Labels

quarta-feira, 14 de abril de 2010

É um engolindo o outro!


12:23hs de quarta-feira, 14 de Abril de 2010. A famigerada ‘hora-morta’, onde você tem um monte de coisas para resolver que impedem você de sentir fome versus o mundo todo que sai para almoçar, fazendo linha de impedimento, te deixando de cara pro gol mas sem condições legais de meter a bola pra dentro.

Por qual razão eu sou assim? Por que quero ter tudo sob meu controle? Por que o mercado de trabalho exige tantos resultados, a ponto de você se tornar mais um caçador, abatendo presas (presas = concorrentes), ao preço de que se você assim não o fizer você será a presa. Parece aquela frase inicial no filme Cartas na Mesa onde o personagem interpretado por Matt Damon diz que “se em 30 minutos de jogo você não descobrir quem é o pato da mesa, VOCÊ É O PATO”.

Inúmeras cartas postas à mesa. Nenhuma serve para eu fechar meu jogo. A carta que eu preciso está na mão do meu pseudo-adversário. O mesmo adversário que encontrei semana passada na Intermodal (feira de negócios na área de Comércio Exterior). Cumprimentamo-nos, trocamos cartões. Gente como eu, também precisa ganhar o pão de cada dia.

Por que temos que ser concorrentes? Será esta a linha de raciocínio correta a ser seguida? Digo tanto a de aceitar tranquilamente a idéia capitalista de que é assim mesmo, um engolindo o outro, só os mais fortes sobrevivem ao mercado versus a talvez utópica idéia de que há espaço para todos no mercado e que deveríamos dar as mãos e sair por aí.

Sei lá o que pensar, francamente.

Só sei que isso cansa. Manter o mínimo de lucidez e controle emocional perante milhares de diferentes pontos de tensão do dia a dia me faz pensar se realmente temos condições de administrar tudo ao mesmo tempo e sairmos ilesos ao final de nossa jornada. A não ser que eu vivesse do ministério, talvez...

Se eu tivesse no campo missionário creio que minha igreja ou alguma agência missionária estaria me bancando. Mas quem bancaria as duas fontes da minha renda? Membros das igrejas, cristãos comprometidos com a obra...

Mas de onde viriam seus recursos? Desta imensa roda-viva que se alimenta da desgraça, miséria e concorrência algumas vezes desleal e que em troca nos premia no fim do mês com nosso suado salário? Está fazendo sentido o que quero dizer?

De uma maneira ou de outra este dinheiro será ganho através da desgraça e miséria de outro! Sei que "Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores" (1Ti6:10) mas - mesmo que não o amemos - não vivemos sem ele, e as formas de ganhá-lo são "justas" aos olhos do mundo, mas alguém ficou chorando desempregado ou por que perdeu seu melhor cliente...

Anyway, isso cansa gente. Viver correndo atrás do vil metal cansa. O preço que pagamos para que ele entre em nosso bolso é muito alto, pelo menos na área da prestação de serviços, a qual trabalho.

Vivo como um pato num lago deslizando pelas águas numa aparente paz e tranqüilidade MAS, sob as águas, minhas patinhas estão se agitando com toda força para me impulsionar para frente.

Faço uma pergunta simplista por preguiça de pensar mais a respeito (talvez o faça depois): Há espaço para todos? Um dia isso vai mudar ou a tendência é piorar? E não estou falando do que será “um novo Céu e uma nova Terra” que aguardamos com esperança. Digo aqui, daqui uma semana, um mês, um ano, no próximo governo...

Reações:

1 comentários:

  1. faz tempo que não passo por aqui... me identifiquei mais uma vez com seu texto... sou estudante de Direito e advogados, infelizmente, são mal vistos por aí... faço estágio em um escritório tranquilo sob o ponto de vista da concorrência pois lá não tem muito para onde crescer por ser pequeno... mas já estagiei em um grande escritório e posso dizer que me sentia como vc... eu ficava horrorizada com o jogo de interesses, com a falsidade, com o "pagando bem, que mal tem?"... não aguentei e fiz que nem no tropa de elite: pedi para sair... rsrsrsrs ainda não sei como será minha vida profissional, o que sei é que dinheiro é muito bom mas que não toparei qualquer coisa em troca dele... bom dia !!!!! fica com DEUS !!!

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...