Labels

quarta-feira, 30 de março de 2011

Quer aprender comigo ou com eles?


“As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem; eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão.”João 10.27-28

Lembro-me como se fosse hoje: No afã de seguir a cartilha denominacional, decidi cursar Teologia. Já não bastava todos os bons livros que comprava aleatoriamente nas livrarias evangélicas, baseando-me apenas nas indicações que recebia ou do que lia nas contra-capas. Não queria mais apenas ser um esquentador de banco. Tinha que mostrar a Deus e aos homens que estava avançando firmemente em direção ao que considerava ser formação de um líder cristão qualificado.

Sem dinheiro, conversei com os diretores do Instituto onde cursaria Teologia. Aceitaram minha inscrição praticamente sem custos em troca de serviços prestados diariamente, chegando uma hora antes do início das aulas e ajudando a tirar cópias das apostilas, limpando a sala de aula, coisas assim.

Orgulhoso, dizia a todos que estava cursando Teologia. Aquilo soava lindo demais, era quase um curso superior, em breve aceito pelo MEC, estas patacoadas todas. Achava o máximo os mapas bíblicos sendo dissecados pelos professores, ver aquele monte de rabiscos em grego e hebraico sem entender patavina nenhuma sendo pacientemente explicados por meus mestres.

Sentia-me realizando um sonho! Se antes já tinha uma relação intensa com meu amado Senhor, imagine então todo “teologado”? Se já tinha experiências extremamente sobrenaturais na área de batalha espiritual, imagine então eu puxando meu canudo de teólogo e esfregando na cara do capeta? E assim eu caminhava, iludido por minha carnalidade, numa tentativa inútil de emoldurar meu Deus num quadro limitado, formalizando uma relação que, apesar de recente, era intensa, verdadeira.

Só que algumas coisas aconteceram neste meio tempo. Coisas ruins, muito ruins...

Um dia cheguei mais cedo do curso e minha ex-mulher não estava em casa. Senti um frio na espinha e saí de casa, deixando tudo como estava. Esperei dar o horário que costumava chegar e voltei para casa. Minha ex estava tomando banho. Naquela época ela assistia novelas e eu perguntei como tinha sido aquele capítulo. Ela comentou que tinha sido legal (bem genérico) mas não tinha prestado muita atenção por estar fazendo outras coisas em casa.

Perguntei então que horas ela tinha chegado e ela me disse que tinha sido tipo umas duas horas antes deu ter aparecido sem ela saber, ao que eu respondi: VOCÊ ESTÁ MENTINDO SUA P*$#@!, ONDE VOCÊ ESTAVA? EU CHEGUEI EM CASA NA HORA DA NOVELA E VOCÊ NÃO ESTAVA!

Prefiro não dar mais detalhes do que aconteceu naquela noite surreal (me dá náuseas mexer nesta fossa...). Só sei que parei o curso no mesmo dia por ter perdido (mais ainda) a confiança em quem deveria estar me dando apoio naquele momento de minha vida.

O que me dava um alento era já ter aquela relação com Deus que alguns tentava fazer eu considerá-la insuficiente e nela Ele me dizia que “todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”... (Romanos 8.28)

Sem cursar Teologia e com o casamento cada vez mais deteriorado, decidi que não poderia conciliar estar fora de casa a noite para estudar com aquele barco indo a pique que era minha relação. Como estudar então?

Passei a comprar mais e mais livros, só que desta vez voltados para as matérias que tinha começado a estudar no Instituto Bíblico (prefiro não falar o nome para não revelar a denominação). E lá fui eu me engraçar com o primeiro livro que comprei, a respeito de Hermenêutica.

Todo pimpão, andava com aquele livro pra cima e pra baixo, fazendo um esforço desgraçado para conseguir avançar na minha leitura. O problema é que aquele primeiro livro parecia estar selado para mim, não conseguia romper o lacre, não conseguia ler mais do que duas páginas sem ter que parar, respirar fundo, voltar atrás e reler novamente.

Não saía água viva de lá! Não tinha fôlego, era árido, me tirava as forças. Pensava que teria que orar mais para ter entendimento daquilo tudo. Afinal de contas, seria autodidata até o momento que estivesse vivendo outro contexto relacional. Orando por “aquela” sabedoria específica, comecei a ouvir de Deus através de seu doce e irônico Espírito Santo (sim, Ele é bem irônico quando quer, e só quem com Ele se relaciona sabe disso) algumas coisas que iam contra meu intento de me aprofundar nas doces artes hermenêuticas.

