Labels

terça-feira, 1 de junho de 2010

Cumpra o teu ministério com tua vida, não apenas com palavras...


"CONJURO-TE diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, pela sua vinda e pelo seu reino; prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério".1 Timóteo 4:1-5

A primeira vez que li este trecho do livro de Timóteo e ele tornou-se uma palavra específica para minha vida foi no (s) primeiro (s) ano (s) de minha conversão. Não sei precisar exatamente o tempo, mas sim sua intensidade e sua personalidade.

Como era recém convertido e vinha de experiências fortes de minha vida pré-conversão, sempre fui muito intenso na minha luta pela revelação da Verdade em minha vida, que havia sido revestida com a vida de nosso Senhor em mim.

Estranhamente para muitos, inclusive cristãos, um jovem (mas nem tanto) estava intensamente envolvido em ganhar almas, sendo por muitas vezes chato, intrometido, ousado em levar as boas novas do Evangelho.

Eu parecia carro velho: Onde parava pregava. Lembro-me de um churrasco em Umuarama, Paraná. Todos nós em família, alguns conhecidos de conhecidos, comendo, bebendo e rindo. Um jovem desconhecido próximo a mim abriu a oportunidade de falarmos de Deus. Comecei a falar do Jesus que eu tinha um relacionamento pessoal, entre uma cerveja e outra.

O pessoal da família começou a brincar: “Xiii, coitado do fulano (não lembro seu nome), o João pegou ele...”

Eu na verdade não estava nem ai. Estava com as melhores cartas na mão e não estava disposto a perder a partida. O jovem fulano, ao final de nossa conversa, estava chorando e repetindo comigo as benditas palavras de confissão de pecados, arrependimento e aceite de Jesus como seu único Senhor e Salvador.

Soube anos atrás que ele estava firmão na presença de Jesus. Rolaram muito mais situações como esta, e nunca me envergonhei de falar sobre aquilo que eu vivia com o Senhor (P.E.: "com cerveja na mão ou não" pois, desculpem ai alguns mais santos que eu, NA HORA AGÁ, tem hora que funciona melhor do que com Bíblia na mão, que deveria na verdade estar gravada nas tábuas do coração do pregador... Não se pode perder as oportunidades para ganhar uma alma...)

Rolou minha separação e posteriormente o divórcio e me afastei da minha segunda família por questões ‘logísticas’, mas no mundo virtual tenho contato com quase todos. Eles sempre falam em momentos de crise que gostariam que eu estivesse lá, pois eu saberia o que falar, o que fazer, e certamente oraria e Deus responderia (isso é o que eles criam...).

Até com minha ex-esposa tenho esta relação sadia nos dias de hoje. Na verdade, ela se surpreende com a maneira que eu reagi após a separação. Diz que (como posso paravraseá-la?) eu reagi de uma maneira que ela própria ficou constrangida por tudo o que ela me fez, não se sentindo merecedora do amor que eu passei a ter por ela, amor de amigo, de irmão, pois com a separação perdemos muito, praticamente tudo o que tínhamos conquistado e estávamos conquistando, inclusive um apartamento de 3 dormitórios no Morumbi que ficaria pronto 6, 7 meses após nossa separação.

Em minha última visita a São Paulo (a trabalho) no mês de Abril fui até seu trabalho e tomamos um café juntos. Conversamos muito, demos risada, tornamo-nos grandes amigos. Foi muito bom. (Que fique registrado: minha atual mulher sabe de tudo isso, ela tem a mesma maturidade, a mesma intensidade na relação com Jesus que eu).

Ao falar do apartamento, veio-me à mente o naufrágio de Paulo descrito em Atos 27. O barco se perdeu, mas todos sobreviveram. Nem eu imaginei que conseguiria encontrar forças para continuar, mas minha vida já estava totalmente nas mãos do Pai, que em nenhum momento me desamparou.

Parece que eu mudei de assunto mas não. Quero dizer com isso que vale muito a pena viver aos pés da Cruz. Vale a pena você ser um testemunho vivo do poder transformador da Palavra de Deus, mesmo que você não perceba isso, mesmo que muitas vezes você aja e reaja de maneira que você se sinta uma farsa, se sinta aquém do que gostaria de ser. Mas tem que ser assim. A verdaderia relação com Deus sempre te deixa com esta sensação de que você poderia ser melhor do que você é, pois seu referencial é grandão e você, pequeno, frágil e falho...

Hoje, ao ter compartilhado ontem um capítulo de minha vida, recebi da minha querida e amada irmãzinha em Cristo, alguns versículos para meditar. São os que utilizei na abertura do meu texto, e que apenas confirmaram o quanto vale a pena viver a vida de Jesus, caminhar nos passos dEle, tentar agir como ele agiria.

Longe de ser perfeito, apenas sincero. Coração inclinado para o Pai.

O resto é com Ele...

Reações:

9 comentários:

  1. Eu só queria te dar um abraço.

    Se gente não se encontrar por aqui, na Glória teremos esta oportunidade, eu sei.

    ResponderExcluir
  2. Minha irmazinha, obrigado por me inspirar a escrever sobre o que escrevi.

    Os detalhes que dei sobre minha reação com as "perdas materiais e o divórcio" foram apenas para provar que, como foi falado por Paulo:

    "Não sou mais eu que vivo, mas Cristo que vive em mim".

    Seus comentários reavivaram minha fé e me motivaram a avançar. Você faz parte disso, pode ter certeza...

    ResponderExcluir
  3. João

    Que coisa mais linda.

    Me emocionou às lágrimas.

    Você sabe que em situação inversa eu também tive a sorte de ter Deus por mim e não permitir que a amargura me tomasse o coração, inclusive surpreendendo também como aconteceu com você, pois as pessoas esperam os sentimentos mais mesquinhos de quem está ferido. (E não que eu não tivesse passado por momentos darks em que quis passar o carro por cima da cabeça dele he he) Mas cheguei ao equilíbrio e entre mortos e feridos salvaram-se todos. Pela Graça Maravilhosa!

    O barco se foi, mas Jesus juntou os caquinhos que ficaram de mim e estou aqui inteiraça. Nas mãos do Pai!!!

    Ah E sou amiga também (do ex), o mundo inteiro sabe, embora eu não concorde com seu "jeito de ser e agir" e de vez em quando dê meus puxões de orelha em relação à sua atuação como pai, pronto falei rsss (Tem hora que eu me empolgo e levo a sério esse lance de que blog é mesmo um diário... O perigo é cair na web he he he abafa)

    Você sempre escrevendo coisas densas, heim? afe :)

    Ah, e quanto ao que vc recebeu, eu canto "Amigo é coisa pra se guardar do lado esquerdo do peito..."

    Beijos,

    R.

    ResponderExcluir
  4. Acho que nós três temos que marcar um dia em algum lugar entre SP, RJ e PE como nossos respectivos amados, abrirmos uma (s) boa (s) garrafa (s) de chachaça (brincadeira, odeio cachaça, mas é ótima pra gente que tomou pé como a gente) e conversarmos, rirmos e chorarmos juntos...

    Olha... isso é profético e creio que vai ser antes do arrebatamento, rsrs

    Recebe o mistério ai varoas!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Tá combinado, aqui em casa... Marcaí a data :)

    ResponderExcluir
  6. Isso aqui tá parecendo sala de bate papo da minha vida pregressa, lá pelos idos 95 a 2001 (abafa!)

    ResponderExcluir
  7. Olhaaaaa...

    Não convida não que a gente aceita!

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...