Labels

segunda-feira, 21 de março de 2011

Louvor, comunhão, discernimento, livramento, avivamento...

Há algum tempo tenho notado a presença do Espírito Santo agindo de uma maneira especial em minha vida, me influenciando a tomar decisões e direções específicas, como a muito tempo não acontecia. Isso até se deu (o “não acontecer”) por eu ter endurecido meu coração para alguns assuntos espirituais e relacionais, devido à porradas que tomei e não soube lidar.

Entretanto, desde que notei isso acontecendo, tornei a me inclinar ao Senhor como nos primeiros dias. Inevitavelmente, passei a ter uma maior comunhão com o Senhor e Ele passou a encontrar espaço em mim para agir.

Uma das decisões que tomei e cheguei até a insinuá-la em um de meus últimos posts foi a de que voltei a dar espaço ao sobrenatural de Deus em minha vida. Não consigo conceber uma relação com Deus onde somente a mente ou somente o sobrenatural domine. É necessário o movimento constante do pêndulo em um e outro extremo para que haja uma vida cristã autêntica e equilibrada.

Com espaço para agir, o Senhor passou a me dar discernimento sobre certas situações que eu estava vivendo sem, entretanto, conseguir alcançar êxito.

Isso posto, vou tentar abreviar o que aconteceu comigo este final de semana.

Como alguns da “cúpula” da IBL devem se lembrar, após ter recebido a excelente notícia de ter conseguido uma vaga em Nutrição na Unirio, revertendo um quadro aparentemente impossível (alguns teriam desistido no primeiro “não”), disse em um email de agradecimento aos meus amados irmãos que perseveraram em oração que:

“...com este ‘Sinédrio’ unido não tem oração contrária que resista!

Vou te falar: O que teve de gente que ficou feliz ao ver que eu tinha rodado! Agora, como disse o Velho Lobo Zagallo, VÃO TER QUE ME ENGOLIR!

Não no sentido de orgulho, pois estou ciente que isso que aconteceu foi um "mimo" do Papai, mas no sentido de poder testemunhar que SIM, DEUS FAZ O QUE QUER, QUANDO QUER E SE QUISER!”


Isso foi sexta feira durante o dia. À noite, cheguei em casa após ir à academia, fiz uma pizza (FIZ, não comprei pronta), jantei com meu amor e fomos dormir. Lá pelas tantas da madrugada acordamos com uma explosão muito forte. Corri para a varanda e vi um carro preto, grande, luxuoso (não consegui identificar o modelo) parado em frente ao prédio que moro. Um homem desceu do carro se dirigiu até onde estavam colocados dois grandes sacos de lixo preto, se agachou e aparentemente remexeu os sacos.

Fiquei olhando aquilo sem saber o que ele estava fazendo, até que ele olhou para cima, me encarou por alguns segundos e entrou no carro. Antes de ver o que aconteceria saí da varanda, fechei a porta de vidro e entrei no meu quarto, voltando a dormir alguns instantes depois. Na teoria o carro parado não tinha necessariamente ligação com a explosão...

No dia seguinte pela manhã encontrei o zelador de meu prédio e perguntei se ele sabia o que tinha acontecido. Ele disse que tinha enchido a cara na noite anterior e nem ouviu o que aconteceu. Saí então com ele e expliquei o que havia visto, reconstruindo os movimentos do homem que saiu do carro. O pessoal do bar da frente estava prestando atenção e perguntei também para eles se haviam visto/ouvido algo e um deles disse que o kit gás do carro tinha explodido.

Aliviado, disse “que bom, pois quando houve a explosão fiquei preocupado pela forma que o rapaz ficou olhando para mim quando ele me viu na varanda na hora que ele remexia aqui nos sacos de lixo...” enquanto refiz os movimentos daquele homem.

Para surpresa minha, ao levantar o saco de lixo encontrei algo que não esperava: Um cartucho calibre 12...

Todos vieram ver o cartucho. Eu achei que ele estava deflagrado, o que explicaria o som de “explosão”, mas eles falaram que aquele cartucho estava intacto. Um deles disse para o outro: “é, não explodiu kit de gás p@#*! nenhuma, foi tiro mesmo!...”

Sem saber como agir, peguei o cartucho e disse: “vou encontrar alguém para entregar isso”, obviamente pensando em algum policial. Saí, comprei pão com aquela coisa na minha mão e vi uma viatura da polícia passando na pista contrária ao lado da calçada em que me encontrava. Orei rapidamente a Deus, pedindo que ele não me deixasse entrar em alguma enrascada e acenei.

