Labels

quarta-feira, 31 de março de 2010

Homens-urubus...


Tanta gente hoje já me perguntou se eu fiquei feliz com a vitória do Dourado que eu estou começando a ficar pê da vida com a imbecilidade de 154 milhões de brasileiros que perderam seu tempo assistindo/votando no lixo do Big Brother para fazer um cabra ganhar uma bolada de 1,5 milhões de reais.

Se pararmos para ver, o Big Brother – assim como as novelas, Pânico na TV, Ratinho, Super Pop e outros lixos/programas de auditório – são como cigarro: Mesmo que você não fume acaba se intoxicando como fumante passivo, pois sempre alguém vem falar com você do que rolou no programa do dia anterior.

Como uma nação pode ser tão imbecilizada assim? Como o mundo tem necessidade de consumir junk food, lixo mesmo, daqueles que para poder assistir você é obrigado a colocar seu bom senso e valores de lado, caso ainda o tenham?

Enfatizo, repito: Eu creio que perder tempo com este tipo de programação é uma negação de seus próprios valores, caso tenham algum. É se nivelar por baixo, é despir-se de dignidade. Comer este tipo de lixo mostra o tipo de estômago que cada um tem.

Assim como os urubus que devoram carniça, os romanos que iam ao Coliseu assistir os cristãos sendo devorados por bestas, da mesma forma a sociedade hoje é ávida por carne humana, más notícias, lixo...

Que tipo de sadismo é esse? Não é apenas ‘assistir um programa’, sem contaminação. É exposição do interior, que digere qualquer coisa por também estar podre. Ao menos os urubus cumprem um papel importantíssimo na natureza, pois – sem querer dar uma explicação super científica - possuem um estômago com capacidade de digerir aquilo tudo, devolvendo através de seus dejetos a podridão ‘reciclada’.

Mas com a humanidade não é assim. Aquilo entra, fermenta, azeda, estraga, apodrece e transforma o caráter.

Não vejo por onde um consumidor compulsivo por este tipo de programação não ter seus valores corrompidos pois, se estão assistindo de livre e espontânea vontade, estão compactuando com aquilo, demonstrando assim que são urubus carniceiros.

Só por Deus mesmo! (E desculpem o desabafo.. rsrs)

Em tempo: Me perdoem os urubus...

Reações:

6 comentários:

  1. Cuidado, aquilo que alimenta sua alma, um dia vai se concretizar!

    É, meu mano, concordo contigo,não há como sair ileso desta passagem pelo monturo.
    Aqui em casa, a vênus platinada não tem vez,não porque é a tv de anti-crente ou coisas assim, mas porque a programação oferecida no geral, não nos agrada, não adiciona nada nem em termos entretenimento.

    BBB não me diverte, agride minha inteligência. Eu gostaria que fosse assim com muitos.

    ResponderExcluir
  2. O controle está em nossas mãos, literalmente... é só mudar de canal né?

    ResponderExcluir
  3. Respondendo o seu comentário: o próximo Tempos de Paz deve ser em junho, quando eu souber a data te aviso... e queria saber se vc e sua esposa aceitam meu convite para ir ao meu batismo, acho que é uma boa oportunidade da amizade sair daqui do virtual... claro que a escolha é de vcs... rsrsrsrs ainda não sei a data, creio q será por esses dias em abril, mas se vcs quiserem e puderem, me avisem.... bjs e fique nA Paz...

    ResponderExcluir
  4. Pois é... realmente não dá para se estar próximo do lixo sem pelo menos ficar cheirando a lixo. E como recomenda a boa prática é bom lavar as mãos caso tenha manuseado o lixo!

    ResponderExcluir
  5. A maioria critica, mas eu acredito fielmente quem em algum momento, todos já se apegaram a possibilidade de um dia estar lá também. Quando estamos em uma situação difícil de grana e todo aquele prêmio. (afinal esse ano foi de R$1,5 milhão)

    Em um país onde a desigualdade é grande, injusta. Podemos parar para pensar: por que não?!?!?

    Participar de um programa como BBB não tira integridade nem valores. Ao contrário, só nos faz perceber do que e ate onde as pessoas são capazes de chegar por dinheiro, status, ou seja lá o que for que coloque em duvida seus princípios.

    Como dizia aquela frase conhecida:
    " quer conhecer o homem dê poder a ele"

    ResponderExcluir
  6. Entendo seu ponto e concordo com ele. Se eu ou você fossemos chamados para participar certamente participaríamos.

    O pastor Pedrão da Comunidade Batista do Rio, igreja onde congrego, participou do "No Limite" alguns anos atrás e seu testemunho foi uma benção lá.

    Para mim o problema é ficar escravizado, assistindo via "pay per view" este tipo de programação...

    Um abraço meu brother!

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...