Labels

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Avatar e o novo nascimento. E agora?


“Ora, havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. Este foi ter com Jesus, de noite, e disse-lhe: Rabi, sabemos que és Mestre, vindo de Deus; pois ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele. Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te haver dito: Necessário vos é nascer de novo”. – João 3.1-7

Meses atrás escrevi um texto falando sobre minha opinião pessoal sobre o filme Avatar e também sobre a percepção negativa que muitos no meio evangélico tem em relação ao cinema, achando que 'tudo' é obra do capeta, que insere suas arapucas e ratoeiras espirituais na grande telinha. Fui entendido por alguns, massacrado por outros. Como costumo fazer, provo de tudo e retenho o que é bom.

Na época da primeira postagem, foquei apenas o lado ecológico da trama, onde comparei a sacanagem que os alienígenas (no caso, humanos) que invadiram o Planeta Pandora em busca de Unobtainium, mineral preciosíssimo que solucionaria o problema energético do falido planeta Terra (altamente profético, convenhamos...) com o que é feito efetivamente aqui em nosso mundo.

Agora, quero ir mais fundo e cutucar a (s) onça (s) com vara curta.

Pessoalmente não faço a mínima idéia das convicções religiosas de James Cameron, diretor do filme. Só sei que ele, mesmo que seja o pior ateu da face da Terra, “sem querer” tocou de maneira positiva em nosso conceito cristão da necessidade de vivermos em comunhão com uns com os outros e com o ambiente que nos rodeia, bem como está embutida a mensagem que pode ser interpretada como a necessidade imperativa de morrer e nascer de novo.

Falo basicamente de dois personagens: A Dra. Grace, a cientista responsável em decifrar os mistérios do planeta Pandora e de seus habitantes, os Na'Vis e é atingida por um tiro em um determinado momento do filme e Jake, o ex-fuzileiro naval paraplégico que acabou sendo o substituto de seu irmão que havia morrido pouco tempo antes de embarcar para Pandora, devido às suas semelhanças genéticas, o que permitiria a ele assumir seu avatar. Jake também esteve próximo da morte por ter ficado muito tempo sem respirar, devido à destruição da base onde seu corpo se encontrava, enquanto estava conectado ao seu avatar (Para quem não assistiu ainda, veja a sinopse do filme tirada da Wikipédia para entender melhor o que eu digo).

Meus olhos são bons mas não estou sendo inocente demais, bobinho. Assim como muitos vêem mensagens subliminares da Nova Era em todo o filme, com meus olhos de Polyana consegui tirar uma mensagem muito bonita, envolvendo a Dra. Grace e Jake.

A doutora Grace era muito sincera em suas convicções, mas não acreditava em nada sobrenatural. Como ‘boa cientista', tudo para ela eram ‘ligações bioquímicas’ e não cria no lado espiritual da coisa. Quando precisou da cura, infelizmente ela foi totalmente incrédula sobre os poderes envolvidos e faleceu. A única realidade que ela conhecia e vivia era horizontal.

Por outro lado, Jake ‘habitava’ em um corpo deficiente, mas vivia plenamente em seu corpo de avatar. Teve sua percepção modificada, seus olhos curados, passando a se desligar do ‘plano horizontal’ e se conectando com a divindade, descobrindo que a realidade não se resumia ao que já havia vivido até sua chegada a Pandora.

Às vésperas da morte, seu espírito saiu de seu corpo ferido e debilitado, passando ao seu avatar. Seu corpo humano morre e ele renasce como Na’vi.

Em suma: Jake morreu em seu corpo mortal e renasceu com sua natureza transformada. Logicamente é minha interpretação do fato, não estou criando doutrina, não estou fazendo apologia a nada. Mas creio que devemos parar de ver um diabo escondido atrás de cada coisa. Na verdade, mesmo que ele realmente esteja lá, fico com as palavras de João em sua primeira epístola, capítulo 4.4-6:

“Filhinhos, vós sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo. Eles são do mundo, por isso falam como quem é do mundo, e o mundo os ouve. Nós somos de Deus; quem conhece a Deus nos ouve; quem não é de Deus não nos ouve. assim é que conhecemos o espírito da verdade e o espírito do erro”.

Quanto à minha visão da coisa toda, fico com o que dizem as Escrituras:

“A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo terá luz; se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes são tais trevas!” - Mateus 6:22-23

Pronto, falei! (risos...)

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Anônimo, eu não sei quem é você, mas o Senhor te conhece muito bem. Sendo assim, pense duas vezes antes de utilizar este espaço LIVRE (poderia bloquear comentários de anônimos mas não o faço por convicção pessoal e direção espiritual) antes de ofender quem quer que seja. Estou aberto para discutimos idéias sem agredir NINGUÉM ok? - Na dúvida, leia mil vezes Romanos 14, até ficar encharcado com a Verdade sobre este assunto...