Labels

segunda-feira, 14 de março de 2011

Tente só um pouquinho mais forte...

Ultimamente ando muito angustiado. Muitos devem ter notado, até porque eu não faço questão de disfarçar. Sou exatamente como todos vocês podem ver, sem grandes surpresas, nem para melhor, nem para pior.

Gosto e prefiro ser assim. Dá menos trabalho poder sair nú de casa, sem ter que me preocupar em cobrir minhas vergonhas. Pior seria se eu usasse uma fachada de intocável, ungido, super-santo. Tanto é que a bandeirinha na foto do meu blog diz claramente: “Perigo: Correnteza”. Sob estas águas, só entre se souber nadar e explorar as profundezas. Caso contrário, fiquem bem confortáveis nos espaços mais seguros, pois aqui procuro abrir minha alma.

Desabafos a parte, foi neste espírito que me encontrava por estes dias. Sem ter ao certo a certeza de estar tomando as decisões corretas, entrei este fim de semana totalmente esgotado. Acordei, fui comprar pão na padaria enquanto minha mulher não chegava em casa (agora ela trabalha a noite), preparei o café quando ela chegou, comemos e fui tentar dormir um pouco ao lado dela, sabendo que dificilmente conseguiria por ter desmaiado na cama na noite anterior.

Logo em seguida me levantei, fui para a academia e malhei sem pressa, apesar do meu corpo ficar pedindo para eu parar (fruto desta "nhaca" desgraçada que acompanha estes momentos de angústia), conversei um pouco com uma instrutora sobre estudos, acabei meu treino, fui à quitanda comprar alguns legumes (queria fazer uma peixada), passei numa loja de artigos de pesca e comprei sementes de coentro e alfavaca (não me pergunte porquê lá vende sementes) para replantar minha pequena horta após uma colheita medíocre de rúcula (isso será melhor tratado em um post à parte) e voltei para casa.

Cheguei cansado e olhei o relógio: 13:00h. Meu amor ainda estava dormindo. Decidi preparar a comida rapidamente, mesmo com vontade de não fazer nada. Lavei o peixe, cortei os ingredientes, joguei tudo na panela e fiquei ali meio que adormecido, cansado, fazendo as coisas pela necessidade e não tanto como pelo costumeiro prazer que tenho em cozinhar.

Nisso ouvi uns ruídos: Era meu amor indo ao banheiro sonambulisticamente. Olhei no relógio e faltavam 15 minutos para as duas da tarde, o horário combinado para acordá-la. Fui lá no banheiro e fiquei fazendo macaquice para ela acordar, coitada. Após abrir os olhos e perguntar as horas ela disse que iria voltar e dormir os 15 minutos que faltavam. Fui até o aparelho de som e pensei: “Vou colocar algum disco que ela goste muito de ouvir para ela acordar disposta”. Entre outros, decidi colocar uma coletânea da Janis Joplin que eu mesmo fiz (bendito Ares & Nero). Não deu outra. Ela ficou feliz com minha escolha e passou do estágio de hibernação de olhos abertos ao de cobrinha mal matada, fingindo que estava dançando deitada na cama.

Com minha missão de acordá-la cumprida, voltei para cozinha e continuei a preparar a comida, só que desta vez saracoteando e me esgoelando todo, pois ouvir Janis Joplin sem ao menos bater o pezinho no chão é sinônimo de alguma deformidade no músculo ouvidor de música de primeira qualidade. Cantava, tocava minha guitarra imaginária e aos poucos fui me alegrando. SÓ QUE eu tenho um curto circuito em meu sistema e quando me alegro ouvindo música começo a me encher do Espírito Santo, independentemente do estilo musical que estiver ouvindo.

Podem me criticar a vontade, mas comigo é assim e ponto. Lá estou eu, cantando música “secular” e me debulhando em lágrimas na presença de Deus. Nisso, veio um renovo em minha alma cansada. O Senhor começou a falar comigo sobre vários assuntos que estavam pendentes ou sem solução visível, me dando direção enquanto mexia a comida na panela (e ouvindo Janis Joplin, não se esqueça). A Cilene apareceu na cozinha e lá estava eu chorando, com cara de gozo indescritível. Ela voltou para o banheiro com um sorriso nos lábios, também cantando e eu fui atrás dela.

Ao alcançá-la apenas consegui dizer:

“Glória a Deus amor, Ele está falando tanta coisa comigo que eu não estou mais agüentando!”

Parei de falar com ela e direcionei esta afirmação feita a ela para Ele, desta vez em forma de pergunta:

“Senhor, porque tudo de uma vez?” (tudo eram as coisas que Ele falava comigo)

“Por que quando você está assim você só presta atenção em sua dor e só me ouve quando eu grito com você”

"E de que forma o Senhor está gritando comigo agora?"


Ele apenas disse: “Ouça!”

Ao fundo, lá estava Janis a plenos pulmões cantando:

“Tryyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy just a little bit harder
So I can love, love, love him, I tell myself
Well, I'm gonna try yeah, just a little bit harder
So I won't lose, lose, lose him to nobody else.
Hey! Well, I don't care how long it's gonna take you now,
But if it's a dream I don't want
No I don't really want it
If it's a dream I don't want nobody to wake me...”


Então eu entendi…

Entendi que Deus usa o que Ele quiser, da forma e na hora que Ele quiser, para nos despertar de nossa letargia e começar o processo de cura de nossas dores....

Ele falou várias coisas e todas eu irei postar por estes dias. Enquanto isso, assista ao vídeo abaixo de um show da Janis de 1969.

Reações:

5 comentários:

  1. Mano, isso é que eu chamo de um dia abençoado, maravilha!

    ResponderExcluir
  2. Cláudio, meu querido.

    Sei bem que você vai entender o que está nas entrelinhas do que vou dizer, assim como você entendeu o que eu escrevi neste post:

    MUITO OBRIGADO MEU IRMÃO

    Precisava deste abraço!

    JC

    ResponderExcluir
  3. J.C. e Cil:

    Música de qualidade também provoca em meu ser exatamente isso acima descrito.(Enquanto um enxurrada de música gospel me dá náusea. Abafa...)

    Enquanto lia sobre esse fragmento de reality show rss percebia como há um diferencial incrível em quem tem intimidade com um Pai amoroso.

    Ah e valeu pela música; a J.J. me marcou muito, pois embora na época eu ainda fosse uma menina e apesar de sua morte triste e precoce, ela influenciou - e influencia - gerações até porque seus sucessos (e consequente estilo), foram divulgados após sua morte.

    Amei!

    O&A prushdois :)

    R.

    ResponderExcluir
  4. Eu sei que Deus é assim Jão-Jão...
    Ele usa as coisas mais loucas e desreligiosas pra nos provar que Sua soberania é encontrada em absolutamente TUDO!!!!!

    Fico muito feliz em ver, como diz a Bispa, em seu reality diário, um pouco de lucidez, diante de tantas coisas loucas escritas mentirosamente por alguns 'supermegacrentes'.

    Cara,
    estava falando agora mesmo pra uma amiga (virtual) que Jesus nos deu exemplo até de como podemos ser 'tristes' ou passar por tristezas, sem deixar de manifestar alegrias!

    Cara... gosto muito de ler 'tuas paradas', velho!

    Abração apertadão...
    (sem ligar muito pra frutices)

    ResponderExcluir
  5. Entendi que Deus usa o que Ele quiser, da forma e na hora que Ele quiser, para nos despertar de nossa letargia e começar o processo de cura de nossas dores....




    Eu sempre digo isso, mas pra quem tem a mente obtusa é tão dificil....

    Paz de Cristo, Amigo JC !

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...