Labels

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Não creio no deus dos evangélicos...



Sim. "deus" com "dê" minúsculo...

Sai de casa hoje pela manhã em direção ao escritório e vim pensando a respeito da relação dos evangélicos com o Deus que professam crer. Fiquei pensando sobre as multidões que se nomeiam cristãos e enchem os templos em busca de soluções imediatas para seus problemas, crendo que pelo simples esfregar de mãos na lâmpada maravilhosa chamada fé sairá um gênio que concederá não apenas três, mas todos os desejos que suas vontades deturpadas e corrompidas pela cobiça e avareza forem a ele apresentados.

Esfregam as mãos na lâmpada em Nome de Jesus, aquele que morreu na Cruz do Calvário não apenas para pagar nossos pecados, mas (de acordo com sua fé) também para satisfazer cada desejo de seus corações corruptos. Aliás, perdão de pecados nem está em voga. É uma mensagem totalmente fora de moda. Servir a Deus por quem Ele é então não faz o mínimo sentido. Como costumam dizer: “Como verão Deus em nossas vidas se não formos abençoados com curas, riquezas, prosperidade, blá, blá blá?”

O evangélico mediano, aqueles que todo mundo tem ao menos um na família, é um garimpeiro de bênçãos que tem medo, vergonha ou receio de ser mal visto por outras pessoas, mas na verdade faria qualquer coisa para receber aquilo que deseja. Prega e esconde-se atrás de uma religião vazia, externa, cheia de usos e costumes, tendo até aparência de sabedoria mas sem valor algum senão para a satisfação de sua carne (Leia Colossenses 2 na íntegra).

Sabe que roubar pode dar cadeia, não tem coragem de se meter com o diabo (mas bem que o faria se soubesse que no final das contas isso não daria inferno e, de certa fora, o fazem sem saber) mas não aceita que do simples fruto de seu trabalho na presença de Deus possa advir o suficiente para suas necessidades e ficam lá, como diz na música do Bob Dylan, "knoking, knoking, knoking on the heaven's door..."

Não conseguem viver o milagre cotidiano. Não aceitam estar onde estão. Acham muito pouco viver a vida que Deus deu a eles, não se conformam com o pão nosso de cada dia. Não crêem no caráter de Deus, aquele que está no controle de todas as coisas. Trilhando nesta direção porém, estão a anos-luz de distância do Caminho. Estão jogando na loteria espiritual, mas caso acertem a “seis dezenas” (sugestivo né? 6 dezenas...) o prêmio não será pago por Deus.

Como está escrito em Mateus 6:24, “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom”.

Gostaria e não gostaria de saber o que passa no coração de Deus a respeito disso. Deve doer, deve deixá-lo irado. Não sei. Sei apenas que sempre que paro para pensar nisso meu estômago embrulha.

De coração, quero que haja um verdadeiro avivamento em nossas (NOSSAS) vidas, no meio da Igreja (agora sim com “I” maiúsculo..). Que possamos fazer a diferença. Que possamos refletir a glória de Deus entre todos. E que todos que nos vejam sintam sede deste Deus maravilhoso por quem Ele É, não pelo que hoje é pregado nos templos de feitiçaria gospel.

Que a Palavra de Lamentações 3:22 seja profética e alcance todos em tempo hábil para arrependimento:

"As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim..."

Reações:

4 comentários:

  1. Amado irmão!

    Olha eu aqui novamente! Você sabe que gosto muito do seu blog e dos seus textos - e isso há muito tempo. Se não tenho vindo, realmente não tem muita explicação, talvez uma certa amargura com essa mesma igreja que você tão bem delineou no seu texto ( o que me distanciou de tudo)... Aliás, eu tenho vários textos falando desse assunto, da podridão que está sendo disseminada dentro dessa igreja com "i" minúsculo; nesse "deus" com "d" minúsculo que os evangélicos-macumbeiro-gospel têm oferecido culto (nadinha racional).

    Só pra você ter uma ideia, lutei, lutei contra essas heresias dentro da minha igreja local até não suportar mais. Saí. Ou melhor, eles "saíram" comigo. Sabe, eu não sou tão espiritual quanto eles...

    Vou continuar na minha igreja - invisível - sem portas, janelas, paredes: a igreja com "I" maiúsculo. Ainda tentarei buscar um lugar em que adorem o Deus Todo-Poderoso; o Deus da graça.

    ... E seguindo adiante, até que possamos ir ao encontro dEle.

    Maranata!

    Grande abraço, é um prazer falar contigo novamente.

    Deus o abençoe grandemente!

    Ricardo

    ResponderExcluir
  2. Fé é crer no carater imutável de Deus e não no impossível de Deus. Você acredita que nEle não há mudança? Isto é fé...

    Engraçado que Jesus, em sua passagem por aqui, nunca usou as maravilhas e milagres para fazer promoção do Reino e sim, por misericordia e amor extremo. Seus "seguidores" fazem tudo do avesso...

    ResponderExcluir
  3. Olá Pastor, conheci seu Blog através da Adriana - Razão da Esperança, tenho visto que estamos na mesma sintonia, vide ultimos posts do meu Blog: http://recortecotidiano.blogspot.com/2010/04/coisa-de-gente-grande.html e http://recortecotidiano.blogspot.com/2010/04/deus-e-lampada-maravilhosa.html a verdade é que a gente anda cansado desse discurso vazio, mas nosso desapontamento não nos rouba a fé no Deus invisivel. Ótimo conteúdo. Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Pois é, acredito piamente que não tenha lido os textos do Blog e isso me deixou ainda mais impressionado com a semelhança de nossas idéias, estamos na mesma sintonia e rejeitamos esse evangelho e fugaz. Muito obrigado pelo carinho e forte abraço!

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...