Eles pararam a viatura e eu comecei a explicar o que tinha acontecido ao policial que estava no volante, enquanto outro desceu com metralhadora em punho e perguntou pra mim: “Ei, isso em suas mãos é munição?” ao que respondi meio que inconseqüentemente: “É exatamente sobre isso que estou falando com seu companheiro...”

Entreguei o cartucho aos policiais (após o que desceu baixar a metralhadora que estava “meio” apontada em minha direção...), fui instruído a ligar para o 190 caso acontecesse algo diferente e fui embora, tremendo nas bases (algumas vezes temo mais a polícia do que os bandidos...).

Conversei muito mais sobre Deus com a Cilene durante aquele dia, um dia “ressaquento” digamos assim. Durante a noite não sabia exatamente o que assistir na TV por “sentir” que não era para perder tempo com nenhum lixo que estava passando. Como que para confirmar o que sentia em meu espírito, faltou luz...

Fui com a Cil para a varanda e conversei muito mais a respeito o que Deus vinha fazendo em minha vida. Falei de minha desilusão com a liderança da igreja que insistia que eu deveria fazer um “A Sós Com Deus” e me deixava com a sensação de ser um neófito na fé (aos olhos deles), falei da forte impressão que a atual igreja que estávamos indo tinha um “quê” de “Arca de Noé”, apenas preocupada em salvar quem estava dentro, falei de minha visão de “não deixar de congregar”, dizendo que “congregar” era mais do quê estar no templo construído por homens e sim estar em comunhão com gente “de Deus mesmo”, como o que tem acontecido entre eu e o René, a Regina, o Cláudio, a Dri, o Wendel (não é jabá nem “puxa-saquismo”, pergunta pra ela se não falei muito sobre vocês, em lágrimas...) e tantos outros que conheci virtual ou pessoalmente e que me influenciaram profundamente.

Sentindo-me mais leve e cansado de levar picada de mosquito, entramos e fechamos a porta da varanda. Sem luz, a sala estava meio abafada. Fomos para o quarto, acendi uma vela e pedi a Deus para que Ele nos desse uma palavra específica sobre o que tínhamos conversado, até para selar aquele momento, pois em nossa conversa foquei muito no que tinha vivido com o Senhor em comunhão simples, sem a necessidade de “um pregando e o resto dizendo amém”...

Enquanto a Cilene foi ao banheiro eu orei a Deus dizendo, “Senhor, eu sei que queres estreitar nossa relação, assim como éramos no início de minha caminhada. Pode deixar Senhor, vou continuar na sua presença mas faz voltar a luz, aqui está muito abafado...”

Abri a Bíblia ao acaso e comecei a ler aleatoriamente, mas NÃO procurando um texto tipo, “fala comigo Deus!”.

Caiu em Isaías 26:

“Naquele dia este cântico será entoado em Judá:

Temos uma cidade forte; Deus estabelece a salvação como muros e trincheiras.Abram as portas para que entre a nação justa, a nação que se mantém fiel. Tu, Senhor, guardarás em perfeita paz aquele cujo propósito está firme, porque em ti confia. Confiem para sempre no Senhor, pois o Senhor, somente o Senhor, é a Rocha eterna.

Ele humilha os que habitam nas alturas, rebaixa e arrasa a cidade altiva, e a lança ao pó. Pés as pisoteiam, os pés dos necessitados, os passos dos pobres. A vereda do justo é plana; tu, que és reto, tornas suave o caminho do justo.

Andando pelo caminho das tuas ordenanças esperamos em ti, Senhor. O teu nome e a tua lembrança são o desejo do nosso coração. A minha alma suspira por ti durante a noite; e logo cedo o meu espírito por ti anseia, pois, quando se vêem na terra as tuas ordenanças, os habitantes do mundo aprendem justiça.

Ainda que se tenha compaixão do ímpio, ele não aprenderá a justiça; na terra da retidão ele age perversamente, e não vê a majestade do Senhor. Erguida está a tua mão, Senhor, mas eles não a vêem! Que vejam o teu zelo para com o teu povo e se envergonhem; que o fogo reservado para os teus adversários os consuma.

Senhor, tu estabeleces a paz para nós; tudo o que alcançamos, fizeste-o para nós. Ó Senhor, ó nosso Deus, outros senhores além de ti nos têm dominado, mas só ao teu nome honramos. Agora eles estão mortos, não viverão; são sombras, não ressuscitarão. Tu os castigaste e os levaste à ruína; apagaste por completo a lembrança deles!

