Labels

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Acabei de ler "A Metamorfose" de Franz Kafka...


“Propôs-lhes então uma parábola, dizendo: O campo de um homem rico produzira com abundância; e ele arrazoava consigo, dizendo: Que farei? Pois não tenho onde recolher os meus frutos. Disse então: Farei isto: derribarei os meus celeiros e edificarei outros maiores, e ali recolherei todos os meus cereais e os meus bens; e direi à minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe, regala-te. Mas Deus lhe disse: Insensato, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus".Lucas 12:16-21

Estou em estado de choque. Acabei de ler A Metamorfose de Franz Kafka...

Imagine você, ser humano em domínio pleno de suas faculdades mentais, boa saúde e aparência, cidadão respeitável, familiar, próspero ir dormir tranquilamente e acordar transformado em um inseto horrendo?

Sua surpresa ao descobrir que você não é mais você, tendo se transformado em uma aberração aos seus olhos e aos olhos de seus amados? Imagine sua vida dando uma guinada de 180 graus, fazendo com que tudo aquilo que você antes tinha total liberdade e habilidade para fazer agora se torna praticamente impossível?

Seu corpo mudou, suas percepções também. Levanta-se diante de você uma imensidão de impossibilidades para atividades corriqueiras. Fora a aversão que, com o passar do tempo, torna-se em piedade. Você vira um peso para todos os que te cercam. No início os mais amorosos lutarão contra a repulsa e tentarão de ajudar. Sem saber exatamente como cuidar de você, farão de tudo para suprir suas necessidades básicas.

Outros acharão que você se bestializou não somente por fora, mas também por dentro. Só que você continua mantendo a mesma essência, só que não consegue exteriorizá-la devido a sua situação. Tratarão-te com ódio e rancor, pois inconscientemente te cobrarão por você não ser mais o mesmo de antes. Quem te autorizou a ser outro? Como você se permitiu chegar ao estado que se encontra no momento? Quanto tempo isso tudo vai durar?

Só que eles não sabem que você está lá, sua alma é a mesma, seu cérebro continua funcionando, você continua entendendo tudo o que se passa ao redor. Tudo o que estão falando com você ou de você está entrando dentro de você e te machucando. Como seria bom que aquilo que você se transformou fosse apenas passageiro! Mas com o tempo você é obrigado a se adaptar à sua nova situação.

Não adianta tentar falar, ninguém vai te entender. Não adianta lutar contra os fatos, você não tem forças para mudar a situação. A triste alternativa é se render, permitir se transformar por dentro naquilo que você agora é por fora. Assim, você vai de encontro à necessidade inconsciente daqueles que não querem olhar mais para o seu exterior, tendo a obrigação de tentar ver quem você realmente sempre foi.

O processo de bestialização avança, você se entregou à sua nova natureza. Pronto, todos aqueles que, em respeito a quem você foi, aceitaram sua mudança, agora podem ficar livres da responsabilidade de te amar. Agora você é um intruso, motivo de vergonha, um peso morto que ninguém mais quer carregar. Começam a te agredir, você perde as forças e se entrega aos fatos: Você agora é uma aberração.

Pensa em fugir, mas se encontra ferido e debilitado. Ferido por aqueles que antes de amavam. Os outros não importam. Somente seus amados tem o poder de te ferir como você se encontra atualmente. Entrega os pontos. Se recusa a viver, deixa de lado as necessidades básicas de higiene, saúde, alimentação. Se eu sou o que os meus amados dizem que sou, não vale a pena mais viver.

As feridas abertas agora te apodrecem. Você cambaleia, agoniza e morre. Todos agora estão livres para dar andamento à vida. Você se torna uma vaga lembrança, um sonho ruim. Mas acabou. Todos estão aliviados.

Deve ser isso o que sentem todos aqueles nossos amados que, por um acaso do destino, hoje se encontram em uma UTI, vivendo em coma vegetativa, ou tetraplégico em uma cama, amputado, cego, louco ou - apenas - desempregado, sentindo que se tornou um peso para a família...

Que nós, os que estamos “perfeitos”, sejamos alvo da graça e misericórdia do Pai. Que recebamos dEle amor, sabedoria e discernimento para lidar com todos aqueles que se transformaram naquilo que nenhum de nós gostaríamos de nos transformar. Que guardemos em nossos corações as palavras de alerta do Senhor a João à Igreja de Laodicéia:

“Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas”. – Apocalipse 3:17-18

Reações:

3 comentários:

  1. Jota,

    Que interessante essa analogia.

    Aliás, essa riqueza literária do Kafka será sempre tão atual quanto a natureza humana, mas me chama à atenção sua colocação dessa farsa chamada perfeição que há em muitos de nós que só conseguem ver com lentes de aumento as mudanças, falhas, limitações, erros, amputações... NOS OUTROS! Já as próprias são vistas com bastante complacência...

    Ó insensatos que somos!

    bj

    R.

    ResponderExcluir
  2. Enquanto lia este livro, sentia aumentar dentro de mim uma angústia inexplicada.

    Depois comecei a entender a razão. Enquanto via Gregor Samsa transformado em um inseto repugnante, pude entender o que minha mãe deve ter sentido durante os 5 meses em que ela ficou em coma total, aguardando a hora derradeira.

    A analogia foi...

    ResponderExcluir
  3. Você fez uma leitura muito profunda do livro. Extraiu exatamente a mensagem que ele queria passar: uma "besta" incompreendida que desfalece em busca de amor. Saber amar e ajudar o próximo é fundamental, pois é na hora que ele mais precisa que mais as pessoas viram as costas. As pessoas que mais precisam de amor são as mais difíceis de ser amadas...

    ResponderExcluir

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...