Tentava racionalizar o que ouvia e dizia para mim mesmo que deveria ser alguma rádio pirata sendo sintonizada pelo meu receptor espiritual. Só que tinha outro problema: como dizia o Renato Russo em uma das músicas da Legião Urbana, “mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira...”. Sabia o que Deus queria mas estava fingindo não entender. Como poderia me mostrar uma pessoa digna de confiança para aqueles que me ouvissem anunciar as boas novas se eu não tivesse uma sólida base acadêmica na área teológica?

Para bater o último prego no caixão daquele debate com o Senhor, o Espírito Santo falou comigo claramente:

Você quer que Eu continue te guiando e falando contigo como sempre fiz ou prefere seguir a sabedoria deste mundo? Você me conheceu aprendendo regras de como se relacionar comigo e de como interpretar minhas palavras ou foi simplesmente se humilhando e pedindo sabedoria?

Com este esporro via megafone espiritual em minha orelha (e que reverbera até hoje), enfiei o rabinho entre as pernas, peguei o bendito livro da santa, imaculada e indispensável Hermenêutica Bíblica, rasguei folha por folha e fiz uma fogueirinha no fundo do quintal. Entendi que buscava provas documentais para mostrar aos homens que eu tinha uma relação com o Senhor. O problema básico era o preço a ser pago por isso: Deixaria de ter uma relação pessoal e passaria a ser um mero expositor de um produto religioso chamado "deus".

Este meu relato talvez possa escandalizar alguns nobres irmãos que seguiram este caminho. Minha intenção não é esta. Quero apenas dizer que COMIGO o Senhor agiu e vem agindo desta forma. Como eu sei que é Ele e não coisa de minha cabeça? Por ser ovelha e conhecer a voz do Bom Pastor. Como eu posso provar isso? Não posso, apenas respondo por mim, assim como fez o cego de nascença aos que o interrogaram:

Então chamaram pela segunda vez o homem que fora cego, e lhe disseram: Dá glória a Deus; nós sabemos que esse homem é pecador. Respondeu ele: Se é pecador, não sei; uma coisa sei: eu era cego, e agora vejo. Perguntaram-lhe pois: Que foi que te fez? Como te abriu os olhos? Respondeu-lhes: Já vo-lo disse, e não atendestes; para que o quereis tornar a ouvir? Acaso também vós quereis tornar-vos discípulos dele? Então o injuriaram, e disseram: Discípulo dele és tu; nós porém, somos discípulos de Moisés."João 9.24-28

Reações:

11 comentários:

  1. JC,

    Eu ouvi do Senhor a mesma pergunta-título deste post!

    Há alguns anos, quando fiz um esforço 'fio duma égua' pra concluir um curso básico de teologia, o Senhor ficou o tempo todo falando comigo: "Não é por aí. O caminho que tenho pra você é outro. Pare!". Questionei pessoas 'mais experientes' no cristianismo e todas disseram que eu devia ir em frente e concluir o tal curso. Claro, ouvi às pessoas, não ao Senhor.

    A certa altura do curso, já hiper-consciente de que aquilo estava me afastando do relacionamento íntimo que eu tinha com o Senhor, resolvi traduzir um texto do Charles Finney, só pra aliviar um pouco a 'carga'. Lá pelas tantas, ele diz: "Os seminários e cursos de teologia deveriam ensinar aos alunos a terem intimidade com Deus!". O cara tinha sido advogado, tinha cursado seminário, dava aulas na faculdade de teologia, e declarava isso! Detalhe: era pentecostal, muito antes de surgir o 'pentecostalismo'.

    Mas não foi o suficiente. Concluí o curso. Resultado: até hoje não recebi o diploma (e nem quero mais). Minha motivação para fazer tal curso, era a mesma que a sua: soberba! Mostrar a todos a minha capacidade, o meu nível de relacionamento com Deus! Tudo isto é lixo! Acho que é por isto que o Senhor nos barrou, da forma que fez com um e com outro.

    Mais adiante, as palavras de Jesus saltaram aos meus olhos, aos meus ouvidos e deram pancadas em meu coração: "O Espírito Santo lhes ensinará todas as coisas!".

    Abração e Paz!

    ResponderExcluir
  2. Putz cara...

    Se você fez o que falou que iria fazer, note que dos posts anteriores (perto daquele que você comentou) até este atual, houve MAIS UMA VEZ um processo de rebelião ao sistema.

    Bendito sejam estes processos cara! Água parada vira foco de dengue! (aff, de onde tirei isso?)

    Nós temos MUITA figurinha pra trocar! Nossa caminhada é extremamente parecida. Ah Senhor, me abana!!! (um fulaninho que conheço costumava falar isso...)

