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre um dos montes que te hei de mostrar."

    Todos nós temos nossos Isaques Dudú...

    Forte abraço e paga a próxima rodada!

    ResponderExcluir
  10. Tiago, a quem devo a honra de sua visita?

    Seus comentários fazem falta por aqui, pois sempre são muito profundos, vindo de dentro de mais um irmãozinho que já sofreu muito, mas continua no Caminho por conhecer a Verdade!

    Quanto ao grande Dudú, ele é assim mesmo. Amo-lho (risos) muito, mas gosta de fingir que não se relaciona com Deus (ou deus, ele gosta de colocar minúsculo mesmo), ao mesmo tempo que diz que paga um pau pra Ele.

    Basta ver estes dois trechos de seu comentário:

    "eu não acredito em nenhum deus. serei ateu...???"

    versus

    "acredito que ele exista pois estou ligado sentimentalmente a ele mesmo sem ver sua cara e sem querer dizer que ele é assim ou assado."

    Consegue entender?

    Se consegue, me explica!!!!!!

    Forte abraço meu brother!

    JC

    ResponderExcluir
  11. Bispa, o que dizer em complemento ao seu comentário?

    Nada, a não ser dizer que você escreveu a frase do mês:

    "Sim, pois quem conhece A VERDADE, não se frustra."

    Beijo grande!

    JC

    ResponderExcluir
  12. olha joão, eu não escrevo deus com d minúscula para chocar ninguém. aliás, eu não quero chocar ninguém. acontece que quando chego num blog de um conservador (desculpe a palavra mas não acho outra) que é inteligente e que gosta de dialogar, eu me sinto à vontade para pôr meus pensamentos. jamais faço isso num blog de um "pequenino"(entendeu né?)

    eu geralmente escreve tudo em minúscula para ganhar tempo nos comentários mas escrever deus em minúscula ou maíscula para mim não faz diferença.

    eu acho que eu fui claro quanto ao meu pensamento no meu comentário anterior.

    sou um saudosista do deus javé? sou, mas sei que ele não é Deus (entendeu né?). repetindo, para mim, todos os deuses de todas as religiões são apenas representações dessa coisa para mim inominável que se costuma chamar de Deus.

    entendeu? i-no-mi-ná-vel. por isso não levo mais nenhuma teologia à sério.

    não sou frustrado com o deus da bíblia. leio mais a bíblia do que qualquer outro livro (para minha própria condenação dirão alguns..rss) mas eu sei que levar isaac para ser sacrificado é apenas um relato religioso ancestral que não pode ser fato real, pois ainda que o deus javé fosse a tal VERDADE, ele seria um deus bem rasteiro por pedir um filho a um pai em sacrifício ainda que para testá-lo. testá-lo??? "agora sei que temes a deus..." o pior é que abrãao estava disposto a matar o próprio filho. o autor de hebreus tenta dar uma aliviada na situação mas é causa perdida...

    então, meu amigo, eu não preciso ter meu isaac.

    estou muito bem assim. respeito todas as fés mas duvido que alguma delas tenha a VERDADE em relação ao inominável.

    deu para entender ou ainda está paradoxal? kkkkkkk

    "Você conhece o Deus vivo, teve comunhão íntima com Ele e se decepcionou?"

    ora amigo, todo e qualquer ser religioso e quem tem fé em algum deus, o tem por deus vivo. e aí, qual deus é mais vivo que o outro?

    e a fábula da raposa não me diz respeito. a fé cristã é minha herança sentimental, só isso. sem frustrações.

    ResponderExcluir
  13. Você é uma figura Dudú...

    Já te falei que te amo?

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...