Fizeste crescer a nação, Senhor; sim, fizeste crescer a nação. De glória te revestiste; alargaste todas as fronteiras da nossa terra. Senhor, no meio da aflição te buscaram; quando os disciplinaste sussurraram uma oração. Como a mulher grávida prestes a dar à luz se contorce e grita de dor, assim estamos nós na tua presença, ó Senhor.

Nós engravidamos e nos contorcemos de dor, mas demos à luz o vento. Não trouxemos salvação à terra; não demos à luz os habitantes do mundo. Mas os teus mortos viverão; seus corpos ressuscitarão. Vocês, que voltaram ao pó, acordem e cantem de alegria. O teu orvalho é orvalho de luz; a terra dará à luz os seus mortos.

Vá, meu povo, entre em seus quartos e tranque as portas; esconda-se por um momento, até que tenha passado a ira dele. Vejam! O Senhor está saindo da sua habitação para castigar os moradores da terra por suas iniqüidades. A terra mostrará o sangue derramado sobre ela; não mais encobrirá os seus mortos”.

Glorificamos a Deus por aquele momento. Entendemos que Ele havia me dado um livramento de morte aquela noite anterior (afinal de contas, o inferno não ficou nada satisfeito com minha vitória e com o que disse no email que enviei ao presbitério da IBL, glorificando ao Senhor). Entendi que estávamos tomando a direção certa em não mais nos preocupar nos “senhores” que dominavam sobre nós (a “igreja”). Relemos o texto juntos mais duas vezes, glorificando ao Senhor. Nisso, voltou a luz...

Domingo de manhã fomos a outra igreja para visitar, mas EM OUTRO ESPÍRITO. Foi uma benção. Hoje, um novo dia, na presença do Senhor...

Reações:

18 comentários:

  1. Jotacê, meu irmãozão mais velho... (adoro isso...rsrsrsrs),
    eu fico tão feliz em notar os livramentos que Deus nos faz. Somos à Ele tão queridos, que, quando Ele quer, nos livr de morte, desabrigo, perigo...
    É algo tão peculiar ao nosso Deus, que não há nem como comentar direito.

    Minha felicidade também se dá, pois sei que o que você relata no seu texto sobre nossa comunhão, também se faz em minha vida. Noto que preciso desta, a cada vez que ligo meu pc!

    Vejo Deus agindo, mano.... é por aí!

    ResponderExcluir
  2. JC, meu querido amigo,

    Tenho certeza que temos muito a conversar, ainda. Mas isto não anula a comunhão que temos tido nestes últimos meses, até porque, o que temos a conversar, certamente, servirá para estreitar ainda mais essa comunhão.

    Falo da identificação mútua nos sentimentos que o Senhor tem provocado em nós. Já disse uma vez e repito agora: grande é o propósito do Senhor em provocar essa comunhão!

    Sei bem o que você tem experimentado dentro de você mesmo, com relação a tudo que vem de Deus. Passei e tenho passado por questionamentos e desconforto provocado pelo próprio Espírito do Senhor. É uma sensação comparável ao jogo estar para começar, mas nosso time, no qual jogamos, nem entrou em campo, ainda. E, sem a bola estar rolando, tem um monte de gente dando pitaco sobre o que fazer e como fazer, numa demonstração clara de que não fazem a menor idéia de qual jogo se trata (se isto está confuso é porque o sentimento é confuso também, difícil de explicar, mas acho que você está entendendo).

    Fico feliz que você tenha gostado da igreja que vocês visitaram, mas creio que ainda não é ali que vão ficar. O caminho vai ser um pouco diferente! Mas isto será mostrado a vocês pelo Senhor, no devido tempo. Não são as pessoas que devem convencer a ninguém, mas o Espírito de Cristo. Até porque Ele não só mostra o caminho, como abre a porta!

    Si falemo pur aí!!!

    Abração e continue na Paz!

    ResponderExcluir
  3. Ah René, faz sentido e muito!

    Pra quem não está entendendo o que estamos falando eu até entendo.

    Estou na prensa, Ele está me trazendo de volta ao que costumávamos compartilhar anos atrás.

    Tentei me "conformar" a algo que não é mais a minha realidade, apenas para "desenhar" o que para mim é relacionamento com o Senhor para quem está próximo de mim...

