Labels

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Estava muito só...


Ontem cheguei na igreja como se estivesse indo a um velório. Nada em relação a igreja, que é uma benção. O problema estava comigo. Me sentia só, muito só, mas não era solidão de estar sozinho. Era solidão de tristeza. Nada específico, creio que era o conjunto de diversas situações adversas que passamos nos últimos dias.

Dentro de mim um vazio imensurável. Procurei um banco para ficar e comecei a acompanhar os louvores que estavam sendo cantados do púlpito. Tudo normal, tudo uma benção, mas eu não estava lá. Estava de “corpo presente”, mas minha alma vagava sem rumo. De onde vinha tanto vazio?

Mantendo a fé, fiquei lá no culto. Sabia que tinha que estar lá, mesmo no bagaço que me encontrava. Como um para-raio de plantão, sabia que mais cedo ou mais tarde a presença do Altíssimo me tocaria. Chorava pra cacete.

Após o louvor o pastor Wesley chamou aqueles que precisavam de oração à frente. Fui o primeiro a levantar, mas cheguei lá e não conseguia pronunciar uma palavra que fosse. Apenas chorava, chorava baixinho, mas chorava muito. Soluçava quase que para dentro, as lágrimas jorrando como fontes.

Após a oração nem me sentei. Fui direto em direção ao corredor principal. Tinha que ir ao banheiro para limpar a fuça. Dei de cara com o pastor Jonas, que me olhou e veio em minha direção. Abracei-o e chorei mais. Trocamos algumas palavras, fui ao banheiro e voltei ao meu banco. A palavra seria ministrada por um missionário brasileiro que estava em Angola.

Gosto de missões e missionários. Ouvia-o com atenção, vendo tudo o que Deus estava fazendo através de sua vida. Fiquei impressionado com os relatos de como a feitiçaria era dominante na região que ele se encontrava com a família. Mais ainda com a falta de preparo da grande maioria dos líderes da região, que temiam os feiticeiros e não ousavam confrontar as práticas demoníacas com a verdade do evangelho.

O tempo passou, acabou o culto. Abracei o pastor Wesley pelos corredores, conversamos alguns minutos e fui para casa. Não aconteceu nada de sobrenatural. Apenas o contato com os irmãos foi suficiente para acalmar meu coração.

No trajeto para casa fiquei pensando: Se hoje está assim, dores, sofrimentos, vazios sem fim, como ficará mais pra frente? A igreja brasileira não vai viver assim de boa por muito tempo. Tendo a palavra como sendo digna de toda a aceitação, os dias se tornarão mais e mais difíceis.

Cada vez mais seremos confrontados com estes momentos de vazio e dor. Cada vez mais iremos de encontro a imensos caminhos os quais não saberemos onde findarão. Teremos apenas que crer na bússola que temos em mãos e avançar a passos firmes rumo ao nosso Mestre, mesmo não conhecendo um palmo do caminho que está diante de nós.

Algumas vezes nos dirigiremos aos “oráculos”, como fez Neo em Matrix, tendo nenhuma resposta concreta do que nos espera. Algumas vezes nossa “anima” estará desanimada. Sentiremos esta sensação de corpo presente, espírito longe, muito longe. Cada vez mais teremos saudades de um lugar que nunca fomos, mas iremos em breve.

Não sei se faz sentido nem me importo que faça. É apenas um desabafo. Desabafos são desabafos...

Reações:

8 comentários:

  1. vixiiii,
    como diz meu amigo-irmão amado.
    na última semana estive com esta certa saudade...

    ResponderExcluir
  2. Vixxiiii? Quem fala vixxxi?

    Viixxxiiii, eu ein...

    rsrs

    ResponderExcluir
  3. No Geniza tem um post sobre o Chico Xavier, vamos apostar 10 reaus que vai ter baixaria gospel, intolerância, orgulho religioso e outras cositas mas?

    viiixxxxxxiiii mermo, meu irrrrmão

    Ah, esta sua sensação de abandono cosmico acompanha a vida dos grande pensadores e homens que geraram mudança significativas no grupo em que estavam inseridos.

    ResponderExcluir
  4. Vida de profeta é assim... tá ligada né mina?

    ResponderExcluir
  5. Há duas músicas do Rebanhão (tudo bem, sei que é das antigas...) que eu amo cantar quando esta saudade está realmente forte: "Me leva pra casa" e "Velho amigo", ajuda a seguir em frente...
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Eu sou das antigas, adoro Rebanhão! (do jeito que a coisa anda vão me chamar de idólatra...)

    O Carlinhos Felix esteve cantando lá na minha igreja uns meses atrás, foi uma !bença"!

    ResponderExcluir
  7. sei exatamente o que cada palavra e relação a vazio quer dizer...estou assim agora...só não consigo voltar lá e ver os mesmos rostos vazios que não se importam...

    ResponderExcluir
  8. Nascemos sos e vivemos.
    Tudo resto e envencao da tua cabeca.
    cpm
    manuel de jesus

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...