Labels

domingo, 11 de abril de 2010

Isso não acaba nunca?


Eu sempre estou cheio de perguntas. E uma delas é a de sempre: Por qual razão há momentos na vida em que aparentemente nada faz sentido?

Esta é uma sensação é natural? Só eu encano com estas coisas?

Ao pensar sobre isso me lembrei de uma mensagem ministrada pelo Pr. Sóstenes Mendes, intitulada Dor de Crescimento*.

Resumindo mal e porcamente esta mensagem, dor de crescimento é quando parece que eu cheguei ao fim de um estágio em minha vida mas não percebi. Começo a conviver com o silêncio, o marasmo e o vazio. Uma situação que começa a se arrastar por algum tempo. De repente começa a se passar muito tempo e nada acontece. É uma sensação incômoda e eu não quero ficar parado naquela situação o resto de meus dias. Tipo quando eu insisto em usar uma roupa que não me cabe mais. Pode até ser que eu consiga vestir aquela roupa, mas vou ficar desconfortável pois meu corpo mudou. Na verdade vou ficar ridículo. É possível até eu fingir que não está acontecendo nada e tentar ficar nesta posição o resto de sua vida, mas não tem como. Quanto mais tempo eu perco mais o desconforto aumenta, até se tornar insuportável.

Eu tenho também a opção de recuar e fingir que não cheguei àquele ponto. Posso tentar agir como Morpheus sugeriu para Neo em Matrix: ‘Tome a pílula azul e você vai esquecer-se de tudo o que aconteceu até este momento’. Algo como restaurar meu micro com as configurações de dias anteriores. Mas isso eu me recuso a fazer. Dar um passo atrás não vira. Muita coisa já foi escrita em minha vida e não tem como ser apagada. Algo como ter construído um castelo de cartas e de repente decidir tirar uma delas da base achando que o restante da estrutura vai aguentar.

Só que dentro de mim algo se move impacientemente e me obriga a fazer algo. Me rendo e decido avançar. É a coisa certa a ser feita. Tiro a bunda da cadeira e me levanto. Só não sei exatamente que direção tomar nem como começar. De repente acontece algo: Minha visão se abre após os primeiros passos e as coisas começam a acontecer. Como que por um milagre, o mar se abre e eu avanço em terra firme.

Descubro que aquele paredão em minha frente era apenas um degrau. Mais um degrau a ser subido. Com o passar do tempo cada vez mais me depararei com estes paredões. Os intervalos serão menores, as ações deverão ser tomadas mais rapidamente. Terei que subir, subir, subir.

Onde isso vai acabar? Eu não sei. Avançar sempre, escalar degraus, vencer gigantes, matar leões, lidar com perseguições, laços e armadilhas, como que num pesadelo. É punk. Só andando para ver onde esta trilha vai chegar.

Somente eu tenho estes questionamentos? Isso faz sentido para você? Também estou em busca de respostas.

*P.S: Caso você queira, ouça a mensagem 'Dor de Crescimento'

Reações:

2 comentários:

  1. Boma dia, boa semana e boa escalada rsss

    Lembrei da Alice no pais das Maravilhas, o livro, e recomendo um filme que assisti este final de semana chamado Doubt.

    abraço

    ResponderExcluir
  2. Achei que só eu me questionava sobre estas coisas!!! Brincadeira... sentimentos assim rondam o coração das mentes pensadoras. Enjoy the pain my friend! Vale lembrar outra música das antigas: "That's what matters" da Rebecca St James, que diz:

    "Don't wish for a better day
    Be glad and use the one you're in
    Fear God and do exactly what He says
    That's what matters
    All else fades like the flowers"

    Abraços meu amigo!

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...