    Sei que você entendeu.

    Um abraço, doido para tomar uma garrafa de vinho com você...

    JC

    ResponderExcluir
  4. J.C

    Sei que corro o risco de ser chata e repetitiva mas quando leio teus textos, preciso ler e reler. E ler de novo. :)

    Ufa, é como se eu estivesse correndo com os pés atolados na areia fofa da praia e tivesse que dar uma parada pra respirar... Mas totalmente endorfinada pra recomeçar :)

    Que maravilha essa prensa do Senhor!
    Que coisa linda essa dependência!
    Que alegria saber (essa consciência, lucidez, certeza) QUEM está no comando.
    Que privilégio poder ouvir Sua voz e seguir essa voz.

    Tua alegria é minha alegria em dobro, ´ce sabe disso...

    Entenda então quando digo que com vc e alguns por aqui estou muito bem servida de irmãos. Afinal, o que um texto destes faz nos nossos corações... é brincadeira! :)

    Glórias, pois, a Ele. Eternamente!!!

    Beijos reverentes (conforme diz a sacerdotisa DRI)

    R.

    (Mas esse lance de fazer pizza tá muito mal contado, diz logo o número que vc discou rss)

    ResponderExcluir
  5. 1 xícara de farinha de trigo
    2 colheres de óleo
    1 ovo
    1 colher de chá de sal
    1 colher de chá de fermento
    água gelada até dar o ponto (algumas colheres de sopa...)

    a cobertura foi de atum com catupiri (catú CATÚ e não genérico) e provolone com tomate e azeitona preta... este foi o telefone que eu liguei tá?

    ResponderExcluir
  6. O pizzaiolo foi ditando e ele anotou tudinho!!! Perceberam que ele não disse uma palavra de como usar esses ingredientes??? Se colocar isso tudo na frente dele, ele tem uma síncope!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. René, vc sabe ser cruel... quero ser sua amiga sempre :P

    ResponderExcluir
  8. Ah tá! Coloquei a receita de cabeça, nem me preocupei em provar nada pra nenhum "cozinhador de ovos" como você seu fanfarrão...

    Ainda assim tenho-o-lho-lhe-me-nos em grande estima amado irmão, simplesmente por que amas, e o amor cobre uma multidão de pecados, como esta blasfêmia que cometeste.

    Um abraço, de longe, sem esfrega-esfrega...

    ResponderExcluir
  9. Quanto a ti bispa, não leve em cosideração o que ele diz, pois age mui loucamente. Em outras palavras: Perdoe-lhe, pois ele não sabe o que faz.

    O que esperar de uma nação (Magé, Bagé, Itararé, Zé Buscapé, tanto faz) que não consegue discernir a mão direita da mão esquerda?

    Digo-te apenas que foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei. Comerás e te fartarás!

    (como eu sou i-di-o-ta...)

    Ósculos santíssimos a tí, varoa de fogo!

    JC

    ResponderExcluir
  10. kkkkkkkkkkkkkkk Falou, falou, cuspiu fogo pelas ventas, mas continuou sem dizer o que e como fazer com aqueles ingredientes todos!!! kkkkkkk Bem típico!!! E ainda diz que é blasfêmia...

    Rê, não foi maldade, não!!! É só um 'feeling' do que está por trás das palavras!!! rssssssssss

    Ah, JC! Nos 'és' você esqueceu da sua terra, cara: Tatuapé!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Grande amplexo (já que o Cláudio diz que parece supositório, remédio, sei lá...) pra você, mei di longi!!!

    ResponderExcluir
  11. René, faz assim...
    é só compar os ingredientes, em maior número, claro, e depois conferimos aí em Magé, com o forno aquecidinho...
    que tal?

    ResponderExcluir
  12. Pai, perdoa-lhes, eles não sbem o que fazem...

    Vou cozinhar sim meus amigos. Naquele dia porém, falarei a vocês:

    "Agora que vocês viram creram? Bem aventurados aqueles que não viram e creram..."

    Pódexá... pódexá...

    ResponderExcluir
  13. Ainda bem que você tem um tempinho razoável pra aprender!!! kkkkkk

    Wendel, claro que vamos seguir a sua sugestão, mas, por garantia, já vou deixar um amigo meu, dono de uma pizzaria aqui, de sobreaviso!!! rsssssssssssss

    ResponderExcluir
  14. Ou pega o telefone do delivery mais próximo...
    uhahua

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...