Labels

terça-feira, 29 de junho de 2010

Infância roubada ou vivida? Futuro incerto ou seguro? Rumo ao alvo?


“... não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas vou prosseguindo, para ver se poderei alcançar aquilo para o que fui também alcançado por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus”. – Filipenses 3:12-14

Muitas vezes começo a escrever meus textos com a expressão “há momentos”. Acabei de me pegar fazendo isso novamente. Por isso, peguei este estúpido atalho para não dizer que há momentos em nossas vidas que temos que sacudir a poeira e dar a volta por cima. Isso muitas vezes é desagradável, pois levamos tantos solavancos na longa estrada da vida que há momentos (catzo!) que desanimamos e ficamos tentados a nos prostrar, esperando que nossos pais venham nos acudir após uma queda.

Mas não é isso que acontece. Como "adultos", constantemente temos que recolher os destroços de nossas vidas para vermos se é possível recomeçar a nossa caminhada. Como bem diz o André, “isso dói, isso fere, isso machuca”. Cansa mesmo. É muito difícil ser gente grande. É muito desgastante sermos responsáveis por nossos atos. Andamos na corda bamba dia e noite, sem termos a visão de onde ela acabará. Dá vontade de parar de andar, mas se pararmos perderemos o equilíbrio e cairemos.

Cara, isso cansa pra caramba! E o pior é que não dá para olhar para trás. Se assim o fizermos, possivelmente nos transformaremos em estátuas de sal, como aconteceu com a mulher de Ló. Mas e esta falta de algo que aparentemente ficou lá atrás? O que fazer? Nem bem sabemos do que se trata! Não é nada específico. Não são os brinquedos da infância, não são os momentos livres que podíamos fazer nada depois da lição de casa... O que será que sinto falta nesse momento?

Será que é a saudade de ver todos reunidos um sábado a tarde qualquer, vendo Os Waltons (se você se lembra do “boa noite, pai, boa noite mãe, boa noite John Boy, boa noite Mary Ellen”, tu é velho pra caramba!!!!), esperando os cachorros quentes na sala? Mas agora não tem mais como! Mamãe se foi ano passado. Cada filho foi para um lado diferente...

Putz, qual a razão deu estar tão melancólico? Estou cansado de ser gente grande? Deve ser, tem hora que cansa. Hoje me peguei buscando um monte de músicas do Michael Jackson, da época do Jackson Five. ABC, One Day in Your Live, Ben, Got to be There… bons tempos. Eu era criança, não a tanto tempo como o Michael "era criança sem ser", muito menos explorado pelo pai como ele foi. Lembrei-me disso pelo um ano sem ele. Bombardeado por todos os canais de televisão durante o fim de semana, passei a entender um pouco mais da “síndrome de Peter Pan” do Michael.

Meu, ele foi absolutamente roubado de sua infância! Se tornou uma máquina de dinheiro para o “pai”, inescrupuloso, explorador... Tão pedófilo quando os pedófilos, só que ele abusou foi dos sonhos de 5 crianças que se viram vivendo no mundo de gente grande desde que sairam das fraldas! Como não entender seus sonhos da “Neverland”, a Terra do Nunca, seu paraíso cheio de brinquedos de criança para tentar amenizar a dor de sua “misplaced childhood”? (nome do terceiro disco do Marillion, simplesmente maravilhoso...)

Acham que é fácil lidar com tudo isso? Veja bem, não estou nem de longe defendendo os supostos casos de pedofilia do Michael, o assunto surgiu do nada em minha mente. Apenas lembrei. Lembrei pois estou falando de como é difícil esquecer das coisas que para trás ficaram, quando na verdade nada aconteceu para trás da maneira correta, no curso normal do que deve ser uma infância bem vivida.

Michael não deve ter assistido “Os Waltons” com seu pai. Não soltou pipa, não jogou basquete na infância. Mais uma vez, “isso dói, isso fere, isso machuca” (adoro isso). Imagine então como é difícil olhar fixamente para “o alvo” se você não O conheceu! O Alvo, O Alvo, nosso objetivo maior, coincidentemente alvo como a neve. Para nós que O conhecemos temos momentos que os joelhos estão fracos e nos falta força para continuar! Cara, é complicado.

Glorifiquemos a Deus por não estarmos vivendo nossas vidas sem O Referencial maior que é Cristo Jesus. Somos privilegiados por termos sido um dia alcançados pela Graça.

Estamos na estrada, caminhando...

Reações:

13 comentários:

  1. Interessante...

    Eu também tive essa sensação de vazio assistindo essa homenagem a MJ. Chorei muito esses dias, até comentei na casa de minha mãe ontem com minha sobrinha que confessou chorar também daí combinamos evitar o canal multi show rss

    E desânimo, vez em quando, é normal querer se instalar, mas aí a gente não permite rss Mas não permite porque sabe de onde vem a força.

    Bj

    R.

    ResponderExcluir
  2. Agora me cofesse uma coisa: Lembra de "Os Waltons"????

    ResponderExcluir
  3. Ah e eu não acredito que ele era pedófilo, nunca acreditei, e não é de hoje porque ele morreu.

    Se ele era uma criança emocionalmente, como poderia ser pedófilo? Eu defendo, sim!

    Ele sim, foi explorado em todas as vertentes imagináveis e inimagináveis!

    bj

    R.

    ResponderExcluir
  4. Maninho,

    vc é uma jóia rara

    Detecta a fragilidade, a origem dela, descreve sem medo, dá o diagnostico e prescreve o remédio.

    Apenas um resgatado do império das trevas pode ser tão saudável.

    Transportados para o reino do Filho do seu amor ainda estamos expostos ao vazios existênciais, as carências viscerais mas não nos perdemos.

    beijocas

    ah, mandei uma resposta para a "idéia subversiva"

    ResponderExcluir
  5. eu vi, rsrs...

    já te respondi. mãos à obra!!!!

    ah, quanto à ser "joia rara" já falei que você é puxa saco!

    ResponderExcluir
  6. ah, gostei desse "resgatado do império das trevas"... forte isso, vou usar como "título"!

    e você, lembra de "Os Waltons"??? a Regina deu chá de sumiço...

    pô, alguém deve lembrar!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. eu não sou tão "tiozinho" assim!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Eu também lembro do Clube do Mickey...

    Tinha aquela musiquinha no final:

    "Já chegou a hora do programa terminaaaar
    Mickey Mouseeee...
    (logo, nos veremos de novo!)
    Vai partiiiiiir...
    (por que, gostamos de vocês...)
    Vai se despedir..."

    Eu chorava quando acabava!!!!!

    ResponderExcluir
  9. alguém lembra?

    pleeeeeeaseeeeeeeeeee!!!!!!!!!

    não me deixem só!

    ResponderExcluir
  10. Clube do mikey eu lembro
    musiquinha safada, feita pra fazer criança chorar, maldade.


    a referência é Col 1:13

    ResponderExcluir
  11. Euzinha mesma não, me inclua fora dessa rsss

    Não sei do que vcs estão falando he he

    E eu lá quero muito ser chamada de velha pra caramba? "Faz medo" :P

    bj

    R.

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...