    ResponderExcluir
  3. Sim, acabei de perceber, ao fazer o que disse que faria!

    ResponderExcluir
  4. Paz amado irmão,
    Primeiro confesso que ri com algumas de suas frases, rsrsr
    Eu sou sua fã, no bom sentido,gosto da sua maneira irreverente de escrever.

    Mas lendo seu texto,logo lembrei dessas palavras do verdadeiro Mestre e que nos da o diploma da sabedoria que vem do Alto, no canudo do amor.

    Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que do Pai ouviu e aprendeu vem a mim. João 6:45

    Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito. João 14:26

    Eu quase me inscrevi num cursos desses tbm, foi num momento ridículo da minha vida rsrs, quando tive a ilusão que estava na igreja certa, ha ha ha,hoje eu dou é boas risadas,quando descobri que eu é que era a igreja ,e que o morador do templo é que da as aulas pelo poder do seu Espírito tudo que era informação intelectual caiu por terra.
    A verdade é que se dEle não aprendermos,ninguém nos pode ensinar.
    Mas a gente tenta né...até que a casa de areia cai,e a rocha firma nos sustenta.

    Paz,e fica na sabedoria do Altíssimo!

    ResponderExcluir
  5. J.C

    Aconteceu parecido comigo. Aliás, temos muito em comum.
    Imagine... Euzinha professora, metida a intelectual e convertida rss só precisava estudar Teologia pra exibir minha familiaridade/intimidade/superioirdade com as coisas do céu rss

    Só que nunca dava certo, sempre havia um empecilho, os horários não batiam e tal... Até cheguei a participar de estudos bíblicos pois cabia na minha agenda, mas achei super enfadonho e não passei da terceira aula. Muita gente cheia de si pra meu gosto he he (abafa)

    Mas eu continuava querendo muito fazer o curso de Teologia...

    Até que um belo dia, em meio à pregação, o pastor falava de uma "pós" que ele queria fazer de qualquer jeito e não estava conseguindo conciliar tempo, daí ele consultou um pastor amigo e mais velho, tipo um "guru espiritual" que apenas lhe perguntou:

    - Você quer fazer esse curso pra QUEM? (Esse QUEM foi crucial rss)

    Aquele pergunta ressoou nos meus ouvidos, aliás, no meu meu peito, e ainda ressoa até hoje.

    Então, quando eu vejo certos exibicionismos na blogosfera me lembro disso. São sempre as mesmas discussões tolas, questionamentos boçais e colocações inúteis e aí eu percebo que na verdade é uma briga com as próprias convicções, os próprios aprendizados, a própria vaidade, as próprias exigências. É uma luta da pessoa com ela mesma em constante auto-afirmação. Uma luta vã e teimosa de alguém que preferiu fazer vista grossa para a pergunta/título do teu texto.

    Belo testemunho.

    No amor de Cristo que nos uniu,

    Rê.

    ResponderExcluir
  6. Oi Ritinha,

    Você não sabe (força de expressão: bem sei que você sabe...) o quanto é bom você ver ao seu redor pessoas que passaram pelas mesmas experiências com o Senhor!

    Você disse tudo ao citar as passagens bíblicas que reforçam a fonte deste conhecimento/relação com o Senhor!

    Fica com Deus!

    Bjs

    JC

    ResponderExcluir
  7. Oi bispa!

    Pelo visto, esta pergunta "pra QUEM você vai cursar Teologia?" é feita pra todo mundo que se mete em estudar a dita cuja. Que barato!

    Sua decisão pode definir a direção que sua relação com Deus irá tomar. Eu optei por aquela do salmista, musicada por Adhemar de Campos:

    "Antes eu te conhecia de ouvir falar
    Mas agora de contigo andar..."

    ResponderExcluir
  8. João,
    diante de tanta dissecada duma vida vivida em função Dele (mesmo comentendo alguns erros) só posso dizer que me emociono com sua vida, sempre que 'te leio'!

    Abraço, como está tudo?

    ResponderExcluir
  9. W.

    Ele não liga mais pra nozes buaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  10. Dábliu,

    Acho que minha vida dava uma novela mexicana, no máximo... rsrsrs

    Quanto a como estou, estou meio perdido com a Facú, a nave ainda não atracou direito, muita informação e eu ainda estou pegando no tranco.

    Quanto ao que a bispa falou... eu ein? De donde tú tirou isso mulher?

    ResponderExcluir
  11. Você teve sabedoria. Comigo não foi assim, tornei-me discípulo dos fariseus e de Hermes e ainda achava que era de Jesus. Glória a Ele eternamente. Abraço meu irmão.

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...